ACHADOS CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICOS DE 25 CASOS DE CÓLICA EM EQUÍDEOS NO RIO GRANDE DO NORTE

  • Camila M. de Miranda Oliveira Hospital Veterinário, Setor de Grandes Animais, Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). BR 110, Km 47, Presidente Costa e Silva, Mossoró, 59625-900, RN.
  • Isabel Bezerra Ribeiro Hospital Veterinário, Setor de Grandes Animais, Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). BR 110, Km 47, Presidente Costa e Silva, Mossoró, 59625-900, RN.
  • Ivana Cristina Nunes Gadelha Hospital Veterinário, Setor de Grandes Animais, Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). BR 110, Km 47, Presidente Costa e Silva, Mossoró, 59625-900, RN.
  • Eraldo Barbosa Calado Docente do Curso de Medicina Veterinária, Departamento de Ciências Animais, UFERSA.
  • Valéria Veras Paula Docente do Curso de Medicina Veterinária, Departamento de Ciências Animais, UFERSA.
  • Raimundo Alves Barrêto-Junior Docente do Curso de Medicina Veterinária, Departamento de Ciências Animais, UFERSA.
  • Regina Valéria Cunha Dias Docente do Curso de Medicina Veterinária, Departamento de Ciências Animais, UFERSA.
  • Antônio Carlos Lopes Câmara Hospital Veterinário, Setor de Grandes Animais, Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). BR 110, Km 47, Presidente Costa e Silva, Mossoró, 59625-900, RN.

Resumo

O presente artigo objetiva realizar estudo clínico-epidemiológico de 25 casos de cólica em equídeos no Rio Grande Norte, e determinar a eficiência do tratamento instituído (clínico ou cirúrgico). Foram incluídos no estudo 21 equinos, três muares e um asinino, totalizando 25 equídeos. O tratamento clínico foi instituído em 15 equídeos, sendo nos casos de compactação de cólon maior moderado (n=6), timpanismo cecal (n=4), sobrecarga gástrica (n=3), compactação de ceco (n=1) e ulceração gástrica (n=1). Seis equinos foram submetidos ao tratamento cirúrgico e incluíram diagnósticos de compactação de cólon severa (n=2), retenção de mecônio (n=2), deslocamento dorsal de cólon maior esquerdo (n=1) e arterite verminótica (n=1). Outros quatro equídeos não receberam tratamento devido ao avançado quadro sistêmico e prognóstico ruim. O maior número de casos ocorreu em equinos da raça Quarto de Milha e seus mestiços totalizando 20 casos (80%), seguido pelos muares (12%) e casos únicos em um pônei (4%) e na espécie asinina (4%). O índice de recuperação alcançou 100% nos tratamentos clínico e cirúrgico. As compactações de intestino grosso e o quadro de timpanimo cecal foram as principais causas de cólicas relatadas nestes equideos, sendo causadas, principalmente, pelo manejo alimentar errôneo por parte dos proprietários ou tratadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-07-16
Seção
Short Communications / Comunicações curtas