CRESCIMENTO E RENDIMENTO DE TRIGO EM RESPOSTA AO VIGOR DE SEMENTES E DENSIDADES DE SEMEADURA

Palavras-chave: População de plantas. Qualidade de sementes. Produtividade de grãos. Triticum aestivum L..

Resumo

Na cultura do trigo, frequentemente, observa-se que o estabelecimento do número de plantas por área é inferior ao de sementes viáveis utilizadas, o que pode estar relacionado tanto a condições do ambiente quanto ao vigor de sementes. O objetivo foi avaliar o efeito do nível de vigor de sementes, em diferentes densidades de semeadura, sobre o crescimento, o desenvolvimento e o rendimento de grãos em cultivares de trigo. Os experimentos foram conduzidos em Londrina e Ponta Grossa, PR, Brasil, sob o delineamento experimental de blocos casualizados, em esquema fatorial 2 x 2 x 3, com quatro repetições. Foram avaliados dois níveis de vigor de sementes (alto e baixo), duas densidades de semeadura (200 e 400 sementes viáveis por m2) e três cultivares de trigo (BRS Sabiá, BRS Gaivota e BRS Gralha Azul). Para avaliação do crescimento e desenvolvimento foram realizadas coletas de plantas nos estádios fenológicos de desenvolvimento da plântula, alongamento do colmo, emborrachamento e emergência da inflorescência. As avaliações efetuadas foram: emergência de plântulas, altura e massa seca da parte aérea de plantas e produtividade de grãos. A densidade de semeadura de 200 sementes por m2 acarreta maior produção de massa seca da parte aérea por planta nos estádios de emborrachamento e emergência da inflorescência. Em Londrina, a cultivar BRS Sabiá e, em Ponta Grossa, a BRS Sabiá e a BRS Gralha Azul apresentam maiores produtividades de grãos. Sementes de alto vigor favorecem o estabelecimento do estande, o crescimento e o desenvolvimento das plantas nos estádios fenológicos iniciais e a produtividade de grãos de trigo.

Referências

ABATI, J. et al. Seed vigor and amount of soybean straw on seedling emergence and productive performance of wheat. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 38, n. 4, p. 2179-2186, 2017.

ALVARENGA, C. B.; SOARES SOBRINHO, J. S.; SANTOS, E. M. Comportamento de cultivares de trigo em diferentes densidades de semeadura sob irrigação indicadas para a região do Brasil Central. Bioscience Journal, Umuarama, v. 25, n. 5, p. 98-107, 2009.

ARGENTA, G.; SILVA, P. R. F.; SANGOI, L. Arranjo de plantas em milho: análise do estado da arte. Ciência Rural, Santa Maria, v. 31, n. 6, p. 1075-1084, 2001.

BARBIERI, A. P. P. et al. Redução populacional de trigo no rendimento e na qualidade fisiológica das sementes. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 44, n. 4, p. 724-731, 2013.

BARNARD, A.; CALITZ, F. J. The effect of poor quality seed and various levels of grading factors on the germination, emergence and yield of wheat. South African Journal of Plant and Soil, London, v. 28, n. 1, p. 23-33, 2013.

BEWLEY, J. D. et al. Seeds: physiology of development, germination and dormancy. 3. ed. Springer, 2013. 407 p.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília: Mapa/ACS, 2009. 398 p.

COVENTRY, D. R. et al. Wheat quality and productivity as affected by varieties and sowing time in Haryana, India. Field Crops Research, Toronto, v. 123, n. 3, p. 214-225, 2011.

DESTRO, D. et al. Main stem and tiller contribution to wheat cultivars yield under different irrigation regimes. Brazilian Archives of Biology and Technology, Curitiba, v. 44, n. 4, p. 325-330, 2001.

DOURADO NETO, D. et al. Efeito da população de plantas e do espaçamento sobre a produtividade de milho. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, Sete Lagoas, v. 2, n. 3, p. 63-77, 2003.

FIOREZE, S. L.; RODRIGUES, J. D. Componentes produtivos do trigo afetados pela densidade de semeadura e aplicação de regulador vegetal. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 35, n. 1, 39-54, 2014.

FINCH-SAVAGE, W. E.; BASSEL, G. W. Seed vigour and crop establishment: extending performance beyond adaptation. Journal of Experimental Botany, Colchester, v. 67, n. 3, p. 567-591, 2015.

HENNING, F. A. et al. Composição química e mobilização de reservas em sementes de soja de alto e baixo vigor. Bragantia, Campinas, v. 69, n. 3, p. 727-734, 2010.

LIU, S. et al. Modeling the spatial distribution of plants on the row for wheat crops: Consequences on the green fraction at the canopy level. Computers and Electronics in Agriculture, Toronto, v. 136, s/n., p. 147-156, 2017.

