DISTRIBUIÇÃO RADICULAR, TEOR E EXPORTAÇÃO DE NUTRIENTES EM PALMA FORRAGEIRA ‘GIGANTE’ IRRIGADA COM ÁGUA SALOBRA

Autores

  • Varley Andrade Fonseca Agriculture Sector, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano, Guanambi, BA https://orcid.org/0000-0002-1562-2190
  • Marcelo Rocha dos Santos Agriculture Sector, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano, Guanambi, BA https://orcid.org/0000-0003-0896-0359
  • Sérgio Luiz Rodrigues Donato Agriculture Sector, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano, Guanambi, BA https://orcid.org/0000-0002-7719-4662
  • João Abel da Silva Agriculture Sector, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano, Guanambi, BA https://orcid.org/0000-0001-5358-356X
  • Cleiton Fernando Barbosa Brito Agriculture Sector, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano, Guanambi, BA https://orcid.org/0000-0001-9423-4980

Palavras-chave:

Opuntia ficus-indica. Salinidade. Nutrição.

Resumo

Em regiões semiáridas com maior variabilidade climática, mais eventos de seca e retardo das estações chuvosas, a suplementação hídrica favorece a segurança produtiva do cultivo da palma forrageira. Objetivou-se avaliar a distribuição radicular, o teor e a exportação de nutrientes em palma forrageira ‘Gigante’ submetida a diferentes condições de aplicação de água. Os tratamentos foram constituídos por sete condições: sem irrigação; cinco litros de água por metro linear a cada 15 dias, com água de condutividade elétrica (CEa) de 0,75 dS m-1; 7% da evapotranspiração de referência (ETo) com turno de rega (TR) de 15 dias; 15% da ETo com TR de sete dias; 33% da ETo com TR de três dias; 50% da ETo com TR de dois dias e 100% da ETo irrigado diariamente, sendo as cinco últimas condições com água de CEa de 3,6 dS m-1, dispostos em delineamento em blocos casualizados, com quatro repetições. O maior desenvolvimento de raízes é obtido na condição de 50% da ETo com TR de dois dias. Aplicação de água com salinidade muito alta, CE 3,6 dS m-1, a 15% da ETo com TR de sete dias proporciona maiores teores dos nutrientes P, Ca, Mg e S nos cladódios de palma. Aplicação de água com salinidade muito alta, CE 3,6 dS m-1, a 33% da ETo com turno de rega de três dias proporciona maiores valores de extração/exportação de P, Ca, Mg, S e Zn nos cladódios de palma forrageira ‘Gigante’.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Varley Andrade Fonseca , Agriculture Sector, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano, Guanambi, BA

Departamento de Agronomia e área de ciência do solo

Referências

ALVES, J. F. T. et al. Establishment of Sufficiency Ranges to Determine the Nutritional Status of ‘Gigante’ Forage Cactus Pear – Macronutrients. Journal of Agricultural Science, 11: 213-221, 2019a.

ALVES, J. F. T. et al. Establishment of Sufficiency Ranges to Determine the Nutritional Status of ‘Gigante’ Forage Cactus Pear – Micronutrients. Journal of Agricultural Science, 11: 222-229, 2019b.

AYERS, R. S.; WESTCOT, D. W. Water quality for agriculture. Rome: FAO Irrigation and drainage, Paper 29, 1985. 97 p.

BLANCO-MACÍAS, F. et al. Comparison between CND norms and boundary-line approach nutrient standards: Opuntia ficus-indica L. Case. Revista Chapingo Serie Horticultura, 15: 217-223, 2009.

BRITO, C. F. B. et al. Photochemical efficiency in cladodes of ‘Gigante’ cactus pear cultivated under different spacings and organic fertilization. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 22: 338-343, 2018.

BROADLEY, M. et al. Beneficial elements. In: MARSCHNER, P. (Ed.). Marschner’s mineral nutrition of higher plants. Amsterdam: Elsevier, 2012, cap. 8, p. 249-269.

CASTRO, I. N. et al. Root distribution of cactus pear genotypes under different soil water replacement levels. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 25: 819-825, 2021.

DONATO, P. E. R. et al. Extraction/exportation of macronutrients by cladodes of ‘Gigante’ cactus pear under different spacings and organic fertilization. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 21: 238-243, 2017a.

