AVALIAÇÃO DA ADAPTABILIDADE DE CAPRINOS AO SEMIÁRIDO ATRAVÉS DE PARÂMETROS FISIOLÓGICOS E ESTRUTURAS DO TEGUMENTO

  • Elisângela Maria Nunes da Siva
  • Bonifácio Benício de Souza
  • Otávio Brilhante de Sousa
  • Gustavo de Assis Silva
  • Marta Maria Soares de Freitas
Palavras-chave: Freqüência respiratória. Pele. Ambiente. Glândulas sudoríparas.

Resumo

O experimento foi desenvolvido com o objetivo de avaliar a adaptabilidade de raças caprinas ao Semiárido através dos parâmetros fisiológicos: temperatura retal, freqüência respiratória e temperatura superficial e estruturas do tegumento: glândulas sudoríparas, glândulas sebáceas e folículos pilosos. Foram utilizadas 40 fêmeas caprinas das raças Anglo-Nubiana, Savana, Boer e Moxotó, sendo dez animais de cada raça, com idade média de cinco meses. Para os parâmetros fisiológicos, foi utilizado um delineamento inteiramente casualizado em parcelas subdivididas no tempo, com os tratamentos principais constituídos pelas raças e os secundários pelos turnos. Para o estudo estereológico do tegumento foi utilizado um delineamento inteiramente casualizado com quatro tratamentos e três repetições. Houve interação significativa (P<0,05) entre raça e turno, para a temperatura retal e superficial. A raça Savana apresentou maior média (P<0,05) para freqüência respiratória e a Anglo-Nubiana a menor média (P<0,05). Houve diferença significativa (P<0,05) com relação ao número de folículos pilosos para raça Anglo-Nubiana que apresentou o menor número, diferindo significativamente (P<0,05) das raças Savana e Moxotó que apresentaram as maiores médias, contudo estas não diferiram (P>0,05) da raça Boer. A raça Anglo-Nubiana apresentou maior número de glândulas sudoríparas (P<0,05) e a raça Savana apresentou a maior média de glândulas sebáceas (P<0,05). As raças estudadas demonstraram estar fisiologicamente bem adaptadas e com características do tegumento favoráveis às condições climáticas do Semiárido.
Publicado
2010-08-01
Seção
Zootecnia