FENOLOGIA DE ACESSOS DE Calotropis procera (Ait.) W.T. Aiton COM BASE EM CARACTERÍSTICAS MORFOFISIOLÓGICAS

Autores

  • Isaias Vitorino Batista de Almeida Experimental Station Pendência, Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária, Soledade, PB http://orcid.org/0000-0003-1070-6536
  • Maílson Monteiro do Rêgo Center for Agricultural Sciences, Universidade Federal da Paraíba, Areia, PB http://orcid.org/0000-0003-3096-6992
  • Fabiane Rabelo da Costa Batista Biotechnology laboratory, Instituto Nacional do Semiárido, Campina Grande, PB http://orcid.org/0000-0003-3868-1131
  • Elizanilda Ramalho do Rêgo Center for Agricultural Sciences, Universidade Federal da Paraíba, Areia, PB http://orcid.org/0000-0001-7376-7569
  • Riselane de Lucena Alcântara Bruno Department of Phytotechny and Environmental Sciences, Universidade Federal da Paraíba, Areia, PB http://orcid.org/0000-0002-4206-6417

Palavras-chave:

Flor-de-seda. Sistema reprodutivo. Crescimento vegetativo.

Resumo

Objetivou-se com esta pesquisa avaliar a fenologia de acessos de C. procera com base em características morfofisiológicas. Foram coletadas sementes de 70 acessos de C. procera entre outubro de 2015 e janeiro de 2016, em áreas de ocorrência natural da espécie, na região Nordeste do Brasil. Atualmente esses acessos compõem a coleção de germoplasma do Instituto Nacional do Semiárido (INSA). O experimento foi conduzido em casa de vegetação no INSA, em Campina Grande – PB, entre janeiro e setembro de 2016.

As plantas foram cultivadas em vasos plásticos preenchidos com solo, onde foi feita a adubação conforme recomendação de análise do solo e foram irrigadas em intervalos de 3 dias. Realizaram-se leituras de características morfofisiológicas, inicialmente aos 30 dias após a semeadura (DAS) com avaliações intercaladas em 30 dias até os 240 DAS. Além disso, estimaram-se os índices fisiológicos até os 120 DAS e avaliaram-se a queda de folhas, a floração e a frutificação. Obteve-se a média de cada característica com o ajuste e seleção dos modelos de regressão para explicar o crescimento de C. procera, com base no coeficiente de determinação. O estádio vegetativo de C. procera ocorre durante os 240 DAS, com queda e produção de folhas continuamente, enquanto que o estádio reprodutivo se inicia aos 153 DAS, prosseguindo até os 222 DAS, dependendo do acesso, tornando-se constante a emissão de inflorescência nas plantas após o início da floração. Os índices fisiológicos são eficientes para estimar o crescimento de acessos de C. procera.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

22-05-2019

Edição

Seção

Nota Técnica