DESEMPENHO PRODUTIVO E QUALIDADE DE OVOS DE POEDEIRAS LEVES SUBMETIDAS A DIFERENTES NÍVEIS DE DEBICAGEM

  • Silvana Cavalcante Bastos-Leite Professor Adjunto do Curso de Zootecnia da UVA
  • Joanatha Vidal Gomes
  • Marcio Gleice Mateus Alves
  • Claudia de Castro Goulart
  • Josefa Deis Brito Silva
  • Fabrízia Melo de Medeiros

Resumo

Objetivou-se avaliar a influência dos diferentes níveis de debicagem, sobre o desempenho e qualidade dos ovos de poedeiras comerciais leves. Foram utilizadas 216 aves em um delineamento inteiramente casualizado, distribuídas em quatro tratamentos, com seis repetições. Os tratamentos utilizados foram: aves não debicadas, aves debicadas a 7 mm, aves debicadas a 6 mm e aves debicadas a 5 mm, sendo essa distância tomada da narina ao bico. As variáveis avaliadas foram: mortalidade, consumo de ração (g), produção de ovos (%), peso dos ovos (g), mortalidade (%), massa de ovos (g), conversão por massa de ovos (kg/kg), conversão por dúzia de ovos (kg/dúzia), percentual de albúmen (%), de gema (%), de casca (%), ovos quebrados (%) e trincados (%). O consumo e a mortalidade foram significativamente maiores nas aves não debicadas. A conversão por massa e por dúzia de ovos foram piores nas aves não debicadas (P < 0,05). As variáveis de qualidade de ovos não foram influenciadas pelos tratamentos. As debicagens a 5, 6 ou 7 mm de distância da narina ao bico podem ser utilizadas em poedeiras leves sem causar prejuízos sobre o desempenho produtivo ou a qualidade dos ovos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvana Cavalcante Bastos-Leite, Professor Adjunto do Curso de Zootecnia da UVA
Produção e Nutrição de Não Ruminantes
Publicado
2016-05-09
Seção
Original Articles / Artigos de Pesquisa