PENECTOMIA COM URETROSTOMIA ESCROTAL EM CÃES: RELATO DE QUATRO CASOS (2012-2014)

  • Felipe Baldissarella Gavioli Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Universidade de Passo Fundo.
  • Ricardo Pimentel Oliveira Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Universidade de Passo Fundo.
  • Aparício Mendes de Quadros Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Universidade de Passo Fundo.
  • Tanise Policarpo Machado Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Universidade de Passo Fundo.
  • Bianca Silva Medeiros Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Universidade de Passo Fundo.
  • Mariana Dalla Palma Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Universidade de Passo Fundo.
  • Camila Marques Linck Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Universidade de Passo Fundo.
  • Priscila Secchi Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Universidade de Passo Fundo.
  • Taciele Gaspareto Cassel Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Universidade de Passo Fundo.
  • Indaia Bisognin Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Universidade de Passo Fundo.
  • Marco Augusto Machado Silva Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Universidade de Passo Fundo.

Resumo

Os traumatismos extensos de prepúcio e pênis, além de neoplasias, constituem as principais indicações cirúrgicas de penectomia associado à uretrostomia escrotal no cão. A reconstrução do prepúcio é desafiadora e torna-se inviável em casos de lesões amplas, requerendo a amputação peniana. O objetivo do presente estudo foi relatar quatro casos de indicação para penectomia associada à uretrostomia escrotal em cães. Os pacientes foram submetidos a exames complementares hematológicos, citologia das lesões, radiografia de tórax, ultrassonografia abdominal foram realizadas para triagem cirúrgica. Em três pacientes diagnosticou-se neoplasias malignas e em um paciente, fibrose com extensa exposição peniana. Os cães foram submetidos a penectomia, associado a uretrostomia escrotal. As complicações pós-operatórias incluíram hemorragia leve em um paciente e infecção e miiase em outro cão. Concluiu-se que a ressecção cirúrgica seguida de penectomia com uretrostomia escrotal foi a melhor opção para as lesões prepuciais, obtendo-se sucesso no tratamento realizado.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-07-07
Seção
Clinical Reports / Casos Clínicos