TESTE DO pH DO EXSUDATO EM SEMENTES DE ARROZ

Palavras-chave: Oryza sativa. Qualidade fisiológica. Vigor.

Resumo

O trabalho objetivou avaliar a eficiência do teste de pH do exsudato na qualidade fisiológica de sementes de arroz, com e sem tegumento. Para o teste, o delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com sete lotes de arroz e quatro repetições. Os lotes foram submetidos a determinação do teor de água e avaliação da qualidade fisiológica inicial por meio dos testes de germinação, primeira contagem de germinação, emergência, índice de velocidade de emergência e tetrazólio. O teste de pH do exsudato foi conduzido com 100 sementes de cada tratamento, com tegumento e sem tegumento. As sementes foram embebidas individualmente em 2,0 mL de água destilada, por diferentes períodos (20, 40 e 60 minutos) e três temperaturas (20, 25 e 30 °C). Os resultados foram submetidos ao teste de Scott Knott a 5% de probabilidade. O teste do pH do exsudato é promissor para avaliar a qualidade fisiológica de sementes de arroz, detectando diferenças de vigor entre lotes comercializáveis. Este teste deve ser conduzido com sementes de arroz sem tegumento, na temperatura de 25 °C, com tempo de embebição de 60 minutos.

Referências

BARBOZA, V. R. S. et al. Potencial fisiológico de sementes de Guazuma ulmifolia Lam. através do teste do pH do exsudato. Enciclopédia Biosfera, v. 10, n. 18, p. 2327-2335, 2014.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília, DF: MAPA/ ACS, 2009. 395 p.

CABRERA, A. C.; PESKE, S. T. Testes do pH do exsudato para sementes de milho. Revista Brasileira de Sementes, v. 24, n. 1, p. 134-140, 2002.

HILST, P. C. et al. Test of exudates color hues for evaluating the physiological potential of coffee (Coffea arabica L.) seeds. Revista Brasileira de Sementes, v. 34, n. 2, p. 212-217, 2012.

ILBI, H.; KAVAK, S.; ESER, B. Cool germination test can be an alternative vigour test for maize. Seed Science and Technology, v. 37, n. 2, p. 516-519, 2009.

LOPES, M. M.; SILVA, C. B.; VIEIRA, R. D. Physiological potential of eggplant seeds. Journal of Seed Science, v. 35, n. 2, p. 225-230, 2013.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, v. 2, n. 1, p. 176-177, 1962.

MARCOS FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. 2. ed. Londrina, PR: ABRATES, 2015. 660 p.

MATOS, J. M. M; MARTINS, R. C. C; MARTINS, I. S. Caracterização do teste de pH de exsudato pelo métodos individual para avaliação da viabilidade de sementes de Copaifera langsdorffi Desf. Heringeriana, v. 3, n. 1, p. 91-97, 2009.

MURCIA, M. L.; CROVO, V. E.; CLEMENTE, N. L. Prueba colorimétrica de pH de exudados para la evaluación de la calidad de semillas de arveja (Pisum sativum) de la zona hortícola de Mar del Plata. Revista de la Facultad de Agronomía, v. 117, n. 1, p. 171-174, 2018.

PESKE, S. T.; AMARAL, A. S. pH of seed exudate as a rapid physiological quality test. Seed Science and Technology, v. 22, n. 3, p. 641-644, 1994.

RAMOS, K. M. O. et al. Electrical conductivity testing as applied to the assessment of freshly collected Kielmeyera coriacea Mart. seeds. International Scholarly Research Notices Agronomy, v. 2012, s/n., p. 1-5, 2012.

SANTOS, J. F. et al. Avaliação do potencial fisiológico de lotes de sementes de soja. Revista Brasileira de Sementes, v. 33, n. 4, p. 743-751, 2011.

THEODORO, J. V. C. et al. Exudate pH and flooding tests to evaluate the physiological quality of soybean seeds. Revista Caatinga, v. 31, n. 3, p. 667-673, 2018.

Publicado
2019-11-19
Seção
Agronomia