LUDWIG, M. P. et al. Desempenho de sementes e plantas de milho híbrido originadas de lotes de sementes com alta e baixa qualidade fisiológica. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, Sete Lagoas, v. 8, n. 1, p. 83-92, 2009.

MARCOS FILHO, J. Importância do potencial fisiológico da semente de soja. Informativo Abrates, Londrina, v. 23, n. 1, p. 21-24, 2013.

MARCOS FILHO, J. Seed vigor testing: an overview of the past, present and future perspective. Scientia Agricola, Piracicaba, v. 72, n. 4, p. 363-374, 2015.

MELO, P. T. B. S. et al. Comportamento individual de plantas originadas de sementes com diferentes níveis de qualidade fisiológica em populações de arroz irrigado. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 28, n. 2, p. 84-94, 2006.

MIELEZRSKI, F. et al. Desempenho em campo de plantas isoladas de arroz híbrido em função da qualidade fisiológica das sementes. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 30, n. 3, p. 139-144, 2008.

MONDO, V. H. V. et al. Vigor de sementes e desempenho de plantas de milho. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 34, n. 1, p. 143-155, 2012.

MONDO, V. H. V. et al. Seed vigor and initial growth of corn crop. Journal of Seed Science, Londrina, v. 35, n. 1, p. 64-69, 2013.

MONDO, V. H. V.; NASCENTE, A. S.; CARDOSO-NETO, M. O. Common bean seed vigor affecting crop grain yield. Journal of Seed Science, Londrina, v. 38, n. 4, p. 365-370, 2016.

NAKAGAWA, J. Teste de vigor baseados no desempenho das plântulas. In: KRZYZANOWSKI, F. C.; VIEIRA, R. D.; FRANÇA NETO, J. B. (Eds.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. v. 1, cap. 2, p. 20-31.

PANOZZO, L. E. et al. Comportamento de plantas de soja originadas de sementes de diferentes níveis de qualidade fisiológica. Revista de FZVA, Porto Alegre, v. 16, n. 1, p. 32-41, 2009.

POPINIGIS, F. Fisiologia da semente. 1. ed. Brasília, DF: AGIPLAN, 1977. 289 p.

REUNIÃO DA COMISSÃO BRASILEIRA DE PESQUISA DE TRIGO E TRITICALE – RCBPTT. Informações técnicas para trigo e triticale – safra 2015. Canela, RS: Embrapa Trigo, 2014. 230 p.

RISSINI, A. L. L.; KAWAKAMI, J.; GENÚ, A. M. Índice de vegetação por diferença normalizada e produtividade de cultivares de trigo submetidas a doses de nitrogênio. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 39, n. 6, p. 1703-1713, 2015.

SBRUSSI, C. A.; ZUCARELI, C. Germinação de sementes de milho com diferentes níveis de vigor em resposta à diferentes temperaturas. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 25, n. 1, p. 215-226, 2014.

SCHUCH, L. O. B. et al. Emergência no campo e crescimento inicial de aveia preta em resposta ao vigor das sementes. Revista Brasileira de Agrociência, Pelotas, v. 6, n. 2, p. 97-101, 2000.

SCHUCH, L. O. B.; KOLCHINSKI, E. M.; FINATTO, J. A. Qualidade fisiológica da semente e desempenho de plantas isoladas em soja. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 31, n. 1, p. 144-149, 2009.

SILVEIRA, G. et al. Efeito da densidade de semeadura e potencial de afilhamento sobre a adaptabilidade e estabilidade em trigo. Bragantia, Campinas, v. 69, n. 1, p. 63-70, 2010.

TAVARES, L. C. et al. Desempenho de sementes de soja sob deficiência hídrica: rendimento e qualidade fisiológica da geração F1. Ciência Rural, Santa Maria, v. 43, n. 8, p. 1357-1363, 2013.

TAVARES, L. C. V. et al. Genótipos de trigo em diferentes densidades de semeadura. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 44, n. 2, p. 166-174, 2014.

TRINDADE, M. G. et al. Nitrogênio e água como fatores da produtividade do trigo no cerrado. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 10, n. 1, p. 24-29, 2006.

TOLEDO, M. Z. et al. Qualidade fisiológica e armazenamento de sementes de feijão em função da aplicação tardia de nitrogênio em cobertura. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 39, n. 2, p. 124-133, 2009.

VALÉRIO, I. P. et al. Desenvolvimento de afilhos e componentes do rendimento em genótipos de trigo sob diferentes densidades de semeadura. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 43, n. 3, p. 319-326, 2008.

ZADOCKS, J. C.; CHANG, T. T.; KONZAK, C. F. A decimal code for the growth stages of cereals. Weed Research, Chichester, v. 14, n. 6, p. 415-421, 1974.

Publicado
17-10-2018
Seção
Agronomia