MORFOLOGIA E PRODUÇÃO DE ACEROLEIRA IRRIGADA COM ÁGUAS SALINAS SOB COMBINAÇÕES DE ADUBAÇÃO NITROGENADA-POTÁSSICA

Palavras-chave: Malpighia emarginata D. C. Salinidade. Adubação mineral.

Resumo

O manejo da adubação tem sido uma das tecnologias estudadas no propósito de diminuir o desequilíbrio nutricional nas plantas submetidas ao estresse salino. Neste sentido, objetivou-se com a pesquisa, analisar o efeito da combinação de adubação nitrogenada e potássica sobre a morfologia e produção da aceroleira irrigada com águas salinas no primeiro ano de cultivo. O experimento foi conduzido no CCTA/UFCG, em lisímetros de 60 L instalados em campo, em delineamento de blocos ao acaso e esquema fatorial 5 x 4, referentes a cinco níveis de salinidade da água de irrigação (CEa): 0,3; 1,3; 2,3; 3,3 e 4,3 dS m-1 e quatro combinações (C) de adubação nitrogenada-potássica:  C1 = 70% N + 50% K2O; C2 = 100% N + 75% K2O; C3 = 130% N + 100% K2O e C4 = 160% N + 125% K2O da dose recomendada para aceroleira, com três repetições e uma planta por parcela constituída de um lisímetro. Estudou-se a cv. Flor Branca enxertada sobre porta-enxerto da cv. Junco. A combinação de adubação com 70% N + 50% K2O promoveu maiores valores das variáveis morfológicas e de produção e, mitigou o efeito da salinidade sobre diâmetro de fruto até a CEa de 1,3 dS m-1. A adubação nitrogenada-potássica a partir da combinação de 130% N + 100% K2O prejudicaram a morfologia e a produção das plantas. A CEa acima de 0,3 dS m-1 diminuiu o diâmetro de caule, o tamanho e peso médio de frutos da aceroleira no primeiro ano de cultivo.

Referências

ALMEIDA, D. M.; OLIVEIRA, M. M.; SAIBO, N. J. M. Regulation of Na+ and K+ homeostasis in plants: Towards improved salt stress tolerance in crop plants. Genetics and Molecular Biology, v. 40, n. 1, p. 326–345, 2017.

ALVARENGA, C. F. S. et al. Morfofisiologia de aceroleira irrigada com águas salinas sob combinações de doses de nitrogênio e potássio. Revista de Ciências Agrárias, v. 42, n. 1, p. 194-205, 2019.

ANDRADE JÚNIOR, W. P. et al. Efeito do nitrato de potássio na redução do estresse salino no meloeiro. Revista Caatinga, v. 24, n. 3, p. 110-119, 2011.

ASHRAF, M. et al. Nitrogen nutrition and adaptation of glycophytes to saline environment: A review. Archives of Agronomy and Soil Science, v. 64, n. 9, p. 1181-1206, 2018.

BATISTA, K.; MONTEIRO, F. A. Variações nos teores de potássio, cálcio e magnésio em capim-Marandu adubado com doses de nitrogênio e de enxofre. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 34, n. 1, p. 151-161, 2010.

BORGES, A. L.; SILVA, D. J. Fertilizantes para fertirrigação. In: SOUSA, V. F. et al. (Eds.). Irrigação e fertirrigação em fruteiras e hortaliças. 1. ed. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2011. cap. 7, p. 253-264.

BYRT, C. S. et al. Root cell wall solutions for crop plants in saline soils. Plant Science, v. 269, n. 1, p. 47-55, 2018.

CALGARO, M.; BRAGA, M. B. A cultura da acerola. 3. ed. Brasília, DF : Embrapa, 2012. 144 p. (Coleção Plantar, 69).

CAVALCANTI, F. J. A. Recomendações de adubação para o Estado de Pernambuco: 2ª. aproximação. 3. ed. Recife, PE: IPA, 2008. 212 p.

FERREIRA, D. F. Sisvar: A guide for its bootstrap procedures in multiple comparisons. Ciência e Agrotecnologia, v. 38, n. 2, p. 109-112, 2014.

