https://periodicos.ufersa.edu.br/ric/issue/feed Revista Informação em Cultura (RIC) 2023-10-18T00:00:00-03:00 Dr. Mário Gaudêncio, Editor-chefe ric@ufersa.edu.br Open Journal Systems <p>A Revista Informação em Cultura - RIC, é um <strong>periódico Qualis B2</strong>, Semestral e de Fluxo Contínuo, produto do <strong>Grupo de Pesquisa em Cultura, Conhecimento e Sociedade (CCS-UFERSA/CNPq)</strong>. É uma fonte de informação interdisciplinar tendo como finalidade básica ser um espaço democrático para o campo da cultura nas suas mais diversas formas e manifestações.</p> <p>A RIC está presente nos seguintes <strong>Diretórios</strong> e <strong>Indexadores</strong> em:</p> <p><a href="https://search.crossref.org/?q=+2674-6549" target="_blank" rel="noopener">Crossref Metadata Search</a> | <a href="https://diadorim.ibict.br/handle/1/2019" target="_blank" rel="noopener">Diadorim</a> | <a href="https://scholar.google.com.br/citations?hl=pt-BR&amp;user=hQggTSEAAAAJ" target="_blank" rel="noopener">Google Acadêmico</a> | <a href="https://www.latindex.org/latindex/ficha?folio=28417" target="_blank" rel="noopener">Latindex</a> | <a href="http://www.cnen.gov.br/centro-de-informacoes-nucleares/livre" target="_blank" rel="noopener">Livre/CNEN</a> | <a href="https://miguilim.ibict.br/handle/miguilim/8028" target="_blank" rel="noopener">Miguilim</a> | <a href="http://www.sindexs.org/JournalList.aspx?ID=6307" target="_blank" rel="noopener">Scientific Indexing Service</a> | <a href="https://www.scilit.net/journal/4261607" target="_blank" rel="noopener">Scilit</a> | <a href="https://www.sumarios.org/revista/revista-informa%C3%A7%C3%A3o-em-cultura-ric" target="_blank" rel="noopener">Sumários</a> | <a href="https://redib.org/" target="_blank" rel="noopener">Redib</a> | <a href="https://portal.issn.org/resource/ISSN/2674-6549" target="_blank" rel="noopener">The Global Indexing for Continuing Resources</a> | <a href="https://www.worldcat.org/title/revista-informacao-em-cultura-ric" target="_blank" rel="noopener">WorldCat</a> </p> https://periodicos.ufersa.edu.br/ric/article/view/11807 Políticas de profissionalização para mulheres e a invisibilidade em gestões municipais 2023-09-26T07:38:36-03:00 Heline Silva Santos helinessantos@yahoo.com.br Monique Menezes Urra moniquemenezes@gmail.com <p><strong>Português</strong></p> <p>Este artigo integra uma pesquisa em curso cujo objetivo é analisar a política pública de capacitação profissional para mulheres em Teresina, entre os anos de 2015 a 2019, como uma ferramenta efetiva para melhorar as condições de entrada no mundo do trabalho, sob a perspectiva da usuária da política. Ampliando o contexto pesquisado, buscou responder o seguinte questionamento, complementando a política em tela: a gestão pública municipal tem ofertado políticas de capacitação profissional que corroborem com a emancipação feminina ou apenas reproduz a concepção da divisão sexual do trabalho, ofertando qualificações que ratificam trabalhos historicamente destinados a mulheres? Partindo da premissa de que a oferta de capacitação profissional para mulheres contribui com a manutenção de espaços identificados como femininos, reforçados pela divisão sexual do trabalho, este estudo identificou e analisou experiências de políticas de profissionalização para mulheres em municípios piauienses, entendendo como essas propostas estão postas na esfera municipal, possibilitando a resolução de demandas de incentivo à inserção profissional. A pesquisa, de caráter documental e exploratória, coletou dados de experiências de políticas públicas e ações de profissionalização para mulheres em sites governamentais dos cinco maiores municípios piauienses, permeando um levantamento por meio de tabela comparativa, buscando compreender sua natureza e propostas de mudança social ao público-alvo, além de destacar elementos conceituais acerca da implementação de políticas públicas para mulheres no Brasil.