Consumo alimentar residual como critério de seleção para eficiência alimentar

  • Natália Ludmila Lins Lima Universidade Federal de Minas Gerais
  • Idalmo Garcia Pereira Universidade Federal de Minas Gerais
  • Julimar Sacramento Ribeiro Universidade Federal de Alagoas

Resumo

O consumo alimentar residual é uma medida de eficiência alimentar independente do crescimento e do peso à maturidade. O melhoramento genético, ao utilizar o consumo alimentar residual como critério de seleção, poderia reduzir os custos com alimentação, haja vista as diferenças existentes na ingestão de matéria seca dos animais com o mesmo ganho médio diário em peso. Frente às vantagens da sua utilização em programas de melhoramento genético, o alto custo para sua determinação limita sua adoção, pois é necessária a coleta individual dos dados de ingestão de alimentos dos animais. Além disso, o conhecimento incompleto dos mecanismos biológicos relacionados ao aumento da eficiência alimentar dificulta a identificação e posterior seleção dos animais de genética superior. Esta revisão aborda aspectos gerais do consumo alimentar residual enfocando as metodologias de predição do consumo de matéria seca e a utilização dos hormônios leptina e IGF-I como indicadores fisiológicos e marcadores moleculares na tentativa de identificar animais eficientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natália Ludmila Lins Lima, Universidade Federal de Minas Gerais
Departamento de Zootecnia / Produção Animal
Idalmo Garcia Pereira, Universidade Federal de Minas Gerais
Departamento de Zootecnia / Melhoramento Genético Animal
Julimar Sacramento Ribeiro, Universidade Federal de Alagoas
Departamento de Zootecnia/ Produção de Bovinos
Publicado
2014-01-17
Seção
Reviews / Revisões Bibliográficas