POTENCIAL AGRONÔMICO E DIVERSIDADE GENÉTICA DE VARIEDADES TRADICIONAIS DE FEIJÃO-CAUPI DO ESTADO DO CEARÁ

Autores

Palavras-chave:

Vigna unguiculata. Recursos genéticos. Caracterização morfoagronômica. Marcadores ISSR.

Resumo

Variedades tradicionais são fontes de variabilidade genética, principalmente no que se refere a alelos que conferem tolerância a fatores bióticos e abióticos e, portanto, podem auxiliar os programas de melhoramento no desenvolvimento de cultivares promissoras.  Contudo, torna-se necessário conhecer esse patrimônio genético em nível que permita sua pretensa utilização em programas de melhoramento genético. Assim, objetivou-se com esse estudo: (i) identificar variedades tradicionais de feijão-caupi que apresentem potencial agronômico e (ii) avaliar a diversidade genética das mesmas para orientação de futuros cruzamentos. Para tal, dois ensaios (litoral e sertão do estado do Ceará) foram realizados em períodos distintos para a caracterização morfoagronômica de oito variedades tradicionais do estado do Ceará mais duas cultivares testemunhas. Ambos os ensaios foram realizados no delineamento em blocos ao acaso com quatro repetições. Adicionalmente, foi feita a caracterização molecular por marcadores ISSR. Devido a presença de interação genótipos por ambientes, observou-se que para as condições do litoral (Fortaleza), a variedade tradicional Boi Deitado foi a mais indicada, e para as condições do sertão (Madalena) foi a Vinagre Barrigudo de Caldo, por serem superiores quanto ao rendimento de grãos e quanto a outros caracteres agronômicos. Buscando ampliar a base genética do feijão-caupi, sugerem-se cruzamentos entre os genótipos Boi deitado e Cojó para a geração de populações segregantes em futuros programas de melhoramento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

26-08-2019

Edição

Seção

Agronomia