</p> <p><strong>English</strong></p> <p>This article integrates an ongoing research, whose objective is to analyze the public policy of professional training for women in Teresina, between the years 2015 to 2019, as an effective tool to improve the conditions of entry into the world of work, from the perspective of policy user. Expanding the researched context, this article sought to answer the following question: the municipal public management has offered professional training policies that corroborate with female emancipation, or does it just reproduce the conception of the sexual division of labor, offering qualifications that ratify jobs historically destined for women? Starting from the premise that the offer of professional training for women contributes to the maintenance of spaces identified as feminine, reinforced by the sexual division of labor, this article identified and analyzed experiences of professionalization policies for women in Piauí municipalities, understanding how these proposals are placed at the municipal level, enabling the resolution of demands to encourage professional. The documentary and exploratory research collected data from experiences of public policies and professionalization actions for women on government websites of the five largest municipalities in Piauí, permeating a survey through a comparative table, seeking to understand their nature and proposals for social change to the target audience, in addition to highlighting conceptual elements about the implementation of public policies for women in Brazil.</p> 2023-10-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Licenças Creative Commons https://periodicos.ufersa.edu.br/ric/article/view/11998 Máscaras Gélédé como artefatos cultuarais 2023-09-22T10:55:55-03:00 Janete Santos da Silva Monteiro de Camargo janetessmc@gmail.com <p><strong>Português</strong></p> <p>As máscaras africanas representam a cultura de um povo, e seu significado varia conforme o contexto de criação e uso. Assim, esta pesquisa tem como objetivo analisar a temática das máscaras africanas <em>Gélédé </em>acerca de seu significado cultural e identitário, destacando a possibilidade de aplicabilidade da Lei nº 10.639/03 para promoção de uma educação antirracista. Procuramos responder aos questionamentos: ‘Quais significados culturais são produzidos pelas máscaras <em>Gélédé</em>? De que forma as máscaras <em>Gélédé</em> podem contribuir para a construção de identidades?’. Para tanto, utilizamos como metodologia a pesquisa bibliográfica e documental exploratória, ancorada na corrente teórica dos Estudos Culturais (Hall, 2003; 2006; 2016). Concluímos que a temática máscaras africanas <em>Gélédé</em> é complexa e há poucas pesquisas sobre o tema.</p> <p><strong>English</strong></p> <p>African masks represent the culture of a people, and their meaning varies according to the context in which they were created and used. Thus, this research aims to analyze the theme of African Gélédé masks in terms of their cultural and identity significance, highlighting the possibility of applying Law no. 10.639/03 to promote anti-racist education. We sought to answer the questions: ‘What cultural meanings are produced by the Gélédé masks? How can Gélédé masks contribute to the construction of identities?’. To this end, we used exploratory bibliographical and documentary research as our methodology, anchored in the theoretical current of Cultural Studies (Hall, 2003; 2006; 2016). We concluded that the subject of African Gélédé masks is complex and there is little research on the subject.</p> 2023-11-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Licenças Creative Commons https://periodicos.ufersa.edu.br/ric/article/view/12235 Vivências de um caminhar multirreferencial na produção do conhecimento 2023-09-29T10:44:19-03:00 Mayra Ribeiro mayraribeiro@uern.br <p><strong>Português</strong></p> <p>Pensar a relação entre pesquisa e conhecimento e, consequentemente, suas epistemologias e metodologias, nos coloca, necessariamente, no lugar de pensar o entretecimento entre pesquisa e formação. Como escolha opcionada, temos realizado em nossa itinerância acadêmica-formativa-profissional a pesquisa-formação multirreferencial (Ardoino, 1998; Barbosa, 1998; Macedo, 2009), na qual a implicação é condição de uma postura que, ao se relacionar aos nossos vínculos existenciais, profissionais, políticos, culturais, eróticos e espirituais, nos coloca em um jeito outro de pensar e criar saberes e fazeres experenciais formacionais. Nossa perspectiva envolve três pilares fundamentais na pesquisa em educação: a epistemologia multirreferrencial, o paradigma da complexidade (Morin, 2007) e a pesquisa como lugar de implicação, condição para dar sentido aos dilemas que surgem no pesquisador no momento da problematização de sua pesquisa. Com essas inspirações, objetivamos pensar sobre como aprendemos a caminhar com uma postura multirreferencial na construção do conhecimento, afastando-nos de um pretensioso purismo, neutralidade e cientificismo eurocêntrico associados às ciências modernas. Com esse propósito, apresentaremos algumas vivências em pesquisas em que se tecem epistemologias acontecimentais (Macedo, 2016), as quais remetem a uma experiência existencial de ressignificação dos/nos processos formativos dos atores/pesquisadores sociais da educação e de uma produção do conhecimento em diálogo com os saberes produzidos nos cotidianos. Evidenciamos que o nosso constructo de pesquisa por estar enredado de implicações/experiências referencias; diálogo com o plural, com o heterogêneo, sai da visão do instituído para buscar o inédito, o imprevisto, o acontecimento, o complexo, com direito à surpresa, à criação, à interpretações e inventividade, em um processo de formar, formando-se.