VALOR NUTRITIVO DE SILAGENS DE CAPIM ELEFANTE COM NÍVEIS CRESCENTES DE RESÍDUO DA AGROINDÚSTRIA DA ACEROLA

  • Isaac Sydney Alves da Silva Maia UFERSA
  • Alexandre Paula Braga UFERSA
  • Danillo Glaydson Farias Gerra UFERSA
  • Dorgival Morais de Lima Júnior Universidade Federal de Alagoas

Resumo

Objetivou-se neste estudo avaliar o valor nutricional de silagens de capim elefante com adição do subproduto da acerola. Para isso foram confeccionados 20 mini-silos, 04 por tratamento. O delineamento utilizado foi inteiramente casualizado em cinco níveis de inclusão, 0; 5; 10; 15 e 20% do resíduo agroindustrial da acerola (RAA). Os mini-silos foram abertos com 90 dias e colhidas amostras para análises químicas. O teor de matéria seca (MS) aumentou em 10,7% nas silagens de 0 a 20% de inclusão do RAA. O teor de fibra insolúvel em detergente neutro (FDN) e hemicelulose (Hcel) apresentaram reduções de 2,19 e 5,96%, respectivamente, dos níveis de 0 a 20% de inclusão, enquanto que elevações de 0,19 e 0,29 pontos percentuais nos teores de fibra insolúvel em detergente ácido (FDA) e lignina (LIG) a cada 1% de resíduo adicionado. Nos teores proteicos, PB, PIDN e PIDA, houve aumentos de 0,13% a cada 1% de inclusão do resíduo para os três parâmetros. O NDT apresentou 51,43%, em seu ponto de mínima, no nível de 12,40% de inclusão do resíduo. O N-NH3 das silagens ficou abaixo do limite de 12%, variando de 0,47 a 0,79% entre os níveis de 0 a 20% de inclusão da acerola. Recomenda-se a inclusão de 20% do subproduto da agroindústria da acerola na ensilagem de capim elefante.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-07-01
Seção
Short Communications / Comunicações curtas

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor (es)