TOXICIDADE POR CONTATO DO ÓLEO ESSENCIAL DE Croton pulegiodorus BAILL SOBRE Sitophilus zeamais MOTSCHULSKY

Autores

  • Patryck Érmerson Monteiro dos Santos Academic Unit of Serra Talhada, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Serra Talhada, PE http://orcid.org/0000-0001-9526-2465
  • Antonielson Bezerra da Silva Academic Unit of Serra Talhada, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Serra Talhada, PE http://orcid.org/0000-0001-7798-4077
  • Cilene Rejane Inácio de Magalhães Lira Department of Biochemistry, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE http://orcid.org/0000-0003-4873-7442
  • Cláudia Helena Cysneiros Matos Academic Unit of Serra Talhada, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Serra Talhada, PE http://orcid.org/0000-0001-5040-2479
  • Carlos Romero Ferreira de Oliveira Academic Unit of Serra Talhada, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Serra Talhada, PE http://orcid.org/0000-0001-8250-6344

Palavras-chave:

Inseticidas botânicos. Euphorbiaceae. Milho armazenado. Curculionidae.

Resumo

O objetivo do presente estudo foi avaliar a toxicidade por contato do óleo essencial de Croton pulegiodorus Baill sobre seis populações de Sitophilus zeamais Motschulsky. As populações de S. zeamais utilizadas apresentam diferentes padrões de susceptibilidade a inseticidas sintéticos e foram provenientes dos municípios de Crixás – GO, Espírito Santo do Pinhal – SP, Juiz de Fora – MG, Picos – PI, Serra Talhada – PE e Vicentina – MT. O óleo essencial foi obtido a partir de plantas coletadas no município de Triunfo - PE, sendo estimadas as concentrações letais (CL50 e CL90), as razões de toxicidade (RT) e as razões de resistência (RR) das populações. A população de Serra Talhada – PE apresentou as menores CL50 (4,21 μL/20g de milho) e CL90 (6,67 μL/20g de milho), sendo considerada padrão de susceptibilidade ao óleo essencial de C. pulegiodorus. Por outro lado, a população de Espírito Santo do Pinhal - SP apresentou as maiores CL50 (6,02 μL/20g de milho) e CL90 (10,55 μL/20g de milho), sendo considerada padrão de tolerância ao óleo. A razão de toxicidade (RT) variou de 1,01 vezes (Picos – PI) a 1,43 vezes (Serra Talhada – PE) enquanto que a razão de resistência (RR) variou de 1,13 vezes (Crixás – GO) a 1,43 vezes (Espírito Santo do Pinhal – SP). Observou-se que o óleo essencial de C. pulegiodorus ocasionou redução na emergência de adultos de S. zemais e apresentou efeito residual, pela via de contato, após 30 e 60 dias de aplicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

16-05-2019

Edição

Seção

Agronomia