VALORES ENERGÉTICOS E COEFICIENTES DE DIGESTIBILIDADE DE UMA RAÇÃO TRADICIONAL PARA AVES LABEL ROUGE EM DIFERENTES IDADES

  • Raimunda Thyciana Vasconcelos Fernandes Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal - UFERSA
  • Alex Martins Varela de Arruda Professor Departamento de Ciências Animais - UFERSA
  • Marcelle Santana de Araújo Professora do Departamento de Ciências Animais - UFERSA
  • Aurora da Silva Melo Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal - UFERSA
  • Jéssica Berly Moreira Marinho Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal - UFERSA
  • Natany Valeska Barreto Vasconcelos Engenheira Agronôma
  • Flora de França Lopes Zootecnista
  • José Simplício de Holanda Diretor científico da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado do Rio Grande do Norte - EMPARN

Resumo

O conhecimento da composição química e energética dos ingredientes utilizados nas dietas de aves é necessário para a formulação de rações com níveis nutricionais ótimos, permitindo uma maior produtividade e rentabilidade para atividade avícola. Neste contexto, objetivou-se determinar a digestibilidade aparente dos nutrientes e o valor de energia metabolizável de uma ração convencional para aves Label Rouge em diferentes idades. Foram utilizadas 36 aves (machos e fêmeas) distribuídas individualmente em um delineamento inteiramente casualizados, com dois tratamentos: aves jovens (8 semanas) e adultas (40 semanas). Durante o período experimental (14 dias), as aves foram alojadas em gaiolas metálicas adaptadas para coleta total de excretas, sendo a ração pesada (250 g/ave/dia) e a água foi fornecida à vontade. Os coeficientes de digestibilidade aparente (CDA) da ração para aves jovens e adultas, respectivamente, foram de 86,33 e 86,78% para matéria seca (MS), 83,46 e 86,48% para proteína bruta (PB), 93,76 e 91,50% para extrato etéreo (EE), 34,45 e 32,77% para fibra em detergente neutro (FDN), 29,32 e 27,62% para fibra em detergente ácido (FDA) e disponibilidade de 27,66 e 21,42% para matéria mineral (MM). Por sua vez, o coeficiente de metabolização da energia bruta (CMEB) e energia metabolizável aparente (EMA) para aves jovens e adultas foram, respectivamente,80,20 e 82,79%; 3.010 e 3.125 kcal/kg. As aves jovens obtiveram maior eficiência digestiva do EE, FDN, FDA e MM, enquanto as aves adultas foram mais eficientes no aproveitamento da proteína bruta e energia de uma ração tradicional.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-07-01
Seção
Original Articles / Artigos de Pesquisa