FERTILIZANTE BIOLÓGICO E PLANTAS DE COBERTURA NOS ATRIBUTOS DO SOLO E PRODUTIVIDADE DO MILHO

Autores

Palavras-chave:

Fertilidade do solo. Qualidade microbiológica. Zea mays.

Resumo

O milho é uma importante cultura para a economia brasileira, porém, é produzido em sistema de monocultura, e por isso, torna-se necessário o uso de práticas conservacionistas de manejo do solo que favoreçam o desenvolvimento da cultura. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da adubação biológica e plantas de cobertura nas propriedades do solo e produtividade do milho. O experimento foi conduzido em um LATOSSOLO VERMELHO distrófico (Oxisols dystrofphic), nas safras 2015/16 e 2016/17 em Tangará da Serra – MT, Brasil. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, em esquema fatorial duplo com controle adicional: duas condições de adubação biológica, três condições de cobertura do solo e um controle (fragmento de mata). A semeadura do Pennisetum glaucum e da Crotalaria ochroleuca foi realizada em outubro de 2015 e 2016. A semeadura do milho ocorreu em dezembro de 2015 e 2016, seguida da aplicação de 150 l ha-1 de fertilizante biológico. O solo cultivado com milho apresentou maior qualidade química em relação ao solo do fragmento de mata, não obstante, obteve menor qualidade microbiológica. A adubação biológica e as plantas de cobertura incrementaram a fertilidade e a qualidade microbiológica do solo cultivado com milho. As plantas de cobertura incrementaram a produtividade do milho em ambas as safras. Com isso, a adubação biológica e a plantas de cobertura P. glaucum, and C. ochroleuca aumentaram a qualidade química e microbiológica do solo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

27-08-2019

Edição

Seção

Agronomia