VARIABILIDADE ESPACIAL DA RESISTÊNCIA A PENETRAÇÃO EM SOLO SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE COLHEITA DE CANA-DE-AÇÚCAR

Palavras-chave: Compactação do solo. Tráfego controlado. Geoestatística.

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar a variabilidade espacial da resistência a penetração em solo sob diferentes condições de colheita de cana-de-açúcar na microrregião do Litoral Norte paraibano. O estudo foi realizado em Argissolo Acinzentado cultivado com cana-de-açúcar, nas fazendas Santa Emília II e Maria da Luz I, pertencentes à Usina Miriri e Bioenergia S/A, nos municípios de Rio Tinto e Capim, estado da Paraíba no Brasil. Selecionou-se três áreas: Colheita manual; Colheita mecanizada e; Colheita manual e mecanizada. As coletas se procederam em parcelas de 100 x 100 m, sob grid de amostragem de 20 x 20 m, contemplando linhas e entrelinhas de plantio, sendo cada ponto de cruzamento da malha amostral georreferenciado, e levantada a sua resistência mecânica à penetração com auxílio de um penetrômetro de impacto modelo IAA/Planausucar-Stolf na profundidade de 0-0,6 m. Foi procedida coleta de amostra deformadas e indeformadas nas profundidade de 0-0,1 e 0,1-0,2 m para análises das seguintes variáveis: Umidade do solo, Textura, Argila dispersa em água, Grau de floculação. Observou-se efeito pepita puro nas camadas de 0-0,1 e 0,4-0,5 m na linha da área de colheita manual e mecanizada. Na maioria das condições analisadas constatou-se o modelo esférico. Os alcances foram semelhantes para áreas, com amplitude de 25 a 49 m, indicando que o manejo de colheita, no período estudado, não exerceu influência para a resistência à penetração. Não foram observadas áreas compactadas e a dependência espacial da resistência à penetração foi caracterizada como moderada a forte.

 

Referências

BRAUNACK, M. V. et al. Effect of harvest traffic position on soil conditions and sugarcane (Saccharum officinarum) response to environmental conditions in Queensland, Australia. Soil and Tillage Research, 89: 103-121, 2006.

CANCIAN, L. C. Variabilidade espacial da resistência a penetração, granulometria e umidade do solo. 2015. 59 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia: Área de concentração em Ciência do Solo), Universidade Federal de Santa Maria, FredericoWestphalen, 2015.

CARVALHO FILHO, A. et al. Compactação do solo em cafeicultura irrigada. Uberaba, MG: UNIUBE, 2004. 44 p.

CASTRO, A. N. C. et al. Avaliação de atributos físicos do solo em diferentes anos de cultivo de cana-de-açúcar. Revista Agrarian, 6: 415-422. 2013.

CAVALIERI, K. M. V. et al. Qualidade física de três solos sob colheita mecanizada de cana-de-açúcar. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 35: 1541-1550, 2011.

COELHO, D. S. et al. Variabilidade espacial da resistência mecânica à penetração em Vertissolo cultivado com manga no perímetro irrigado de Mandacaru, Juazeiro, Bahia, Brasil. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 36: 755-764, 2012.

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO - CONAB. Acompanhamento da Safra Brasileira de Cana-de-Açúcar: quarto levantamento. safra 2017/2018. Brasília: CONAB. 2017. 62 p. Disponível em: <http://www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads/arquivos/17_04_20_14_04_31_boletim_cana_portugues_-_1o_lev_-_17-18.pdf>. Acesso em: 30 maio 2017.

CRESSIE, N. A. C. Statistics for spatial data. New York, NY: John Wiley, 1991. 900 p.

DALCHIAVON, F. C; CARVALHO, M. P. Correlação linear e espacial dos componentes de produção e produtividade da soja. Semina: Ciências Agrárias, 33: 541-552, 2012.

FAO. FAOSTATS. Agricultura - Divisão de Estatísticas da FAO. 2014. Disponível em: <http://faostat.fao.org/site/339/default.aspx>. Acesso em: 20 abr. 2017.

GEE, G. W.; BAUDER, J. W. Particle-size analysis. In: KLUTE, A. Methods of soil analysis. American Society of Agronomy, 1: 383-411, 1986.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Malha Municipal: Municípios da Paraíba. 2013. Disponível em: <http://downloads.ibge.gov.br/downloads_geociencias.htm>. Acesso em: 30 jul. 2017.

LIMA, R. P. et al. Compactação do solo de diferentes classes texturais em áreas de produção de cana-de-açúcar. Revista Ceres, 60: 16-20, 2013.

MION, R. L. et al. Variabilidade espacial da porosidade total, umidade e resistência do solo à penetração de um Argissolo Amarelo. Semina: Ciência Agrárias, 33: 2057-2066, 2012.

OLIVEIRA, I. A. et al. Variabilidade espacial de atributos físicos em um Cambissolo Háplico, sob diferentes usos na região Sul do Amazonas. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 37: 1103-1112, 2013.

OTTO, R. et al. High soil penetration resistance reduces sugarcane root system development. Soil and Tillage Research, 117: 201-210, 2011.

SANTOS, H. G. et al. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 5. ed. Brasília, DF: Embrapa. 2018. 356 p.

SILVA, A. J. N.; CABEDA, M. S. V. Compactação e compressibilidade do solo sob sistemas de manejo e níveis de umidade. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 30: 921-930, 2006.

SOUZA, Z. M. et al. Spatial variability of the physical and mineralogical properties of the soil from the areas with variation in landscape shapes. Brazilian Archives of Biology and Technology, 52: 305-316, 2009.

TEIXEIRA, P. C. et al. Manual de métodos de análise de solos. 3.ed. Rio de Janeiro, RJ: Embrapa Solos. 2017. 573 p.

WARRICK, A. W.; NIELSEN, D. R. Spatial variability of soil physical properties in the field. In: HILLEL, D. (Ed.). Applications of Soil Physics. New York, NY: Academic Press, 1980. v. 1, cap. 2, p. 319-344.

Publicado
2020-05-22
Seção
Engenharia Agrícola