CONTAGEM DE FUNGOS FILAMENTOSOS E LEVEDURAS EM CAMARÕES SALGADOS SECOS COMERCIALIZADOS EM TERESINA-PI

  • Francisco das Chagas Cardoso Filho Universidade Federal do Piauí
  • Antonio William Barbosa de Sousa
  • Amilton Paulo Raposo Costa
  • Rosana Martins Carneiro
  • Isabel de Oliveira Paixao
  • Maria Christina Sanches Muratori

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo avaliar a atividade de água (Aw) e realizar a contagem de fungos e leveduras de camarão salgado-seco comercializado em um mercado público da Cidade de Teresina, PI, comparando as técnicas de inoculação da amostra (spread plate e pour plate). Foram coletadas 22 amostras de camarões (11 com exoesqueleto e 11 sem exoesqueleto) salgados-secos pela manhã de abril a junho de 2010, em seis semanas alternadas. As amostras de camarão apresentaram contaminação fúngica, em quantidades semelhantes. A técnica spread plate demonstrou ser melhor que a pour plate para contagens de fungos. Os camarões salgados-secos com exoesqueleto apresentaram maiores índices de atividade de água do que os sem exoesqueleto. Os camarões salgados-secos comercializados em Teresina-PI possuem condições higiênicas insatisfatórias. O método spread plate foi mais eficiente que o método pour plate para contagens de fungos filamentosos e de leveduras em camarões salgados-secos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-08-23
Seção
Original Articles / Artigos de Pesquisa

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor (es)