QUALIDADE DO SOLO SOB SISTEMAS AGROFLORESTAIS E AGRICULTURA TRADICIONAL NO BIOMA FLORESTA ATLÂNTICA

Palavras-chave: Conhecimento local. Agregação do solo. Biomassa microbiana do solo. Carbono orgânico do solo.

Resumo

Esse estudo avaliou a influência dos sistemas agroflorestais e da agricultura tradicional sobre os atributos físicos e biológicos do solo, utilizando como referência uma área de floresta nativa em Paraty, RJ. Foram analisados os teores do carbono orgânico total do solo e suas frações oxidáveis, a estabilidade dos agregados, além da atividade e os teores de carbono e nitrogênio da biomassa microbiana do solo, na camada de 0-5 cm, em duas épocas (seca e chuvosa) distintas. Os sistemas agroflorestais e a agricultura tradicional mantêm níveis elevados de carbono orgânico total e seu armazenamento em frações mais estáveis. Quando comparados à área de Floresta, esses sistemas proporcionam as mesmas condições para a agregação do solo. A biomassa microbiana foi mais responsiva as variações de manejo e sazonalidade. A implantação de sistemas agroflorestais contribui para a formação de uma matriz agrícola mais diversificada, promovendo melhorias na qualidade do solo e conexão com os remanescentes florestais próximos.

Referências

ANDO, K. et al. Effects of cropping and short-natural fallow rotation on soil organic carbon in the Eastern Province of Zambia. Agriculture, Ecosystems and Environmental, Bern, v. 196, s/n., p. 34-41, 2014.

AQUINO, A. M.; ASSIS, R. L. Processos biológicos no sistema solo-planta: ferramentas para uma agricultura sustentável. 1. ed. Brasília, DF: EMBRAPA, 2005. 368 p.

BARRETO, A. C et al. Fracionamento químico e físico do carbono orgânico total em um solo de mata submetido a diferentes usos. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 32, n. 4, p. 471-78, 2008.

BRASIL. Instituto Nacional de Meteorologia. Clima. Disponível em:. <http://www.inmet.gov.br/portal/> Acesso em: 10 nov. 2013.

BROOKES, P. C. et al. Chloroform fumigation and the release of soil nitrogen: a rapid direct extraction method to measure microbial biomass nitrogen in soil. Soil Biology and Biochemistry, Nottingham, v. 17, n. 6, p. 837-842, 1985.

CHAN, K. Y.; BOWMAN, A.; OATES, A. Oxidizidable organic carbon fractions and soil quality changes in an oxic paleustalf under different pasture ley. Soil Science, New Brunswick, v. 166, n. 4, p. 61-67, 2001.

DONAGEMA, G. K. et al. Manual de métodos de análise de solo. 2. ed. Rio de Janeiro, RJ: EMBRAPA SOLOS, 2011. 230 p.

FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS - FAO. Advancing Agroforestry on the Policy Agenda Food and Agriculture Organization of the United Nations. Food and Agriculture Organization of the United Nation Rome. Rome: Italy; 2013.

FREITAS, E C. S. et al. Deposição de serapilheira e de nutrientes no solo em sistema agrossilvipastoril com eucalipto e acácia. Revista Árvore, Viçosa, v. 37, n. 3, p. 409-417, 2013.

GAMA-RODRIGUES, E. F. et al. Nitrogênio, carbono e atividade da biomassa microbiana do solo em plantações de eucalipto. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 29, n. 6, p. 893-901, 2005.

JACKSON, L. E. et al. Social-ecological and regional adaptation of agrobiodiversity management across a global set of research regions. Global Environmental Change, Netherlands, v. 22, n. 3, p. 623-639, 2012.

JANDL, R. et al. Current status, uncertainty and future needs in soil organic carbon monitoring. Science of the Total Environment, Barcelona, v. 468-469, s/n., p. 376-383, 2014.

JENKINSON, D. S.; POWLSON, D. S. The effects of biocidal treatments on metabolism in soil. V. A method for measuring soil biomass. Soil Biology and Biochemistry, Nottingham, v. 8, n. 3, p. 209-213, 1976.

