SELEÇÃO DE VARIEDADES CRIOULAS DE FEIJÃO FAVA PARA AGRICULTURA FAMILIAR

Palavras-chave: Phaseolus lunatus L. Caracteres agronômicos. Análise de agrupamento.

Resumo

O feijão-fava (Phaseolus lunatus L.) é a segunda espécie de maior importância socioeconômica do gênero, constituindo alternativa alimentar na forma de grãos verdes ou maduros. Sendo uma opção de renda para agricultores familiares, a falta de variedades superiores dificulta a recomendação considerando a peculiar variabilidade do feijão-fava. Objetivou-se selecionar variedades crioulas de feijão-fava com base em caracteres agronômicos, visando a utilização em programas de melhoramento e posterior recomendação para agricultores. Foram conduzidos ensaios de avaliação com 14 variedades crioulas de feijão-fava, nos municípios de São Domingos do Maranhão – MA, Teresina - PI, Bom Jesus – PI e Tianguá – CE. Foram avaliados: número de dias até o início da floração, número de dias até a maturação das vagens, comprimento da vagem, largura da vagem, espessura da vagem, número de sementes por vagem, peso de 100 sementes e produtividade de grãos. Os dados foram submetidos à análise de variância univariada, para determinação da variabilidade genética em diferentes ambientes, e, em seguida, às análises multivariada e de agrupamento. As variedades crioulas apresentam divergência genética, mas não se agrupam segundo origem geográfica, demonstrando a existência de similaridade entre o germoplasma de comunidades rurais estados vizinhos. As variedades Boca de Moça, Raio de Sol e Fava Branca CE são as mais precoces; Boca de Moça, Rajada e Raio de Sol as de vagens mais longas e sementes maiores; e Boca de Moça, Rajada e Mulatinha são as mais produtivas, o que as credencia para recomendação para agricultores familiares e/ou incorporação em programas de melhoramento do feijão-fava.

Referências

BARREIRO NETO, M. et al. Características morfológicas e produtivas em acessos de feijão-fava consorciados. Revista Tecnologia e Ciência Agropecuária, 9: 23-27, 2015.

BRASIL. Ministério de Desenvolvimento Agrário. 2006. Portaria n° 58, de 18 de julho de 2006. Disponível em: https://www.normasbrasil.com.br/norma/portaria-58-2006_194879.html. Acesso em: 20 set. 2019.

CRUZ, C. D. GENES – a software package for analysis in experimental statistics and quantitative genetics. Acta Scientiarum, 35: 271–276, 2013.

CRUZ, C. D.; CARNEIRO, P. C. S.; REGAZZI, A. J. Modelos biométricos aplicados ao melhoramento genético. 3 ed. Viçosa, MG: UFV, 2014. 667 p.

DIAS, M. A. R. et al. Divergência genética entre progênies de milho na região centro-sul do estado do Tocantins. Revista Engenharia na Agricultura, 26: 483-496, 2018.

DOBERT, R. C.; BLEVINS, D. G. Effect of seed size and plant growth on nodulation and nodule development in lima bean (Phaseolus lunatus L.). Plant and Soil, The Hague, 148: 11-19, 1993.

GOMES, A. B. S. et al. Genetic gain via REML/BLUP and selection indices snap bean. Horticultura Brasileira, 36: 195-198, 2018.

GONÇALVES, G. M. C. et al. Dissimilaridades genética entre acessos de feijão-fava utilizando caracteres morfoagronômicos. Revista Caatinga, 32:1125-1132, 2019.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Banco de dados agregados: pesquisa: produção agrícola. 2019. Disponível em: <https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/pam/tabelas>. Acesso em: 26 out. 2019.

IPGRI – International Plant Genetic Resources Institute. Descritores para Phaseolus lunatus (Feijão espadinho). International Plant Genetic Resources Institute. Rome, 2001. 42 p.

MAQUET, A.; VEKEMANS, X. Z.; BAUDOIN, J. P. Phylogenetic study on wild allies of lima bean, Phaseolus lunatus L. (Fabaceae), and implications on its origin. Plant Systematics and Evolution, 218: 43-54, 1999.

OLIVEIRA, R. L. et al. Precisão experimental em ensaios com a cultura do feijão. Ciência e Agrotecnologia, 33: 113-119, 2009.

R DEVELOPMENT CORE TEAM. R: a language and environment for statistical computing. Vienna: R Foundation for Statistical Computing, 2018.

RESENDE, M. D. V. SELEGEN-REML/BLUP: sistema estatístico e seleção genética computadorizada via modelos lineares mistos. 1. ed. Colombo, MG: EMBRAPA FLORESTAS, 2007. 359 p.

RESENDE, M. D. V. Software Selegen-REML/BLUP: a useful tool for plant breeding. Crop Breeding and Applied Biotechnology, 16: 330-339, 2016.

REZENDE, P. M.; CARVALHO, E. A. Avaliação de cultivares de soja [Glycine max (L.) Merrill] para o sul de Minas Gerais. Ciência e Agrotecnologia, 31: 1616-1623, 2007.

SANTANA, S. R. A. et al. Genetic divergence among cowpea genotypes by morphoagronomic traits. Revista Caatinga, 32, 3, 841-850, 2019.

SCOTT, A. J.; KNOTT, A. A cluster analysis method for grouping means in the analysis of variance. Biometrics, 30: 507-512, 1974.

SILVA, J. A. L.; NEVES, J. A. Produção de feijão-caupi semi-prostrado em cultivos de sequeiro e irrigado. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 6: 29-36, 2011.

SILVA, S. I. A. et al. Avaliação dos componentes de produção em variedades crioulas de fava cultivadas no Agreste da Paraíba. Revista de Ciências Agrárias, 42: 731-742, 2019.

SOARES, L. A. C. Conservação on farm e avaliação agronômica de variedades crioulas de feijão-fava. 2018. 94 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia: Área de Concentração em Genética e Melhoramento) - Universidade Federal do Piauí, Piauí, 2018.

SOARES, V. F. Avaliação da resistência à antracnose em etnovariedades de Phaseolus lunatus L. 2019. f. Dissertação (Mestrado em Proteção de Plantas: Área de Concentração em Fitopatologia) - Universidade Federal de Alagoas, Rio Largo, 2019.

SOUSA, A. M. C. B. et al. Determination of ideal conditions to do artificial crosses in Phaseolus lunatus L. Annual Report of the Bean Improvement Cooperative, 58: 95-96, 2015.

SOUZA, T. P. et al. Selection of promising accessions of lima-beans in Baixada Fluminense-RJ by means of morphoagronomic descriptors.. Magistra, 30: 211-224, 2019.

TORRES, F. E. et al. Selection of soybean genotypes for to cerrado/pantanal ecotone via REML/BLUP. Bioscience Journal, 34: 333-340, 2018.

TORRES FILHO, J. et al., Genotype by environment interaction in green cowpea analyzed via mixed models. Revista Caatinga, 30: 687-697, 2017.

VIEIRA, R. F. A cultura do feijão-fava. Informe Agropecuário, 174: 30-37, 1992.

Publicado
2021-12-22
Seção
Agronomia