Different methods and times of milk conservation: physical-chemical composition and microbiological quality

  • Andreia Garcia Wentz Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Rogério Fôlha Bermudes Universidade Federal de Pelotas
  • Cristian Marlon de Magalhães Martins Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo
  • Milene Puntel Osmari Universidade Federal de Santa Catarina
  • Bruna Moura Rodrigues Universidade Estadual de Maringá
  • Magali Soares dos Santos Pozza Universidade Estadual de Maringá

Resumo

The objective of this study was to verify methods of preservation of raw milk samples for physical-chemical analysis and bacterial count patterns. In Experiment 1, the experimental design was a factorial arrangement with three preservatives × two temperatures × five storage times. At seven days of storage, the samples with no preservative had higher total bacterial counts (TBC). However, the fat content increased in the refrigerated samples. The levels of protein, lactose and defatted solids were influenced by the analysed variables and by the interaction between them. Milk pH was influenced by the type of preservative and the duration of storage. Experiment 2 involved an evaluation of the influence of initial TBC, temperature and storage days. The factorial arrangement involved two TBCs × two temperatures × five storage times. The TBC, pH and total solid content of milk were influenced by the analysed variables. There was a quadratic pattern for TBC over storage days. With regard to fat, there was an effect of the initial TBC and storage temperature. Protein and lactose increased, with subsequent stabilisation. Samples with high initial TBC presented higher total solids levels. There was an effect of the interaction between TBC and temperature, and between temperature and storage days. For TBC analysis, the use of azidiol as a preservative is dependent on the use of refrigeration during storage. For physical-chemical analysis, the use of bronopol is indicated.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andreia Garcia Wentz, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Possui graduação em Zootecnia pela Universidade Federal de Santa Maria (2013), Centro de Educação Superior Norte do Rio Grande do Sul (CESNORS) Campus de Palmeira das Missões, onde foi integrante do Núcleo de Pesquisa e Extensão na Cadeia Leiteira (NUPECLE). Mestre em Zootecnia (Produção e nutrição animal), pelo Programa de Pós Graduação stricto sensu em Zootecnia - PPZ, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, campus de Marechal Cândido Rondon-PR. Atualmente trabalha como supervisora de qualidade de leite cru na empresa Laticínios Bela Vista Ltda (Piracanjuba).

Rogério Fôlha Bermudes, Universidade Federal de Pelotas

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Pelotas (1991), mestrado em Zootecnia pela Universidade Federal de Pelotas (1994) e doutorado em Zootecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1999). Fui professor adjunto de setembro de 2006 a janeiro de 2015 da Universidade Federal de Santa Maria, por redistribuição em janeiro de 2015, e em abril passei a ser professor associado do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Pelotas.

Cristian Marlon de Magalhães Martins, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo

Graduado em Zootecnia pela Universidade Federal de Santa Maria e Mestre em Nutrição e Produção Animal pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo. Atualmente é Doutorando pelo mesmo Departamento em que concluiu o mestrado, pesquisador no laboratório Qualileite - FMVZ/USP, integrante do Grupo de Estudos em Nutrição de Ruminantes da USP (GENRUSP), e membro da AMERCICAN DAIRY SCIENCE ASSOCIATION (ADSA).

Milene Puntel Osmari, Universidade Federal de Santa Catarina

Zootecnista formada pela Universidade Federal de Santa Maria (2008), Mestre em Zootecnia pela mesma instituição (2010), com ênfase em Produção Animal e Forragicultura. Doutora em Zootecnia pelo Programa de Pós-Graduação em Zootecnia da Universidade Estadual de Maringá (2013), na área de Nutrição de Ruminantes. Desenvolveu parte do doutorado no exterior (Sanduíche) durante 6 meses entre 2012-2013, na University of Kentucky, trabalhando com balanço de energia em bovinos. Pós-Doutora em Zootecnia (PNPD) sob supervisão do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia da Universidade Estadual de Maringá e integrante do Grupo de Pesquisas em Silagens e Fenos (GESF). Atualmente é Professora Adjunta I do Departamento de Zootecnia e Desenvolvimento Rural da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Campi de Florianópolis

Bruna Moura Rodrigues, Universidade Estadual de Maringá

Zotecnista e mestre em Zootecnia na área de concentração Tecnologia dos Produtos de Origem Animal, pela Universidade Estadual de Maringá. Atualmente cursa doutorado na mesma área e instituição.

Magali Soares dos Santos Pozza, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação em Zootecnia pela Universidade Federal de Lavras (1995), mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal de Viçosa (1998) e doutorado em Ciências de Alimentos pela Universidade Estadual de Londrina (2006). Atualmente é professor adjunto da Universidade Estadual de Maringá. Tem experiência na área de Ciência de Alimentos, com ênfase na área de microbiologia de alimentos.

Publicado
2018-12-21
Seção
Original Articles / Artigos de Pesquisa