TRATAMENTO DE SEMENTES COM TRICODERMA E QUÍMICOS PARA MELHORIA DA QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA DE CULTIVARES DE TRIGO

Palavras-chave: Triticum aestivum. Controle biológico. Microbiolização. Fungicidas.

Resumo

O tratamento de sementes com fungos do gênero Trichoderma spp. proporciona diversos benefícios, incluindo promoção de crescimento das plantas, tolerância a estresses e controle de fungos patogênicos. Entretanto, para evitar o uso de doses inadequadas e custos desnecessários, é fundamental a utilização destes na quantidade correta, todavia não há estudos que avaliem a sua aplicabilidade em sementes de trigo. Objetivou-se encontrar a dose mais eficiente de produtos a base de Trichoderma no tratamento de sementes para melhorar a qualidade fisiológica e sanitária das cultivares de trigo TBIO 'Toruk' e TBIO 'Sossego', além de comparar o desempenho de agentes biológicos e químicos. Os tratamentos biológicos utilizados foram: Trichoderma asperellum SF 04 e Trichoderma harzianum IBLF006, aplicados nas doses de zero (testemunha); 5x1011; 1x1012; 1,5x1012 e 2x1012 UFC (unidades formadoras de colônias) 100 kg-1 de sementes, e os químicos foram: carboxina + tiram e piraclostrobina + tiofanato metílico + fipronil. Em laboratório, conduziu-se testes de germinação, comprimento e massa de matéria seca de plântulas, blotter test e, em casa de vegetação, emergência, comprimento e massa de matéria seca da parte aérea de plântulas. Os tratamentos biológicos T. asperellum SF 04 e T. harzianum IBLF006 apresentam melhor eficiência para aplicação no tratamento de sementes de trigo na dose 2x1012 UFC 100 kg-1 de sementes. Comparando os produtos biológicos com os químicos, os dados indicam que ambas as opções têm potencial para serem utilizadas no manejo de doenças do trigo, além de promoverem o crescimento de plântulas, por meio do tratamento de sementes.

 

Referências

ADAPAR - Agência de Defesa Agropecuária do Paraná. Agrotóxicos no Paraná. 2021. Disponível em: <http://celepar07web.pr.gov.br/agrotoxicos/pesquisar.asp>. Acesso em: 14 Jun. 2021.

AGÜERO, L. E. M. et al. Inhibition of Aspergillus flavus growth and aflatoxin b1 production in stored maize grains exposed to volatile compounds of Trichoderma harzianum Rifai. Interciência, 33: 219-222, 2008.

BAGWAN, N. B. Evaluation of biocontrol potential of Trichoderma species against Sclerotiumrolfsii, Aspergillus niger and Aspergillus flavus. International Journal of Plant Protection, 4: 107-111, 2011.

BRAND, S. C. et al. Qualidade sanitária e fisiológica de sementes de soja submetidas a tratamento com bioprotetor e fungicida. Revista Brasileira de Sementes, 31: 87-94, 2009.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Manual de análise sanitária de sementes. Brasília, DF: MAPA-ACS, 2009a. 200 p.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília, DF: MAPA-ACS, 2009b. 399 p.

CARVALHO, D. D. C. et al. Biocontrol of seed pathogens and growth promotion of common bean seedlings by Trichoderma harzianum. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 46: 822-828, 2011.

CARVALHO FILHO, M. R. et al. Avaliação de isolados de Trichoderma na promoção de crescimento, produção de ácido indolacético in vitro e colonização endofítica de mudas de eucalipto. Brasília, DF: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 2008. 16 p. (Boletim de pesquisa e desenvolvimento, 226).

CARVALHO, N. M., NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 5ed. Jaboticabal, SP: Editora Funep, 2012. 590 p.

CHAGAS, L. F. B. et al. Trichoderma asperellum efficiency in soybean yield components. Comunicata Scientiae, 8: 165-169, 2017.

CONAB - Companhia Nacional de Abastecimento. Acompanhamento da safra brasileira de grãos: Nono levantamento, Brasília, 8: 121 p. 2021. Disponível em: < https://www.conab.gov.br >. Acesso em: 2 Jul. 2021.

COONEY, J. M., LAUREN, D. R., DI MENNA, M. E. Impact of competitive fungi on Trichothecene production by Fusarium graminareum. Journal of Agricultural and Food Chemistry, 49: 522-526. 2001.

