ÉPOCAS DE SEMEADURA NA ADAPTAÇÃO E ESTABILIDADE QUANTO A PRODUTIVIDADE E TEORES DE ÓLEO E PROTEÍNA DE GENÓTIPOS DE SOJA

Palavras-chave: Glycine max. Adaptabilidade. Interação genótipo x ambiente.

Resumo

Nenhum outro aspecto isolado influencia tanto o desenvolvimento e produção da soja quanto a época de semeadura, porém a resposta de diferentes cultivares em datas de semeadura distintas depende de sua sensibilidade às condições ambientais às quais estão expostas. Assim, objetivou-se no presente estudo avaliar a adaptabilidade e a estabilidade de dezessete genótipos de soja na produtividade, bem como nos teores de óleo e proteína nos grãos em função de diferentes épocas de semeadura. Utilizou-se o delineamento em blocos casualizados com três repetições, em esquema fatorial com 17 genótipos (Conquista, CD 223 AP, Elite, Garantia, linhagem “Bioagro”, M-Soy 8400, M-soy 8001, Nambu, Sambaíba, Esplendor, UFVS 2006, UFVS 2005, UFVTN 102, UVF 18, UFV 16, Valiosa e Vencedora) e cinco datas de semeadura (SD1 = 11/3, SD2 = 11/20, SD3 = 12/07, SD4 = 23/12 e SD5 = 09/01). Os genótipos M-Soy 8001, UFV 18 e Garantia apresentam elevados teores de óleo, com adaptação a todas as datas semeadura e estabilidade nas datas mais favoráveis. Os genótipos da linhagem “Bioagro” e os genótipos CD 223 AP e "Garantia" são adaptados e estáveis em todas as datas de semeadura e possuem maiores teores de proteína, independente das datas de semeadura. Os genótipos Elite, Nambu e Garantia estão adaptados e estáveis em nas datas mais favoráveis de semeadura e apresentam alto rendimento de grãos, nas semeaduras realizadas no início de dezembro. O Genótipo Garantia é o mais adequado às condições de cultivo da região centro-norte do estado de São Paulo.

Referências

ALBRECHT, L. P. et al. Teores de óleo, proteínas e produtividade de soja em função da antecipação da semeadura na região oeste do Paraná. Bragantia, 67: 865-873, 2008.

ANNICCHIARICO, P. Cultivar adaptation and recommendation from alfafa trials in Northern Italy. Journal of Genetics and Breeding, 46: 269-278, 1992.

BÁRBARO-TORNELI, I. M. et al. Avaliação de cultivares de soja no estado de São Paulo em resposta à aplicação de inoculantes no sulco de semeadura. Nucleus, 1: 55-62, 2018.

BARBOSA, V. S. et al. Comportamento de cultivares de soja, em diferentes épocas de semeaduras, visando a produção de biocombustível. Revista Ciência Agronômica, 42: 742-749, 2011.

BORÉM, A.; MIRANDA, G. V. Interação genótipo x ambiente. Melhoramento de Plantas. 6. ed. Viçosa, MG: Editora UFV, 2013, p. 131-144.

BRUM, A. L. S.; ARRUDA, L. F.; REGITANO-D´ARCE, M. A. B. Métodos de extração e qualidade da fração lipídica de matérias-primas de origem vegetal e animal. Química Nova, 32: 849-854, 2009.

BUENO, R. D. et al. Agronomia: colhendo as safras do conhecimento. Melhoramento genético visando qualidade do grão de soja, 1. ed. Alegre, ES: CAUFES, 2017, 225 p.

CALÇADO, J. P. et al. Épocas de semeadura e períodos de colheita de soja visando produção de óleo e proteínas. Nativa, 7: 376-382, 2019.

CARNEIRO, A. P. S. et al. Identidade de modelos não lineares para comparar curvas de crescimento de bovinos da raça Tabapuã. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 49: 57-62, 2014.

CARVALHO, E. V. et al. A época de semeadura na produção de sementes de soja em condições de várzea tropical. Revista Sítio Novo, 5: 100-117, 2021.

CONAB - COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Acompanhamento da Safra Brasileira de Grãos, safra 2020/21, Boletim da safra de grãos, 8: 1-97, 2021.

CRUZ, C. D. GENES: a software package for analysis in experimental statistics and quantitative genetics. Acta Scientiarum, 35: 271-276, 2013.

CRUZ, C. D.; CARNEIRO, P. C. S.; REGAZZI. A. J. Modelos Biométricos Aplicados ao Melhoramento Genético. 3. ed. Viçosa, MG: UFV, 2014. 668 p.

DELARMELINO-FERRARESI, L. M.; VILLELA, F. A.; AUMONDE, T. Z. Desempenho fisiológico e composição química de sementes de soja. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 9: 14-18, 2014.

FARIA, L. A. et al. Teor de óleo e proteína no grão de cultivares de soja em diferentes épocas de semeadura. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 13: e5518, 2018.

FIETZ, C. R.; RANGEL, M. A. S. Época de semeadura da soja para a região de Dourados-MS, com base na deficiência hídrica e no fotoperíodo. Engenharia Agrícola, 28: 666-672, 2008.

FINOTO, E. L. et al. Antecipação e retardamento de colheita nos teores de óleo e proteína das sementes de soja, cultivar Valiosa RR. Scientia Agropecuaria, 8: 99-107, 2017.

HACKENHAAR, N. M. et al. Potássio e época de semeadura em cultivares de soja para teor de óleo e proteína. Acta Iguazu, 8: 1-11, 2019.

HERRERA, G .C. et al. Adaptabilidade e estabilidade de linhagens de soja na região sul do Brasil por meio de modelagem mista. Journal of Agronomic Sciences, 9: 185-202, 2020.

LOPES, J. A. M et al. Teor de proteína e óleo em grãos de soja, em diferentes épocas de plantio para fins industriais. Tecnologia & Ciência Agropecuária, 10: 49-53, 2016.

NAOE, A. M. L. et al. Effect of water deficit and sowing date on oil and protein contents in soybean co-inoculated with Azospirillum brasiliense. Pesquisa Agropecuária Tropical, 51: e66584, 2021.

PRABHAKAR, K. et al. Seed yield and quality of soybean [Glycine Max (L.) Merill] as influenced by cultivar and sowing date in vertisols of Andhra Pradesh during Kharif season. Legume Research-An International Journal, 41: 281-286, 2018.

SILVA, R. R. et al. Adaptabilidade e estabilidade de cultivares de trigo em diferentes épocas de semeadura, no Paraná. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 46: .1439-1447, 2011.

SINCLAIR, T. R. et al. Comparison of vegetative development in soybean cultivars for low latitude environments. Field Crops Research, 92: 53-59, 2005.

VAZQUEZ, G. H. et al. Produtividade de grãos de cultivares de soja em três épocas de semeadura no noroeste paulista. In: CONGRESSO TÉCNICO CIENTÍFICO DA ENGENHARIA E DA AGRONOMIA. 6., 2019, Palmas. Anais... 2019, Palmas: Centro de Convenções Arnaud Rodrigues, 2019. p. 1-5.

Publicado
2021-09-27
Seção
Agronomia