Hernioplasty with polypropylene implant after an abdominal trauma of a pregnant cat

  • Victor Manuel Lacerda Freitas Universidade Estadual do Ceará
  • Francisco Lucio Mendes Maia Filho Clínica Veterinária Vetlife
  • João Alison Moraes Silveira Faculdade de Medicina, Departamento de Fisiologia e Farmacologia, Universidade Federal do Ceará Brasil
  • Francisco Antonio Felix Xavier Junior Faculdade de Veterinária, Universidade Estadual do Ceará

Resumo

The incidence of accidents with cats and its consequences on the health of these animals have been reported frequently in the literature. The abdominal hernia is an example of a condition developed as a result of trauma. Abdominal hernia is a defect of the inner wall of the abdomen that can allow part of the abdominal contents to protrude. In this case report, a pregnant cat has developed an abdominal hernia after disappearing for a week. The animal was clinically well, but the abdominal volume was considerable. Surgical intervention was necessary as soon as possible, because it was an irreducible hernia. A significant amount of devitalized muscle tissue and fragile tissue were observed. Because of the abdominal necrosis, there was no possibility to perform conventional suturing technique in the abdominal wall to correct the hernia. It was necessary to apply a polypropylene mesh implant, which is anchored by means of simple interrupted stitches. Besides hernioplasty, a lumpectomy and ovariohysterectomy were performed due to the presence of a suppurative inflammation of the mammary glands and fetal maceration in the uterus. The review of the patient, after 10 days, revealed no signs of infection of the surgical wound and the implant remained stable. The patient continued feeding and drinking water normally. The goal of this study is to describe the surgical technique of hernia repair using polypropylene implant in a cat that has lost approximately 50% of the abdominal muscle tissue caused by an abdominal trauma.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Victor Manuel Lacerda Freitas, Universidade Estadual do Ceará
Estudante de graduação em Medicina Veterinária pela Faculdade de Veterinária da Universidade Estadual do Ceará. Graduação sanduíche na Universidade de Queensland, Austrália. Estagia na área de clínica e cirurgia no Hospital Veterinário Amadeu Marinho, Clínica Vetlife e Unidade Hospitalar da FAVET. Aluno de iniciação científica do Laboratório de Fisiofarmacologia Cardio-renal (LAFCAR).
Francisco Lucio Mendes Maia Filho, Clínica Veterinária Vetlife
Formado pela Universidade Estadual do Ceará, foi professor de Clínica Cirúrgica do curso de Medicina Veterinária e médico veterinário do hospital veterinário das faculdades INTA em Sobral. Presta atendimento/plantão para clínica e cirurgia na clínica vet life. Foi Médico Veterinário do Centro de Triagem de Animais Selvagens do IBAMA (CETAS - IBAMA) de junho de 2011 a junho de 2012 e do Parque zoológico municipal sargento Prata, com várias cirurgias ortopédicas realizadas durante toda carreira. Atualmente é Active Member da AOVET.
João Alison Moraes Silveira, Faculdade de Medicina, Departamento de Fisiologia e Farmacologia, Universidade Federal do Ceará Brasil
Possui Bacharelado em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual do Ceará - UECE (2011), Aperfeiçoamento em Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais pela Universidade Federal do Semi-Árido - UFERSA (2013) e Mestrado em Farmacologia pela Universidade Federal do Ceará - UFC (conceito CAPES 6) (2015). Atualmente, é Doutorando do Programa de Pós-graduação em Farmacologia pela Universidade Federal do Ceará - UFC (conceito CAPES 6). Tem experiência na área de Farmacologia, com ênfase em Farmacologia e Terapêutica Animal; e Toxicologia, com ênfase em Toxinologia.
Francisco Antonio Felix Xavier Junior, Faculdade de Veterinária, Universidade Estadual do Ceará
Graduado em Medicina Veterinária Universidade Estadual do Ceará(2016). Filiado ao Laboratório de Histologia da Universidade Estadual do Ceará e pertence ao Grupo de pesquisa Morfologia Experimental Comparada - MEC
Publicado
2017-04-18
Seção
Clinical Reports / Casos Clínicos