Estudo físico-químico e microbiológico do mel de Apis mellifera comercializados no Estado da Paraíba

  • Glayciane Costa Gois UFPB
  • Adriana Evangelista Rodrigues
  • Cristina Aparecida Barbosa Lima
  • Rosa Maria Santos Pessoa

Resumo

Com o objetivo de contribuir para a caracterização da qualidade do mel comercializado no estado da Paraíba foram avaliadas 40 amostras de mel, adquiridas no comércio formal e informal, por meio de análises físico–químicas, microbiológicas e microbiota fúngica. Os resultados físico-químicos foram comparados com os limites estabelecidos pela Instrução Normativa n° 11 de 20 de outubro de 2000. Os resultados demonstraram que a maioria dos valores médios para cada parâmetro físico-químico estava fora dos limites estabelecidos pela legislação vigente. Apenas 2 amostras apresentaram resultados concordantes com a legislação. Quanto à análise de fungos, 29 amostras apresentaram valores acima do máximo estabelecido pela regulamentação técnica para alimentos quanto a contagem de colônias de fungos, sendo consideradas impróprias para o consumo humano de acordo com os padrões exigidos pelo Regulamento Técnico para Fixação e Identidade e Qualidade do Mel. As inconformidades verificadas são decorrentes de possíveis adulterações ou contaminações durante o processo, desde a retirada do mel até sua embalagem. Medidas de boas práticas de fabricação devem ser adotadas para evitar altos índices de contaminação e assim prejudicar a qualidade do mel.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-04-01
Seção
Original Articles / Artigos de Pesquisa

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor (es)