</p> <p><strong>English</strong></p> <p>Thinking about the relationship between research and knowledge and, consequently, its epistemologies and methodologies, necessarily puts us in the place of thinking about the intertwining between research and training. As an option, we have carried out multi-referential research-training in our academic-training-professional itinerancy (Ardoino, 1998; Barbosa, 1998; Macedo, 2009), in which the implication is a condition of a stance that, when related to our ties existential, professional, political, cultural, erotic and spiritual, puts us in a different way of thinking and creating knowledge and training experiential practices. Our perspective involves three fundamental pillars in education research: multi-referential epistemology, the complexity paradigm (Morin, 2007) and research as a place of implication, a condition to make sense of the dilemmas that arise in the researcher when problematizing their research. With these inspirations, we aim to think about how we learn to walk with a multi-referential stance in the construction of knowledge, moving away from the pretentious purism, neutrality and Eurocentric scientism associated with modern sciences. With this purpose, we will present some experiences in research in which event epistemologies are woven (Macedo, 2016), which refer to an existential experience of resignification of/in the formative processes of social education actors/researchers and a production of knowledge in dialogue with the knowledge produced in everyday life. We highlight that our research construct is entangled with implications/reference experiences; dialogue with the plural, with the heterogeneous, leaves the vision of the established to seek the unprecedented, the unforeseen, the event, the complex, with the right to surprise, creation, interpretations and inventiveness, in a process of forming, forming.</p> 2023-09-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Licenças Creative Commons https://periodicos.ufersa.edu.br/ric/article/view/12281 Extensão universitária na salvaguarda da memória de grupos em situação de vulnerabilidade educacional 2023-10-05T17:13:45-03:00 Higo Lima higo.lima@ufersa.edu.br <p><strong>Português</strong></p> <p>Em paralelo às dimensões do Ensino e da Pesquisa, a Extensão integra o tripé de sustentação das atividades acadêmicas desenvolvidas no âmbito das Instituições de Ensino Superior (IES), notadamente as Universidades, espaços de produção e disseminação de pesquisas e saberes nas mais diferentes áreas do conhecimento. Toda essa informação deve estar a serviço da sociedade a fim de contribuir para o progresso e desenvolvimento, ao passo que a Extensão Universitária se configura como elo entre a academia e a comunidade externa na difusão desses saberes. A partir desse pressuposto, temos na preservação da memória um importante eixo de cidadania na atuação dos setores de Comunicação das universidades, por meio de seus produtos e ações em prol da memória. Neste sentido, a Assessoria de Comunicação da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) vem consolidando uma agenda organizada em prol da salvaguarda da experiência desenvolvida pelo educador Paulo Freire na cidade de Angicos/RN, em 1963, com a aplicação e vivência, de forma pioneira, do método de alfabetização de jovens e adultos em 40 horas. O município conta com um campus da supracitada Universidade, que recebe inúmeras visitas de interessados e pesquisadores da área de educação, cultura popular e memória a fim de manter contato com cidadãos angicanos que testemunharam e/ou vivenciaram a experiência – alguns estudantes ainda estão vivos, além da busca por documentos que mantenham registros daquele momento. Visando propor a sistematização na elaboração de ações de preservação da memória, a ASSECOM/UFERSA assina o documentário “40 Horas na