DESEMPENHO AGRONÔMICO E EFICIÊNCIA DE USO DA ÁGUA EM CULTIVARES DE PALMA FORRAGEIRA IRRIGADA

Palavras-chave: Opuntia fícus-indica mill.. Nopalea cochenillifera salm-dyck. Rendimento agronômico. Regime hídrico.

Resumo

A palma forrageira é uma alternativa para alimentação animal na região semiárida, sendo possível aprimorar suas características produtivas com um mínimo de irrigação. Objetivou-se analisar o desempenho agronômico e a eficiência de uso da água (EUA) de duas cultivares de palma forrageira submetidas a diferentes níveis de irrigação, bem como definir qual o melhor material genético para condições irrigadas no semiárido mineiro. O experimento foi conduzido em Montalvânia-MG durante um ano (2017-2018) envolvendo seis tratamentos de lâminas de irrigação correspondentes a frações da evapotranspiração de referência (ET0) (T1, sem irrigação; T2, 15%; T3, 30%; T4, 45%; T5, 60% e, T6, 75% da ET0) e dois materiais genéticos (Gigante - Opuntia fícus-indica Mill. e Miúda - Nopalea cochenillifera Salm-Dyck). Utilizou-se o delineamento em blocos casualizados em esquema de parcelas subdivididas, em que as parcelas foram os tratamentos de irrigação e as subparcelas foram os materiais genéticos, com quatro repetições. A partir do terceiro mês após o plantio e durante um ciclo de cultivo efetuaram-se as avaliações de crescimento e, na colheita foram avaliadas as variáveis de produção e a EUA. Constatou-se que as lâminas de irrigação influenciaram significativamente (p<0,05) as variáveis de crescimento. As lâminas de 40 a 50% da ET0 proporcionaram maior produtividade de matéria verde e matéria seca e a cultivar Miúda superou a ‘Gigante’. A EUA foi influenciada pelas lâminas de irrigação, sendo a cultivar Miúda a melhor opção para o cultivo.

 

Referências

ADAMI, M. et al. Estimativa de área de folíolos de soja usando imagens digitais e dimensões foliares.Bragantia, 67: 1053-1058, 2008.

ALLEN, R. G. et al. Evapotranspiracióndel cultivo: guías para ladeterminación de losrequerimientos de agua de los cultivos. Roma: FAO, v. 298, 2006.

ALVARES, C. A. et al. Köppen's climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, 22: 711–728, 2013.

AZEVEDO, C. F. et al. Morfoanatomia vegetativa de Opuntia brasiliensis (Willd) Haw. Ambiência, 9: 73-82, 2013.

AMORIM, A. M. et al. Phenophases and cutting time of forage cactus under irrigation and cropping systems. Pesquisa Agropecuária Tropical, 47: 62-71, 2017.

ARAÚJO JÚNIOR, G. N. et al. Estresse hídrico em plantas forrageiras: Uma revisão. Pubvet, 13: 1-10, 2019.

BAJGAIN, R. et al. Biomass production and yield of soybean grown under converted paddy fields with excess water during the early growth stage. Field Crops Research, 180: 221-227, 2015.

CARVALHO, A. A. et al. Soil moisture in forage cactus plantationswith improvement practices for their resilience. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 21: 481-487, 2017.

CARVALHO, D. F.; OLIVEIRA, A. D.; PEREIRA, J. B. A. Ajuste de modelos para estimativa do índice de área foliar e acúmulo de biomassa do pimentão em função de graus-dias. Semina: Ciências Agrárias, 32: 971-982, 2011.

CAVALCANTE, L. A. D. et al. Respostas de genótipos de palma forrageira a diferentes densidades de cultivo. Pesquisa Agropecuária Tropical,44: 424-433, 2014.

CEPEDA, R. D. V. et al. Fruit weight and number of fruits per cladode depend on fruiting cladode fresh and dry weight in Opuntiaficus-indica(L.) Miller variety ‘Rojopelón’. Scientia Horticulturae, 161: 165-169, 2013.

CONSOLI, S.; INGLESE, G.; INGLESE, P. Determination of evapotranspiration and annual biomass productivity of a cactus pear (Opuntiaficus-indicaL. (Mill.) orchard in a Semi-arid Environment. Journal of Irrigation and Drainage Engineering, 139: 680-690, 2013.

CRUZ NETO, J. F. et al. Aplicabilidade de indicadores agrometeorológicos para análise do incremento de água por irrigação em sistemas de produção da palma forrageira, cv. Miúda. Journal of Environmental Analysis and Progress, 2: 98-106, 2017.

DONATO, S. L. R. et al. Diagnóstico nutricional e recomendação de adubação da palma forrageira ‘gigante’. Informe Agropecuário, 38: 46-58, 2017.

DUBEUX JUNIOR, J. C. B. et al. Productivity of Opuntia ficus-indica (L.) Miller under different N and P fertilization and plant population in north-east Brazil. Journal of Arid Environments, 67: 357-372, 2006.