FARIAS, C. R. J. et al. Inibição de germinação de sementes de trigo e milho em teste de sanidade em substrato de papel. Revista Brasileira Agrociência, 9: 11-144, 2003.

FERREIRA, D.F. SISVAR: A computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, 35: 1039-1042, 2011.

FREIBERG, J. A. et al. Seed treatment and its impact on wheat crop yield potential. Journal of Seed Science, 39: 280-287, 2017.

HARDOIM, P. R. et al. The hidden world within plants: ecological and evolutionary considerations for defining functioning of microbial endophytes. Microbiology and Molecular Biology Reviews, 79: 293-320, 2015.

HASAN, M. M. et al. Antagonistic potentiality of Trichoderma harzianum towards seed-borne fungal pathogens of winter wheat cv. Protiva in vitro and in vivo. Journal of Microbiology and Biotechnology, 22: 585-591, 2012.

HEIL, M.; BALDWIN, I. T. Fitness costs of induced resistance: emerging experimental support for a slippery concept. Trends in Plant Science, 7: 61-67, 2002.

HERMOSA, R. et al. Plant-beneficial effects of Trichoderma and its genes. BMC Microbiology, 158: 17-25, 2012.

KRZYZANOWSKI, F. C. et al. Testes de vigor baseados em desempenho de plântulas. In: KRZYZANOWSKI, F.C. et al. Vigor de sementes: conceitos e testes. 2 ed. Londrina, PR: ABRATES, 2020. cap. 2, p. 93-104.

KUHNEM, P. et al. Informações técnicas para trigo e triticale: Safra 2020, XIII Reunião da Comissão Brasileira de Pesquisa de Trigo e Triticale. 1. ed. Passo Fundo, RS: Biotrigo Genética, 2020. 255 p.

MARINI, N. et al. Carboxim Tiram fungicide effect in wheat seeds physiological quality (Triticum aestivum L.). Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 6: 17-22, 2011.

MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n° 45, de 17 de setembro de 2013: Anexo XXVII. Brasília: D.O.U, 34 p. 2013.

MASTOURI, F., BJÖRKMAN, T., HARMAN, G. E. Seed treatment with Trichoderma harzianum alleviates biotic, abiotic, and physiological stresses in germinating seeds and seedlings. Phytopathology, 100: 1213-1221, 2010.

MORI, C. et al. Trigo: o produtor pergunta, a Embrapa responde. Brasília, DF: Embrapa, 2016. 309 p.

PEREIRA, F. S. et al. Tratamento de sementes sobre a germinação, o vigor e o desenvolvimento do trigo. Ciências Agroveterinárias, 18: 395-399. 2019.

PESKE, S. T., ROSENTHAL, M. D., ROTA, G. R. M. Sementes: fundamentos científicos e tecnológicos. 3. ed. Pelotas, RS: Ed. Universitária/UFPel, 2012. 573 p.

PRABHAKARAN, N. et al. Screening of difference Trichoderma species against agriculturally important foliar plant pathogens. Journal of Environmental Biology, 36: 191-198. 2015.

R CORE TEAM (2019). R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing. 2019.

RAMÍREZ, S. E. G., RAMELLI, E. G., REYNALDI, S. Importancia del aislamiento y del rango de concentración de conidias en el efecto de Trichoderma asperellum sobre el crecimiento de plántulas de Solanum lycopersicum L. Revista Colombiana de Biotecnología, 15: 118-125, 2013.

SANTOS, H. G. et al. Sistema brasileiro de classificação de solos. 5. ed. Brasília, DF: Embrapa Solos, 2018. 356 p.

SINGH, V. et al. Trichoderma asperellum spore dose depended on modulation of plant growth in vegetable crops. Microbiological Research, 193: 74-86, 2016.

VINALE, F. et al. Factors affecting the production of Trichoderma harzianum secondary metabolites during the interaction with different plant pathogens. Letters in Applied Microbiology, 48: 705-711, 2009.

YOSHIOKA, Y. et al. Systemic resistance induced in Arabidopsis thaliana by Trichoderma asperellum SKT-1, a microbial pesticide of seed-borne diseases of rice. Pest Management Science, 68: 60-66, 2011.

Publicado
2021-09-27
Seção
Agronomia