memória”, disponível no canal do Youtube da instituição. A obra compila entrevistas com os 19 estudantes da primeira turma, enfatizando as lembranças a partir da oralidade: descrição da cidade, impressões sobre Paulo Freire, os encontros para os estudos, a recepção da cidade ao projeto e o seu legado. Na sequência, uma página no Portal Ufersa disponibiliza à comunidade material de fotografias, áudio e vídeos sobre essa experiência, compondo um vasto portfólio sobre aquele momento. Mais recentemente, já em 2022, a publicação de um livro com material inédito de entrevistas e informações de pesquisas documentais que subsidiaram a elaboração de crônicas para o perfil de cada um dos remanescentes de 1963. A manutenção desta agenda com a memória singular daquela comunidade, a Universidade cria uma interface permitindo contato mais aprofundado com as fontes primárias e diretas da experiência freiriana em Angicos. Vale ressaltar que a iniciativa está em consonância com a Política Nacional de Extensão Universitária, cuja preservação da memória é uma das Áreas Temáticas previstas para as ações de Extensão Universitária e, de forma transversal, também se pode mencionar as contribuições pelas áreas da Educação e da Cultura. Paulo Freire está declarado Patrono da Educação Brasileira (Lei nº 12.612/2012), ato de caráter formal pelo qual o Estado brasileiro institucionaliza memória a memória do educador. Assim, a permanência de uma agenda que organize e ofereça à sociedade acesso a todo este conteúdo alinha a universidade pública em uma das suas funções sociais mais importante: democratizar o conhecimento.</p> <p><strong>English</strong></p> <p>In parallel to the dimensions of Teaching and Research, Extension integrates the tripod supporting academic activities developed within the scope of Higher Education Institutions (HEIs), notably Universities, spaces for the production and dissemination of research and knowledge in the most different areas of the world. knowledge. All this information must be at the service of society in order to contribute to progress and development, while University Extension is configured as a link between academia and the external community in the dissemination of this knowledge. Based on this assumption, we have the preservation of memory as an important axis of citizenship in the activities of the Communication sectors of universities, through their products and actions in favor of memory. In this sense, the Communications Office of the Federal Rural University of Semi-Árido (Ufersa) has been consolidating an organized agenda in favor of safeguarding the experience developed by the educator Paulo Freire in the city of Angicos/RN, in 1963, with the application and experience, in a pioneering way, the literacy method for young people and adults in 40 hours. The municipality has a campus of the aforementioned University, which receives numerous visits from interested parties and researchers in the field of education, popular culture and memory in order to maintain contact with Angian citizens who witnessed and/or lived the experience – some students are still alive, in addition to searching for documents that keep records of that moment. Aiming to propose systematization in the development of memory preservation actions, ASSECOM/UFERSA signed the documentary “40 Hours in memory”, available on the institution's YouTube channel. The work compiles interviews with the 19 students from the first class, emphasizing oral memories: description of the city, impressions of Paulo Freire, study meetings, the city's reception of the project and its legacy. Subsequently, a page on the Ufersa Portal provides the community with photographic, audio and video material about this experience, composing a vast portfolio about that moment. More recently, in 2022, the publication of a book with unpublished material from interviews and information from documentary research that supported the creation of chronicles to profile each of the remnants of 1963. The maintenance of this agenda with the unique memory of that community, the University creates an interface allowing deeper contact with the primary and direct sources of the Freirean experience in Angicos. It is worth highlighting that the initiative is in line with the National University Extension Policy, whose memory preservation is one of the Thematic Areas foreseen for University Extension actions and, transversally, contributions from the areas of Education and Culture. Paulo Freire is declared Patron of Brazilian Education (Law nº 12,612/2012), a formal act through which the Brazilian State institutionalizes the memory of the educator. Thus, maintaining an agenda that organizes and offers society access to all this content aligns the public university with one of its most important social functions: democratizing knowledge.