GURGEL, M. T.; GHEYI, H. R.; OLIVEIRA, F. H. T. Acúmulo de matéria seca e nutrientes em meloeiro produzido sob estresse salino e doses de potássio. Revista Ciência Agronômica, v. 41, n. 1, p. 18-28, 2010.

HOLANDA, J. S. et al. Qualidade da água para irrigação. In: GHEYI, H. R. et al. (Eds.). Manejo da salinidade na agricultura: estudos básicos e aplicados. 2. ed. Fortaleza: INCTSal, 2016. cap. 4, p. 35-50.

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA - INMET. Estações e dados. Disponível em:<http://www.inmet.gov.br/portal/index.php?r=estacoes/estacoesAutomaticas>. Acesso em: 03 Abr. 2018.

INTHICHACK, P.; NISHIMURA, Y.; FUKUMOTO, Y. Effect of potassium sources and rates on plant growth, mineral absorption and the incidence of tip burn in cabbage, celery, and lettuce. Horticulture, Environment and Biotechnology, v. 53, n. 2, p. 135-142, 2012.

LI, H. et al. Histone acetylation associated up-regulation of the cell wall related genes is involved in salt stress induced maize root swelling. BMC Plant Biology, v. 14, n. 105, p. 1-14, 2014.

LIMA, G. S. et al. Growth and production components of West Indian cherry cultivated with saline waters and potassium fertilization. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 23, n. 4, p. 250-256, 2019.

MARSCHNER, H. Mineral nutrition of higher plants. 3. ed. New York: Academic Press, 2011. 672 p.

MORAIS, E. R. C.; MAIA, C. E.; OLIVEIRA, M. Qualidade da água para irrigação em amostras analíticas do banco de dados do Departamento de Solos e Geologia da Escola Superior de Agricultura de Mossoró. Revista Caatinga, v. 11, n. 1/2, p. 75-83, 1998.

MUNNS, R.; TESTER, M. Mechanisms of salinity tolerance. Annual Reviews of Plant Biology, v. 59, n. 1, p. 651-681, 2008.

PORTELLA, C. R. et al. Desempenho de cultivares de citros enxertadas sobre o trifoliateiro ‘Flying Dragon’ e limoeiro ‘Cravo’ em fase de formação do pomar. Bragantia, v. 75, n. 1, p. 70-75, 2016.

PROSEUS, T. E.; BOYER, J. S. Pectate chemistry links cell expansion to wall deposition in Chara corallina. Plant Signaling & Behavior, v. 7, n. 11, p. 1490–1492, 2012.

ROY, S.; NEGRÃO, S.; TESTER, M. Salt resistant crop plants. Current Opinion in Biotechnology, v. 26, s/n., p. 115–124, 2014.

SÁ, F. V. S. et al. Ecophysiology of West Indian cherry irrigated with saline water under phosphorus and nitrogen doses. Bioscience Journal, v. 35, n. 1, p. 211-221, 2019.

SILVA, E. M. et al. Níveis de salinidade e manejo da fertirrigação sobre características da berinjela cultivada em ambiente protegido. Revista Ciência Agronômica, v. 44, n. 1, p. 150-158, 2013.

SILVA, E. M. et al. Growth and gas exchanges in soursop under irrigation with saline water and nitrogen sources. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 22, n. 11, p. 776-781, 2018.

SILVA JUNIOR, L. G. A.; GHEYI, H. R.; MEDEIROS, J. F. Composição química de águas do cristalino do Nordeste Brasileiro. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 3, n. 1, p. 11-17, 1999.

SOUZA, F. F. et al. Contribuições das pesquisas realizadas na Embrapa Semiárido para a cultura da aceroleira. 1. ed. Petrolina, PE: Embrapa Semiárido, 2017. 26 p. (Embrapa Semiárido. Documentos, 282).

TAIZ, L. et al. Fisiologia e desenvolvimento vegetal. 6. ed. Porto Alegre, RS: Artmed, 2017. 858 p.

WILLADINO, L.; CAMARA, T. R. Tolerância das plantas à salinidade: aspectos fisiológicos e bioquímicos. Enciclopédia Biosfera, v. 6, n. 11; p. 1-23, 2010.

Publicado
2019-11-19
Seção
Engenharia Agrícola