VARIABILIDADE GENÉTICA EM Pennisetum purpureum Schumacher

  • Marcelo Cavalcante
  • Mário de Andrade Lira
Palavras-chave: divergência genética, dissimilaridade genética, análise multivariada, marcadores morfológicos, marcadores enzimáticos, marcadores de DNA

Resumo

O conhecimento sobre a magnitude da variabilidade genética de uma coleção é de grande importância para o sucesso e longevidade dos programas de melhoramento. Alguns autores afirmam existir variabilidade genética em capim elefante (Pennisetum purpureum), sendo esta ampliada com o uso do milheto (P. glaucum) nos programas de hibridação. Neste trabalho são apresentadas considerações sobre variabilidade genética no germoplasma de capim elefante, bem como as principais metodologias empregadas para avaliar a magnitude desta variabilidade. Considerando os trabalhos pesquisados, as metodologias aplicadas (componentes principais, variáveis canônicas, métodos aglomerativos, baseados nas distâncias euclidinanas ou de Mahalanobis; índice de Jaccard e métodos de agrupamento, baseados nas distâncias de Ney & Li) foram eficientes em determinar a variabilidade genética, sendo esta de alta magnitude na maioria dos genótipos estudados no Brasil e em outros países, tanto em nível biométrico quanto em nível molecular, podendo ser explorada por programas de melhoramento através de métodos de seleção ou de hibridações intra e interespecíficas.
Publicado
2010-08-01
Seção
Revisão de Literatura