KASCHUK, G.; ALBERTON, O.; HUNGRIA, M. Quantifying effects of diferente agricultural land uses on soil microbial biomass and activity in Brazilian biomes: inferences to improve soil quality. Plant and Soil, Crawley, v. 338, n. 1, p. 467–481, 2011.

KIBBLEWHITE, M. G.; RITZ, K.; SWIFT, M. J. Soil health in agricultural systems: Philosophical Transactions of the Royal Society. Biological Sciences, London, v. 363, n. 363, p. 685–670, 2008.

LIU, Y. et al. The long-term effects of reforestation on soil microbial biomass carbon in sub-tropic severe red soil degradation areas. Forest Ecololgy and Management, Sydney, v. 285, s/n., p. 77-84, 2012.

LOSS, A. et al. Atributos químicos e físicos de um Argissolo Vermelho-Amarelo em sistema integrado de produção agroecológica. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 44, n. 1, p. 68-75, 2009.

MELLONI, R.; PERREIRA, E. G. M.; ALVARENGA, M. I. N. Indicadores da qualidade do solo. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 29, n. 244, p. 17-29, 2008.

MIELNICZUK, J. et al. Manejo de solo e culturas e sua relação com os estoques de carbono e nitrogênio do solo. In: CURI, N. et al. (Eds). Tópicos em ciência do solo. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 2003. v. 3. cap. 5, p. 209-248.

PERFECTO, A. I.; VANDERMEER, J. The agroecological matrix as alternative to the landsparing/agriculture intensification model. Proceedings of the National Academy of Sciences, Washington, v. 107, n. 13, p. 5786-5791, 2010.

PEZARICO, C. R. et al. Indicadores de qualidade do solo em Sistemas Agroflorestais. Revista de Ciências Agrárias, Belém, v. 56, n. 1, p. 40-47, 2013.

SANTIAGO, W. R. et al. Nitrogênio mineral e microbiano do solo em sistemas agroflorestais com palma de óleo na Amazônia oriental. Acta Amazônica, Manaus, v. 43, n. 4, p. 395-406, 2013.

SIMÕES, S. M. O. et al. Carbono orgânico e biomassa microbiana do solo em plantios de Acacia mangium no Cerrado de Roraima. Acta Amazônica, Manaus, v. 40, n.1, p. 23-30, 2010.

SILVA, M. S. C. et al. Estoque de Serapilheira e Atividade Microbiana em Solo sob Sistemas Agroflorestais. Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 19, n. 4, p. 431-441, 2012.

SOUZA, M. C. S.; PIÑA-RODRIGUES, F. C. M. Desenvolvimento de espécies arbóreas em sistemas agroflorestais para recuperação de áreas degradadas na floresta ombrófila densa, Paraty , RJ. Revista Árvore, Viçosa, v. 37, n.1, p. 89-98, 2013.

SOUZA, H. N. et al. Protective shade, tree diversity and soil properties in coffee agroforestry systems in the Atlantic Rainforest biome. Agriculture Ecosystems and Environmental, Bern, v. 146, n. 1, p. 179-196, 2012.

VANCE, E. D.; BROOKES, P.; JENKINSON, D. S. An extraction method for measuring soil microbial biomass-C. Soil Biology and Biochemistry, Nottingham, v. 19, n. 6, p. 703-707, 1987.

WHITE, C. S.; GOSZ, J. R. Factors controlling nitrogen mineralization and nitrification in forest ecosystems in New Mexico. Biological and Fertility of Soils, Firenze, v. 5, n. 3, p. 195-202, 1987.

YEOMANS, J. C.; BREMNER, J. M. A rapid and precise method for routine determination of organic carbon in soil. Communications in Soil Science and Plant Analysis, Georgia, v. 19, n. 13, p. 1467-1476, 1988.

YOODER, R. E. A direct method of aggregate analysis of soils and a study of the physical nature of erosion losses. American Society of Agronomy, Wisconsin, v. 28, n. 5, p. 337-251, 1936.

Publicado
17-10-2018
Seção
Engenharia Agrícola