DONATO, S. L. R. et al. Diagnóstico nutricional e recomendação de adubação para a palma forrageira ‘Gigante’. Informe Agropecuário, 38: 46-58, 2017b.

DONATO, S. L. R. et al. Considerações sobre o clima semiárido e ecofisiologia da palma forrageira. Informe Agropecuário, 38: 7-20, 2017c.

DUBEUX JUNIOR, J. C. B. et al. Forage Potential of Cacti on Drylands. Acta Horticulturae, 1: 181-186, 2015.

EDVAN, R. L. et al. Acúmulo de biomassa e crescimento radicular da palma forrageira em diferentes épocas de colheita. Revista Acadêmica: Ciências Agrárias e Ambientais, 11: 35-43. 2013.

FONSECA, V. A. et al. Morpho-physiology, yield, and water-use efficiency of Opuntia ficus indica irrigated with saline water. Acta Scientiarum. Agronomy, 41: 1-11, 2019.

SMITH, P. et al. Agriculture, Forestry and Other Land Use. In: EDENHOFER, O. et al. (Eds.). Climate Change 2014: Mitigation of Climate Change. Contribution of Working Group III to the Fifth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change. Cambridge University Press, Cambridge, United Kingdom and New York, NY, USA, 2014. cap. 11, p. 811-922.

KASPAR, T. C.; EWING, R. P. Rootedge: software for measuring root length from desktop scanner images. Agronomy Journal, 89: 932-940, 1997.

LÉDO, A. A. et al. Nutrient concentration and nutritional efficiency in ‘Gigante’ cactus pear submitted to different spacings and fertilizations. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 24: 154-161, 2020.

LIMA, G. F. C. et al. Morphological characteristics and forage productivity of irrigated cactus pear under different cutting intensities. Revista Caatinga, 29: 481-488, 2016.

MALAVOLTA, E.; VITTI, G. C.; OLIVEIRA, S. A. Avaliação do estado Nutricional das plantas: princípios e aplicações. 2.ed. Piracicaba, SP: Associação Brasileira para Pesquisa da Potassa e do Fosfato, 1997. 201 p.

NOVAIS, R. F.; MELLO, J. W. V. Relação solo-planta. In: NOVAIS, R. F. et al. (Eds.), Fertilidade do solo. Viçosa, MG: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 2007. cap. 4, p.133-204.

PEREIRA, P. C. et al. Morfogênese da palma forrageira irrigada por gotejamento. Revista Caatinga, 28: 184-195, 2015.

QUEIROZ, M. G. et al. Características morfofisiológicas e produtividade da palma forrageira em diferentes lâminas de irrigação. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 19: 931-938, 2015.

R DEVELOPMENT CORE TEAM. R, a language and environment for statistical computing. Vienna, AU: R Foundation for Statistical Computing. 2012.

SANTOS, M. R.; BRITO, C. F. B. Irrigação com água salina, opção agrícola consciente. Revista Agrotecnologia, 7: 33-41, 2016.

SANTOS, M. R. et al. Fruit yield and root system distribution of 'Tommy Atkins' mango under different irrigation regimes. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 18: 362-369, 2014.

SILVA, J. A. et al. Extraction/export of nutrients in Opuntia ficus-indica under different spacings and chemical fertilizers. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 20: 236-242, 2016.

SILVA, M. L. da. et al. Produtividade da palma forrageira cultivada em diferentes densidades de plantio. Ciência Rural, 44: 2064-2071, 2014.

SOLIZ, D. et al. Water consumption, irrigation efficiency and nutritional value of Atriplex lentiformis grown on reverse osmosis brine in a desert irrigation district. Agriculture, Ecosystems and Environment, 140 : 1-11, 2011.

TEIXEIRA, M. B. et al. Establishment of DRIS norms for cactus pear grown under organic fertilization in semiarid conditions. Revista Caatinga, 32: 952-959, 2019.

VON TUCHER, S.; HÖRNDL, D.; SCHMIDHALTER, U. Interação do pH do solo e eficácia do fósforo: Efeitos a longo prazo das aplicações de fertilizante P e cal no trigo, cevada e beterraba sacarina. Ambio, 47:41-49, 2018.

Downloads

Publicado

04-04-2022

Edição

Seção

Zootecnia