PRODUTIVIDADE DE CAROTENO EM BATATA-DOCE PELA ADUBAÇÃO POTÁSSICA E FOSFÓRICA

Autores

Palavras-chave:

Ipomoea batatas. Carotenóides. Vitamina A.

Resumo

A batata-doce é um dos alimentos de maior importância no mundo. Dentre os diferentes genótipos cultivados, merece destaque aqueles de polpa alaranjada, devido a sua capacidade de fornecer quantidades adequadas de carotenóides pró-vitamina A aos seres humanos. Assim, objetiva-se com o desenvolvimento deste trabalho avaliar o efeito de adubação com potássio e fósforo sobre os teores e produtividade de carotenóides em batata-doce. Foram realizados dois experimentos em São Luis, no Maranhão em delineamento em blocos ao acaso, sendo seis tratamentos para cada um dos estudos (0, 30, 60, 90, 120 e 150 de kg ha-1 de K2O, e 0, 60, 120, 180, 240 e 300 kg ha-1de P2O5), com quatro repetições. Foi utilizada a cultivar ‘Beauregard’, que possui altos teores de carotenóides. Aos 123 dias após plantio, para ambos os experimentos, foram realizadas as colheitas das raízes, avaliando: massa fresca e seca da raiz, teor de massa seca, teores e produtividade de carotenóides totais, α-caroteno, β-caroteno, 13-cis β-caroteno e 9-cis β-caroteno. Com os dados médios das características avaliadas, realizou-se análise de variância e análise de regressão polinomial. Doses de potássio influenciaram a rendimento de carotenóides em raízes de batata-doce, sendo recomendada as doses de 73 a 77 kg ha-1 de K2O para maximizar a produção de carotenóides totais, ß-caroteno e ɒ-caroteno. Para fósforo houve influência somente para carotenóides totais, sendo recomendada a de 174,09 kg ha-1 de P2O5 para maximizar a produção desse elemento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

27-08-2019

Edição

Seção

Nota Técnica