FARELO DE GIRASSOL NA ALIMENTAÇÃO DE AVES LABEL ROUGE EM CRESCIMENTO NO AMBIENTE EQUATORIAL

  • HIAGOS FIRMINO LIMA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMIÁRIDO

Resumo

O cultivo do girassol destinado à indústria alimentícia ou refinarias de biocombustível, disponibiliza em diversas regiões brasileiras grandes quantidades de subprodutos para alimentação animal. Objetivou-se, assim, avaliar a substituição parcial da proteína bruta do farelo de soja por farelo de girassol e seus efeitos sobre o desempenho de aves Label Rouge em fase de crescimento no ambiente equatorial (semiárido) brasileiro. Para isto desenvolveu-se o presente estudo com 280 aves distribuídas em um delineamento inteiramente ao acaso com quatro níveis de substituição da proteína bruta do farelo de soja pelo farelo de girassol (0, 15, 30 e 45%). As aves e as rações foram pesadas semanalmente durante todo período experimental (28 a 84 dias) para obtenção do consumo de ração, do ganho de peso e da conversão alimentar. Constatou-se que com o aumento do nível de substituição da proteína bruta do farelo de soja pelo farelo de girassol, não houve efeito sobre o consumo, o ganho de peso diminuiu linearmente (y = 1.69850 – 0,05868x, R2 = 0,86) e os valores de conversão alimentar elevaram-se linearmente (y = 4,21226 – 0,22562x, R2 = 0,76). Assim, a proteína do farelo de soja pode ser substituída pela proteína do farelo de girassol em nível de 15% sem que haja o comprometimento do desempenho de aves label rouge em ambiente equatorial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

HIAGOS FIRMINO LIMA, UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMIÁRIDO
Departamento Ciências Animais; Na área de Nutrição de Monogástrico.
Publicado
2013-05-05
Seção
Original Articles / Artigos de Pesquisa