BETONEIRA PARA ENCAPSULAMENTO NA QUALIDADE DE SEMENTES DE ALGODÃO

  • Vicente de Paula Queiroga
  • José Maria Durán
  • Marleide Magalhães de Andrade Lima
  • Diego Antonio Nóbrega
Palavras-chave: sementes deslintadas, tratamento de sementes, recobrimento, material de recobrimento.

Resumo

Objetivou-se estudar a qualidade fisiológica de sementes de algodão quando submetidas à encapsulação em betoneiras de diferentes capacidades de processamento. Foram avaliadas três betoneiras para a encapsulação: pequena, média, e grande, com capacidade de 10; 20 e 40 litros, respectivamente. A betoneira pequena recebeu sementes deslintadas + tratadas para serem submetidas ao processo de encapsulação com o produto coating e acabamento (metil-celulose). Em seguida, essas sementes encapsuladas foram classificadas em três tipos de massas de sementes (classe 1, 2 e 3). A betoneira média recebeu sementes deslintadas + tratadas para serem submetidas ao processo de encapsulação com o produto finishing, sendo posteriormente classificadas em peneiras retangulares de diferentes tamanhos (5 mm, 5,5 mm e 6 mm). A betoneira grande recebeu sementes deslintadas + tratadas para serem submetidas ao processo de encapsulação (coating e finishing) com e sem corante, além de uma testemunha não encapsulada. Foi adotado o delineamento inteiramente casualizado com quatro repetições. Foram analisadas as variáveis percentagem de germinação, comprimento de plântulas e massa de 100 sementes. Observou-se que o encapsulamento não ocasiona alteração na qualidade fisiológica das sementes e o recobrimento aumenta a massa das sementes.
Publicado
2010-08-01
Seção
Engenharia Agrícola