ASPECTOS HEMATOLÓGICOS DE CÃES NATURALMENTE INFECTADOS POR Hepatozoon sp. NO MUNICÍPIO DE CAMPO GRANDE, MS, BRASIL

  • Tamires Ramborger Antunes Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FAMEZ), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).
  • Renata Amarilha Valençoela Médica Veterinária Autônoma Especialista em Patologia Clínica.
  • Simone Sorgatto Residente em Patologia Clínica Veterinária pelo Programa de Residência Profissional em Saúde em Medicina Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FAMEZ), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).
  • Bruna Brito Oliveira Residente em Patologia Clínica Veterinária pelo Programa de Residência Profissional em Saúde em Medicina Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FAMEZ), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).
  • Kelly Cristina da Silva Godoy Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FAMEZ), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).
  • Alda Izabel de Souza Professora de Patologia Clínica Veterinária da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FAMEZ), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

Resumo

O objetivo deste estudo é descrever os achados hematológicos de cães infectados naturalmente por Hepatozoon sp. Foram selecionados 48 hemogramas, utilizando-se como critério de inclusão a presença da infecção a partir da detecção de gamontes em esfregaços de sangue periférico. Coinfecção foi constatada em 20,83% dos animais e incluiram Babesia sp., Ehrlichia sp., Anaplasma sp. Leishmania spp. e Corpúsculos de Lentz. As alterações hematológicas mais frequentes foram anemia (34/48) e trombocitopenia (26/48). Quando comparou-se grupos de coinfectados e não coinfectados, observou-se diferença estatística significativa (p<0,05%) em relação aos valores de hemoglobina, volume globular e contagem de plaquetas, indicando que cães coinfectados apresentam alterações hematológicas mais severas em relação aos não coinfectados. Esses dados enfatizam a hipótese de comprometimento hematológico causado pelo Hepatozoon sp. em cães e reforçam o agravamento do quadro em áreas com outras doenças endêmicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-10-01
Seção
Original Articles / Artigos de Pesquisa

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor (es)