AJUSTE DE MODELOS NÃO LINEARES PARA DESCREVER CRESCIMENTO DE CABRAS COM PESAGENS EM DIFERENTES IDADES

Palavras-chave: Anglo nubiana. Ganho de peso. Idade. Peso assintótico. Taxa de crescimento.

Resumo

Objetivou-se avaliar a idade da pesagem e a qualidade do ajuste de modelos não lineares a dados longitudinais para descrever o padrão de crescimento de fêmeas Anglonubiana. Pesos de 104 animais do nascimento até 60 meses de idade, foram agrupados em 10 classes, com intervalos de seis meses. Em cada classe estimou-se parâmetros A, B e K com modelos Brody, Gompertz, Logístico e Von Bertalanffy. Realizou-se análise de variância com fatorial (10 classes x 4 modelos) com 104 repetições, considerando-se os três parâmetros como características. Baseou-se na significância da média dos parâmetros nas classes para identificar a melhor idade de pesagem. Não ocorreu interação “classe-modelos”. As médias dos três parâmetros nas classes com pesos registrados até 30 meses diferiram entre si (P<0,05), indicando influência de pesagens inferior a essa idade na curva estimada, independente do modelo. Para identificar modelos com melhor ajuste aos dados, utilizou-se os valores do QMR, DMA, R2 e RC que cada um apresentou na classe com pesagens até 30 meses. Constatou-se como sequência de melhor ajuste: Logístico, Brody, Von Bertalanffy e Gompertz. O modelo Logístico estima menor peso assintótico e Brody o maior. Pesagens até 30 meses de idade se adequam à análise do padrão de crescimento de cabras com modelos não lineares.

Referências

BAHREINI BEHZADI, M. R. et al. Comparison of mathematical models for describing the growth of Baluchi sheep. Journal Agriculture Science Technology, v. 14, n. 1, p. 57–68. 2014.

BROWN, J. E.; FITZHUGH JUNIOR, H. A.; CARTWRIGTH, T. C. A comparison of nonlinear models for describing weight age relationships in cattle. Journal of Animal Science, v. 42, n. 4, p. 810-818, 1976.

CARNEIRO, P. L. S. et al. Curva de crescimento em caprinos, da raça Mambrina, criados na caatinga. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, v. 10, n. 3, p. 536-545. 2009.

CAVALCANTE, D. H. et al. Modelos não paramétricos para ajuste de curva de crescimento em caprinos Sem Raça Definida (SRD). Revista Acadêmica Ciências Agrárias, v. 11, n. 3, p. 283-289, 2013.

COSTA, V. M. M. et al. Controle das parasitoses gastrintestinais em ovinos e caprinos na região semiárida do Nordeste do Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira, v. 31, n. 1, p. 65-71, 2011.

FIGUEIREDO FILHO, L. A. S. et al. Fatores ambientais e genéticos sobre a curva de crescimento de caprinos mestiços. Comunicata Scientiae, v. 3, n. 3, p. 154-161, 2012.

FREITAS, A. R. Curvas de crescimento na produção animal. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 34, n. 3, p. 786-795, 2005.

GONÇALVES, T. M.; et al. Curva de crescimento de fêmeas da raça Nelore e seus cruzamentos. Ciência e Agrotecnologia, v. 35, n. 3, p. 582-590. 2011.

GUEDES, M. H. P. et al. Estudo das curvas de crescimento de cordeiros das raças Santa Inês e Bergamácia considerando heterogeneidade de variâncias. Ciência e Agrotecnologia, v. 28, n. 2, p. 381-388, 2004.

HARTLEY, H. O. The modified Gauss-Newton method for the fitting of non-linear regression functions by least squares. Thechnometrics, v. 3, n. 2, p. 269-280, 1961.

HOSSEIN-ZADEH, N. V. Modeling the growth curve of Iranian Shall sheep using non-linear growth models. Small Ruminant Research, v. 130, n. 1, p. 60–66. 2015.

MALHADO, C. H. M. et al. Curvas de crescimento para caprinos da raça Anglo-Nubiana criados na caatinga: rebanho de elite e comercial. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, v. 9, n. 4, p. 662-671, 2008.

MALHADO, C. H. M. et al. Growth curves in Dorper sheep crossed with the local Brazilian breeds, Morada Nova, Rabo Largo, and Santa Inês. Small Ruminant Research, v. 84, n. 1-3, p. 16-21, 2009.

MENDES, P. N. et al. Modelo logístico difásico no estudo do crescimento de fêmeas da raça Hereford. Ciência Rural, v. 38, n. 7, p. 1984-1990, 2008.

MOTA, L. F. M. et al. Divergência morfométrica em bovinos Nelore em crescimento classificados para diferentes classes de Frame Size. Revista Caatinga, v. 28, n. 2, p. 117–125, 2015.

OLIVEIRA, D. F. et al. Desenvolvimento ponderal e características de crescimento de caprinos da raça Anglonubiana criados em sistema semi-intensivo. Revista Brasileira Saúde Produção Animal, v. 10, n. 2, p. 256-265, 2009.

OLIVEIRA, H. N.; LÔBO, R. B.; PEREIRA, C. S. Comparação de modelos não-lineares para descrever o crescimento de fêmeas da raça Guzerá. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 35, n. 9, p. 1843-1851, 2000.

OWENS, F. N.; DUBESKI, P.; HANSON, C. F. Factors that alter the growth and development of ruminants. Journal of Animal Science, v. 71, n. 11, p. 3138-3150. 1993.

PACHECO, A. et al. Medidas morfométricas de touros jovens e adultos da raça Guzerá. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, v. 9, n. 3, p. 426-435. 2008.

SARMENTO, J.L.R. et al. Estudo da curva de crescimento de ovinos Santa Inês. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 35, n. 2, p. 435-442, 2006.

SILVA, F. L. et al. Curvas de crescimento em vacas de corte de diferentes tipos biológicos. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 46, n. 3, p. 262-271. 2011.

SILVA, L. S. A. et al. Growth curve in Santa Ines sheep. Small Ruminant Research, v. 105, n. 1-3, p. 182-185, 2012.

SOUZA, L. A. et al. Traditional and alternative non linear models for estimating the growth of Morada Nova sheep. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 42, n. 9, p. 651–655. 2013.

SOUZA, L. A. et al. Curvas de crescimento em ovinos da raça Morada nova criados no estado da Bahia. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 40, n. 8, p. 1700-1705. 2011.

TEIXEIRA NETO, M. R. et al. Parâmetros populacionais da raça ovina Santa Inês no Brasil. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 48, n. 12, p. 1589-1595, 2013.

TORAL, F. L. B. Número e intervalo de pesagem para estimação de parâmetros de curvas de crescimento em bovinos. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 37, n. 12, p. 2120-2128, 2008.

Publicado
01-04-2019
Seção
Zootecnia