INCLUSÃO ESCOLAR: UMA ABORDAGEM SOBRE AS SALAS DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS A PARTIR DA PERSPECTIVA DE GESTORES, PROFESSORES E PAIS

  • Samira Fontes Carneiro
  • Ivonaldo Leite
Palavras-chave: Educação inclusiva. Necessidades educacionais especiais. Salas de Recursos Multifuncionais.

Resumo

Este trabalho tem como objetivo analisar as posições de gestores, professores e pais sobre a política de implementação das Salas de Recursos Multifuncionais (SRM) na Rede Municipal de Ensino de Mossoró/RN. Metodologicamente, realizou-se uma pesquisa qualitativa, levantando-se o material empírico através de entrevistas semiestruturadas e análise documental. Dentre os resultados aos quais se chegou, podem ser destacados os seguintes: 1) o papel do Estado quanto à implementação de SRM deve ser reforçado; 2) a formação docente precisa ser aperfeiçoada e ampliada; 3) o êxito da política de implementação das Salas de Recursos Multifuncionais requer mais articulação entre gestores, professores e pais. Conclusivamente, assinala-se, por exemplo, que as Salas de Recursos Multifuncionais são muitos relevantes para o processo de inclusão nas escolas, pois elas disponibilizam recursos didático-pedagógicos, materiais e equipamentos de acessibilidade, efetivando os serviços de Atendimento Educacional Especializado.

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Trad. RETO, Luís Antero; PINHEIRO, Augusto. Lisboa: Persona, 1979.

BAUER, Martins W.; AARTS, Bas. A Construção do corpus: um princípio para a coleta de dados. IN: BAUER, Martin W.; GASKELL, George. (ed.). Trad. GUARESCHI, Pedrinho A. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: senado, 1988.

. [Lei Darcy Ribeiro (1996)]. LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. ed. Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação Edições Câmara, 2010.

. Implantação de Salas de Recursos Multifuncionais. Disponível em:
Acesso em: 23 nov. 2010.

. MEC. Documento Orientador Programa Implantação de Salas de Recursos Multifuncionais, 2012.

. MEC. Portaria Normativa Nº 13, de 2007, dispõe sobre a criação do Programa de implantação de Salas de Recursos Multifuncionais, 2007.

. SECADI, Portaria nº 25, de 2012. Dispõe sobre orientações para a abertura de novas Salas de Recursos Multifuncionais, 2012.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986. (Temas básicos de educação e ensino).

MALHEIRO, Cicera Aparecida Lima; MENDES, Enicéia Gonçalves; BOTURA, Regiane Ribeiro. Análise da distribuição das salas de recursos multifuncionais no Brasil. VII ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISADORES EM EDUCAÇÃO ESPECIAL, Londrina de 08 a 10 novembro de 2011 - ISSN 2175-960X, Pg. 3531-3541, 2011.
MENDES, Enicéia Gonçalves et al. Observatório Nacional de Educação Especial: Estudo em Rede Nacional sobre as Salas de Recursos Multifuncionais nas Escolas Comuns. Projeto 039, Observatório da Educação - Edital 2010. Fomento a Estudos e Pesquisas em Educação.
Edital nº 38/1010/CAPES/INEP. São Carlos, 2010.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2000.

MOSSORÓ. Plano Municipal de Educação. PREFEITURA DE MOSSORÓ, 2004.

. Lei nº 1.978/2004, que institui o Plano Municipal de Educação de Mossoró, 2004.

. Lei Nº 2.717 de Dezembro de 2010, que institui a política de Responsabilidade Educacional no município de Mossoró e dá outras providências. Mossoró, 2010.

. Decreto nº 3491/2009, dispõe sobre os níveis e parâmetros de enquadramento dos estabelecimentos da Rede Municipal de Ensino de Mossoró, 2009.

. Resolução nº 02/2010 – CME, dispõe sobre a Terminalidade Escolar de alunos com necessidades educacionais especiais na área da deficiência intelectual e/ou deficiências múltiplas, das escolas da rede municipal de ensino e dá outras providências correlatas. Mossoró, 2010.

. Instrução Normativa nº 01/2010 – CME, dispõe sobre a normalização e a orientação do processo de avaliação dos alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação matriculados na Rede Municipal de Ensino. Mossoró, 2010.

OLIVEIRA, Denize Cristina de. Análise de Conteúdo Temático-Categorial: uma Proposta de Sistematização. Rev. Enferm. UERJ, Rio de Janeiro, out/dez, p. 569-576, 2008.

PIRES, Álvaro P. Amostragem e pesquisa qualitativa: ensaio teórico e metodológico. IN: POUPART et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Trad. NASSER, Ana Cristina. 2 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. (Coleção Sociológica)

RABELO, Lucélia Cardoso Cavalcante et al. Observatório de educação especial: a implantação, organização e funcionamento das salas de recursos multifuncionais em Marabá-PA. VIII ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISADORES EM EDUCAÇÃO ESPECIAL Londrina de
05 a 07 novembro de 2013 - ISSN 2175-960X

SILVA, Edna Lúcia da. MENESES, Estera Muszkat. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 3. ed. rev. atual. Florianópolis: Laboratório de Ensino a Distância da UFSC, 2001.
Publicado
11-10-2017