FERREIRA, D. F. Sivar: a guide for its bootstrap procedures in multiple comparisons. Ciência e Agrotecnologia, 38: 108-112, 2014.

HARGREAVES, G. H.; SAMANI, Z. A. ReferenceCropEvapotranspirationfromTemperature. Applied Engineering in Agriculture, 1: 96–99, 1985.

LIMA, G. F. C. et al. Morphological characteristics and forage productivity of irrigated cactus pear under different cutting intensities. Revista Caatinga, 29: 481-488, 2016.

MANTOVANI, E. C. et al. Irrigação: princípios e métodos. 3 ed. Viçosa, MG: Ed. UFV, 2009. 355 p.

MARTIN, J. D. et al. Irrigação deficitária para aumentar a produtividade da água na produção de silagem de milho. Irriga, 1: 192-205, 2012.

MARQUES, O. F. C. et al. Palma forrageira: cultivo e utilização na alimentação de bovinos. Caderno Ciências Agrárias, 9: 75-93, 2017.

NOBEL, P. S. Biologia ambiental. In: BARBERA, G.; INGLESE, P. Agroecologia, cultivo e usos da palma forrageira. João Pessoa, PB: SEBRAE/PB, 2001. p. 36-48.

OLIVEIRA, F. T. et al. Palma forrageira: Adaptação e importância para os ecossistemas áridos e semiáridos. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, 5: 27-37, 2010.

OLIVEIRA JÚNIOR, S. et al. Crescimento vegetativo da palma forrageira (Opuntia fícus-indica) em função do espaçamento no Semiárido paraibano. Tecnologia & Ciência Agropecuária, 3: 7-12, 2009.

PINTO, M. S. C. et al. Estimativa do peso da palma forrageira (Opuntia fícus-indica, Mill.) a partir de medidas dos cladódios. In: Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 39., 2002, Recife. Anais... Recife: SBZ, 2002. p. 54-64.

PEREIRA, P. C. et al. Morfogênese da palma forrageira irrigada por gotejamento. Revista Caatinga, 28: 184-195, 2015.

QUEIROZ, M. G. et al. Características morfofisiológicas e produtividade da palma forrageira em diferentes lâminas de irrigação. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 19: 931-938, 2015.

RAMOS, J. P. F. et al. Crescimento vegetativo de Opuntiaficus-indica em diferentes espaçamentos de plantio. Revista Caatinga, 24: 41-48, 2011.

RAMÍREZ-TOBIAS, H. M.; AGUIRRE-RIVERA, J. R.; PINOS-RODRIGUEZ, J. M. Productivity ofOpuntiassp. andNopaleasp. (Cactacea) growing under greenhouse hydroponics system. Journal of Food, Agriculture & Environment, 1: 660-665, 2010.

SANTOS, D. C. et al. Estratégias para uso de cactáceas em zonas Semiáridas: novas cultivares e uso sustentável das espécies nativas. Revista Científica de Produção Animal, 15: 111-121, 2013.

SILVA, J. A. et al. Cultivares e manejo da palma forrageira. Informe Agropecuário, 38: p. 34-45. 2017.

SILVA, L. M. et al. Produtividade da palma forrageira cultivada em diferentes densidades de plantio. Ciência Rural, 44: 2064-2071, 2014a.

SILVA, N. G. M. et al. Relação entre características morfológicas e produtivas de clones de palma-forrageira. Revista Brasileira de Zootecnia, 39: 2389-2397, 2010.

SILVA, T. G. F. et at. Indicadores de eficiência do uso da água e de nutrientes de clones de palma forrageira em condições de sequeiro no Semiárido brasileiro. Revista Bragantia, 73:184-191, 2014b.

SILVA, T. G. F. et al. Área do cladódio de clones de palma forrageira: modelagem, análise e aplicabilidade. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 9: 633-641, 2014c.

SILVA, T. G. F. et al. Crescimento e produtividade de clones de palma forrageira no semiárido e relações com variáveis meteorológicas. Revista Caatinga, 28: 10-18, 2015.

SOUZA, D. C. F. et al. Zoneamento agroclimático da palma forrageira (opuntia sp.) para o estado de Sergipe. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, 12: 2338-2347, 2018.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia e desenvolvimento vegetal. 6. ed. Porto Alegre, RS: Artmed, 2017. 819 p.

TEIXEIRA, P. C. et al. Manual de Métodos de Análise de Solo. 3. ed. Brasília, DF: EMBRAPA, 2017. 577 p.

VASCONCELOS, A. G. V. et al. Seleção de clones de palma forrageira resistentes à cochonilha-do-carmim (Dactylopius sp.). Revista Brasileira de Zootecnia, 38: 827-831, 2009.

ZEGBE, J. A.; PÉREZ, A. S.; COVARRUBIAS, J. M. Mineral nutrition enhances yield and affects fruit quality of ‘Cristalina’ cactus pear. Scientia Horticulturae, 167: 63-70, 2014.

Publicado
2020-05-22
Seção
Zootecnia