EFEITO DE DIFERENTES SÍTIOS RECEPTORES NO DESENVOLVIMENTO DO AUTOTRANSPLANTE OVARIANO EM CAMUNDONGAS BALB/C

  • Fernanda Araujo dos Santos Universidade Federal Rural do Semi -Árido
  • Muriel Magda Lustosa Pimentel Universidade Federal Rural do Semi -Árido
  • Parmênedes Dias de Brito Universidade Federal Rural do Semi -Árido
  • Michelly Fernandes de Macedo Universidade Federal Rural do Semi -Árido
  • Marcelo Barbosa Bezerra Universidade Federal Rural do Semi -Árido

Resumo

Objetivou-se comparar dois sítios receptores no transplante autólogo ovariano em camundongas. Doze camundongas BALB/c foram divididas aleatoriamente em três grupos experimentais com quatro animais em cada. O G1 - animais não submetidos ao transplante, G2 - animais que receberam o fragmento ovariano no perimétrio, G3 - animais que tiveram o tecido subcutâneo abdominal como sítio receptor. Para o transplante, as fêmeas foram submetidas à ovariossalpingectomia bilateral. O ovário esquerdo foi encaminhado para processamento histológico. O córtex do ovário direito foi fragmentado e reimplantado nos locais especificados de acordo com os grupos. Os transplantes foram recuperados em 3/4 das camundongas em cada grupo tratado. No lavado vaginal, observou-se em metade das fêmeas do G3 e em 3/4 das fêmeas do G2 retorno da ciclicidade. Observou-se presença de corpos lúteos em 1/4 dos transplantes do G3 e metade nos do G2. Na população folicular, foram observados todos os estádios de desenvolvimento. Comparando os sítios receptores observou-se maior porcentagem de retorno à ciclicidade, bem como de folículos, nos animais que tiveram o perimétrio como local do transplante. Já no subcutâneo houve menor crescimento folicular e menor quantidade de corpos lúteos. Dessa forma, conclui-se que o transplante autólogo ovariano alocado no tecido subcutâneo e no perimétrio permitiu tanto a manutenção tecidual quanto o desenvolvimento folicular, porém, o sítio de escolha vai depender do objetivo final que se almeja com a técnica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-03-08
Seção
Short Communications / Comunicações curtas