</p> 2023-10-06T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Licenças Creative Commons https://periodicos.ufersa.edu.br/ric/article/view/12288 Desclassificação do conhecimento 2023-10-06T14:21:21-03:00 Mário Gaudêncio mario@ufersa.edu.br <p><strong>Português</strong></p> <p>Esse trabalho traz como Objetivo refletir sobre uma Representação do Conhecimento baseada na Desclassificação do Conhecimento proposta por Antonio Garcia-Gutierrez. A pesquisa toma como pergunta chave: Por qual motivo o pesquisador deve se debruçar sobre a ideia de uma Desclassificação do Conhecimento? Para responder ao que fora levantado, usa-se como Metodologia uma pesquisa de natureza teórica, bibliográfica e exploratória e tendo como tipologia uma posição qualitativa. A esta investigação, vê-se como Resultado parcial que só é possível pensar sob a ótica e lógica da Desclassificação do Conhecimento caso seja for oportunizada na sociedade uma reconexão cognitiva decolonial. Assim, mostra-se como Conclusão parcial, o fato de ainda se observar a carência de mais pesquisas direcionadas ao processo de Desclassificação Conhecimento, especialmente se pensada como uma possibilidade alternativa de valorização dos saberes humanos.</p> <p><strong>English</strong></p> <p>This work aims to reflect on a Representation of Knowledge based on the Declassification of Knowledge proposed by Antonio Garcia-Gutierrez. The research takes as its key question: Why should the researcher focus on the idea of a Declassification of Knowledge? To respond to what was raised, research of a theoretical, bibliographic and exploratory nature is used as a methodology, with a qualitative position as a typology. In this investigation, it is seen as a partial result that it is only possible to think from the perspective and logic of the Declassification of Knowledge if a decolonial cognitive reconnection is provided in society. Thus, the central conclusion is the fact that there is still a lack of further research aimed at the Knowledge Declassification process, especially if thought of as an alternative possibility of valuing human knowledge.</p> 2023-10-06T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Licenças Creative Commons https://periodicos.ufersa.edu.br/ric/article/view/12294 Por uma Epistemologia LGBTQIAP+ 2023-10-10T06:49:27-03:00 Kyara Maria de Almeida Vieira ky.almeida@gmail.com <p>Este texto tem o <strong>Objetivo</strong> de apresentar um olhar sobre os saberes históricos que têm se dedicado a construir o que aqui chamamos de epistemologia LGBTQIAP+, numa tentativa de trazer para o debate alguns desafios e possibilidades do conhecimento histórico para além da demarcação do essencialismo e do construcionismo. <strong>Metodologicamente</strong> realizamos uma pesquisa teórica, bibliográfica e exploratória, a partir da perspectiva qualitativa. Como <strong>Resultado</strong> inicial, podemos destacar os saberes localizados e a colonialidade na historiografia brasileira. Isso não implica em impossibilidade de produção de uma epistemologia LGBTQIAP+. Não se sustentam as justificativas de suposta ausência de fontes, nem o repúdio à temática ou a acusação de que essa seria uma história militante, pouco ou nada científica. As dificuldades de acesso à documentação, as fragilidades das categorias sexuais contemporâneas, os entraves para a definição de uma cronologia especificamente LGBTQIA+, o desafio de estabelecer quais acontecimentos são significativos, a multiplicidade de recortes históricos, não têm impedido que cada vez mais, se fortaleça a produção histórica LGBTQIAP+. Assim, como <strong>Conclusão</strong> preliminar, é notório que os pilares que sustentam a cis-heteronormatividade ainda estão bastante fincados numa historiografia tradicionalista quando se trata das identidades de gênero e das sexualidades dissidentes. Para rompê-los, não é suficiente tornar a história superficialmente plural. Também se faz necessário implodir os fundamentos localizados e colonizadores que estabelecem o “mesmo” cis-heterossexual como posição universal e, portanto, bússola para normatizar/ disciplinar todas as demais experiências e também possibilidades de escrita da história.