EFEITO DE TEMPERATURA E LUZ NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES E CRESCIMENTO DE PLÂNTULAS DE Swietenia macrophylla King

Palavras-chave: Mogno. Sementes florestais. Fotoperíodo.

Resumo

O significativo potencial econômico de Swietenia macrophylla tem causado redução intensa nas populações nativas, colocando em risco sua sobrevivência, exigindo assim, medidas para promover adequada avaliação do estado fisiológico das sementes, visando estabelecimento de um programa de qualidade de produção de mudas. Assim, o objetivo do presente estudo foi avaliar o efeito da temperatura e da luz sobre a germinação de sementes e o crescimento de plântulas de Swietenia macrophylla. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com dez tratamentos de quatro réplicas com 50 sementes, e constou de: temperaturas constantes de 23, 29, 35 e 41 °C, com fotoperíodo de 24 e 12 h de luz, e alternadas de 25-35 oC e 30-40 oC, com 12 h de luz. Avaliou-se o teor de água, germinação, índice de velocidade de germinação, diâmetro do coleto, comprimento de raiz e parte aérea, massa seca de raiz e parte aérea de plântulas. Germinação na temperatura de 41 oC é letal para sementes de S. macrophylla. O teste de germinação com temperatura constante de 29 oC sob 24 h de luz favorece o processo germinativo das sementes e o crescimento inicial das plântulas.

Referências

ALVES, M. M. et al. Germinação de sementes de Platymiscium floribundum vog. (Fabaceae) sob a influência da luz e temperaturas. Ciência Florestal, 26: 971-978, 2016.

BRAZIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Instruções para análise de sementes de espécies florestais. Brasília: MAPA/CGAL, 2013. 97 p.

CARVALHO, C. A., SILVA. J. B.; ALVES, C. Z. Envelhecimento acelerado em sementes de mogno. Revista Ciência Agronômica, 47: 691-699, 2016.

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 5. ed. Jaboticabal, SP: FUNEP, 2012. 590 p.

DIAS, P. D.; MARENCO, R. A. Fotossíntese e fotoinibição em mogno e acariquara em função da luminosidade e temperatura foliar. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 42: 305-311, 2007.

DUARTE, E. F. et al. Características físicas e germinação de sementes de Dyckia goehringii Gross & Rauh (Bromeliaceae) sob diferentes temperaturas. Pesquisa Agropecuária Tropical, 40: 422-429, 2010.

GUEDES, R. S.; ALVES, E. U. Substratos e temperaturas para o teste de germinação de sementes de Chorisia glaziovii (O. Kuntze). Cerne, 17: 525-531, 2011.

GUEDES, R. S. et al. Germinação de sementes de Dalbergia nigra (Vell.) Fr. All. Acta Scientiarum, 33: 445-450, 2011.

GOMES, J. I. et al. Conhecendo espécies de plantas da Amazônia: Mogno (Swietenia macrophylla King – Meliaceae). 1. ed .Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental, 2015. 7 p. (Comunicado técnico, 266).

LABOURIAU, L. G. A germinação das sementes. Washington: Secretaria da OEA, 1983. 173 p.

LARCHER, W. Ecofisiologia vegetal. 1. ed. São Carlos, SP: Rima, 2000. 531 p.

LIMA, C. R. et al. Temperaturas e substratos na germinação de sementes de Caesalpinia pyramidalis Tul. Journal of Seed Science, 33: 216-222, 2011.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, 2: 176-177, 1962.

MARCOS FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. 2. Ed. Londrina, PR: ABRATES, 2015. 660 p.

MONDO, V. H. V. et al. Efeito da luz e temperatura na germinação de sementes de quatro espécies de plantas daninhas do gênero Digitaria. Journal of Seed Science, 32: 131-137, 2010.

NAKAGAWA, J. Testes de vigor baseados no desempenho das plântulas. In: KRZYZANOWSKI, F. C.; VIEIRA, R. D.; FRANÇA NETO, J. B. (Eds.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. cap. 2, p. 1-24.

OLIVEIRA, A. K. M.; BARBOSA, L. A. Efeitos da temperatura na germinação de sementes e na formação de plântulas de Cedrela fissilis. Floresta, 44: 441 – 450, 2014.

OLIVEIRA, L. M.; DAVIDE, A. C.; CARVALHO, M. L. M. Teste de germinação de sementes de Peltophorum dubium (Sprengel) Taubert - Fabaceae. Floresta, 38: 545-551, 2008.

PACHECO, M. V. et al. Germinação de sementes de Apeiba tibourbou Aubl. em função de diferentes substratos e temperaturas. Scientia Forestalis, 73: 19-25, 2007.

PACHECO, M. V. et al. Germinação de sementes e crescimento inicial de plântulas de Tabebuia áurea (Silva Manso) Benth. & Hook f. ex S. Moore. Ciência Florestal, 18: 143-150, 2008.

PACHECO, M. V. et al. Germination and vigor of Dimorphandra mollis Benth. seeds under different temperatures and substrates. Revista Árvore, 34: 205-213, 2010.

PEREIRA, S. R. et al. Influência da temperatura na germinação de sementes de Peltophorum dubium (Spreng.) Taub. Informativo ABRATES, 23: 52-55, 2013.

ROSSETO, J. et al. Germinação de sementes de Parkia pendula (Willd.) Benth. ex Walp. (Fabaceae) em diferentes temperaturas. Revista Árvore, 33: 47-55, 2009.

SILVA, F. A. S. Sistema de Assistência Estatística - ASSISTAT Versão 7.7 beta. 2016.

SILVA, R. B. et al. Germinação e vigor de plântulas de Parkia platycephala Benth., em diferentes substratos e temperaturas. Revista Ciência Agronômica, 48: 142-150, 2017.

SOUZA, E. B. et al. Exigências nutricionais e crescimento de plantas de mogno (Swietenia macrophylla King.). Acta Amazônica, 40: 515-522, 2010.

TUCCI, C. A. F.; LIMA, H. N.; LESSA, J. F. Adubação nitrogenada na produção de mudas de mogno (Swietenia macrophylla King). Acta Amazônica, 39: 289-294, 2009.

WISE, R. R. et al. Electron transport is the functional limitation of photosynthesis in field-grown Pima cotton plants at high temperature. Plant, Cell and Environment, 27: 717-724, 2004.

Publicado
2020-07-31
Seção
Ciências Florestais