Interação genótipo-ambiente em pesos pós-desmama de bovinos Nelore criados nos estados do Maranhão, Mato Grosso e Pará.

  • Thaymisson Santos De Lira Mestrando do PPGCAT Universidade Federal do Tocantins
  • Emerson Alexandrino Unversidade Federal do Tocantins/ Departamento de Zootecnia
  • Fernando Brito Lopes Bolsista Prodoc Capes. Embrapa - Cerrados
  • Leandro Lopes Nepomuceno Acadêmico de Medicina Veterinária.. Araguaína, Tocantins, Brasil
  • Leonardo de Sousa Pereira UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS
  • Raysildo Barbosa Lôbo Presidente da Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores
  • Jorge Luís Ferreira UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS

Resumo

Variações de ambiente e clima podem influenciar o desempenho genotípico e consequentemente fenotípico dos animais, assim objetivou-se analisar a interação genótipo ambiente sobre os pesos pós desmama de bovinos da raça Nelore, criados a pasto, nos Estados do Maranhão (MA), Mato Grosso (MG) e Pará (PA). O estudo foi realizado utilizando-se de dados de campo da raça Nelore cedidos pelo Programa de Melhoramento Genético da Raça Nelore (PMGRN-ANCP), totalizando 37.032 animais registrados desde 1993 a 2010. As estimativas médias e desvios padrão para pesos padronizados aos 365 dias (P365), aos 450 dias (P450) e aos 550 dias (P550) de idade para os estados do MA, MT e PA foram de 213,96±29,70; 244,22±40,76; 245,46±31,67 kg (P365), 241,64±34,15; 285,34±49,15; 280,92±38,76 kg (P450), 274,10±33,58; 339,57±58,12; 337,64±50,34 kg (P550), respectivamente. A variação e os valores encontrados no presente trabalho, para a herdabilidade dos pesos estudados, podem ser considerados coerentes, pois estão dentro da faixa de variação apresentada na literatura. As correlações genéticas entre os desempenhos das progênies de um mesmo reprodutor nos diferentes estados variaram de 0,27 (MA-MT), -0,16 (MA-PA) e 0,37 (MT-PA) para P365; de 0,29 (MA-MT), -0,10 (MA-PA) e 0,38 (MT-PA) para P450; e 0,41 (MA-MT), -0,20 (MA-PA) e -0,05 (MT-PA) para P550. As menores correlações genéticas, em ambas as características estudadas, foram observadas entre Mato Grosso e Para seguida de Maranhão e Pará, estados com condições ambientais mais contrastantes. Os resultados deste estudo reforçam a preocupação atual com a presença da interação genótipo-ambiente e a melhor forma de lidar com ela, uma vez que a situação econômica em cada região influi de maneira significativa na tomada de decisão dos criadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thaymisson Santos De Lira, Mestrando do PPGCAT Universidade Federal do Tocantins
Mestrando do PPGCAT Universidade Federal do Tocantins
Emerson Alexandrino, Unversidade Federal do Tocantins/ Departamento de Zootecnia
Professor Adjunto IV Departamento de Zootecnia Universidade Federal do Tocantins Campus de Araguaína
Fernando Brito Lopes, Bolsista Prodoc Capes. Embrapa - Cerrados
Bolsista Prodoc Capes. Embrapa - Cerrados
Leandro Lopes Nepomuceno, Acadêmico de Medicina Veterinária.. Araguaína, Tocantins, Brasil
Acadêmico de Medicina Veterinária.. Araguaína, Tocantins, Brasil
Leonardo de Sousa Pereira, UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS
Mestrando do PPGCAT Universidade Federal do Tocantins
Raysildo Barbosa Lôbo, Presidente da Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores
Presidente da Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores
Jorge Luís Ferreira, UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS
Unversidade Federal do Tocantins/ Departamento de Zootecnia
Publicado
2014-01-17
Seção
Original Articles / Artigos de Pesquisa