</p> 2023-10-10T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Licenças Creative Commons https://periodicos.ufersa.edu.br/ric/article/view/12295 A Feira agroecológica da APROFAM como instrumento de decolonialidade 2023-10-10T09:27:03-03:00 Joaquim Pinheiro de Araújo joaquim_rn@ufersa.edu.br Zildenice Matias Guedes Maia zildenice@ufersa.edu.br Christiane Fernandes Santos chrisfernandes@ufersa.edu.br <p><strong>Resumo</strong></p> <p>A Associação de produtores e produtoras agroecológicos de Mossoró (APROFAM) está, há quase duas décadas, atuando através da produção e comercialização nas feiras agroecológicas. A experiência da Feira na Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) se iniciou em 2019 e foi interrompida em virtude da pandemia da COVID 19. O trabalho em questão apresenta o projeto "Do campo ao campus: Feira Agroecológica da UFERSA" que trata da experiência da feira adentrar nos muros da Universidade. E, tem como objetivo refletir como essa experiência tem possibilitado o desencadeamento de processos decoloniais nas dimensões ambiental, do poder, do saber e do ser. <strong>Metodologia: </strong>A pesquisa apresenta uma abordagem, predominantemente, qualitativa. Em relação aos instrumentos metodológicos, caracteriza-se como teórica, bibliográfica e empírica. A análise dos resultados será feita mediante o entendimento de colonialidade/decolonialidade explanado por Quijano, Porto-Gonçalves, Maldonado-Torres, dentre outros. <strong>Resultados: </strong>As feiras agroecológicas possibilitam uma aproximação entre produtores familiares e consumidores de alimentos orgânicos e se constitui como espaço interativo, justo e solidário de oferta de alimentos orgânicos, produzidos pela agricultura familiar local, tornando-a uma novidade e referência quanto à transição agroecológica, produção e consumo alimentar. É uma experiência que promove a autonomia dos agricultores quanto à produção e comercialização. <strong>Conclusão: </strong>A Feira Agroecológica mobiliza processos decoloniais que se assentam nas dimensões ambiental (produção orgânica), do poder (autonomia), do ser (valorização do ser agricultor) e do saber (valorização do saber da experiência). Além do mais, tem motivado docentes e discentes da UFERSA percebê-la como instrumento pedagógico de ensino, pesquisa e extensão em torno das temáticas de consumo e produção sustentáveis e aproximações campo e cidade, conhecimento científico e conhecimento empírico.</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Agroecologia; Decolonialidade; APROFAM.</p> <p><strong>Abstract</strong></p> <p>The Association of agroecological producers of Mossoró (APROFAM) has been operating through agroecological fairs for almost two decades. The experience began in 2007 and was interrupted due to the COVID 19 pandemic. The work in question presents the project "From the field to the campus: UFERSA Agroecological Fair" which deals with the experience of the fair entering the walls of universities and aims to to reflect on how this experience has enabled the triggering of decolonial processes in the environmental, power, knowledge and being dimensions. Methodology: The research presents a predominantly qualitative approach. In relation to methodological instruments, it is characterized as theoretical, bibliographic and empirical. The analysis of the results will be carried out using the understanding of coloniality/decoloniality explained by Quijano, Porto-Gonçalves, Maldonado-Torres, among others. Expected results: Agroecological fairs enable family producers and consumers of organic food to come together and constitute an interactive, fair and supportive space to offer organic food, produced by local family farming, making it a novelty and a reference in terms of the agroecologicaltransition , food production and consumption. It is an experience that promotes farmers’ autonomy regarding production and marketing. Conclusion: The Agroecological Fair mobilizes decolonial processes that are based on the environmental dimensions (organic production), power (autonomy), being (valuation of being a farmer) and knowledge (valuation of knowledge from experience). Furthermore, it has motivated teachers and students at UFERSA to perceive it as a pedagogical instrument for teaching, research and extension around the themes of sustainable consumption and production and approaches between countryside and city, scientific knowledge and empirical knowledge.</p> 2023-10-10T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 Licenças Creative Commons