CULTIVO ORGÂNICO DE RÚCULA EM PLANTIO DIRETO SOB DIFERENTES TIPOS DE COBERTURAS E DOSES DE COMPOSTO

  • Antônio Jussier da Silva Solino
  • Robson de Oliveria Ferreira
  • Regina Lúcia Félix Ferreira
  • Sebastião Elviro de Araújo Neto
  • Jacson Rondinelle da Silva Negreiro
Palavras-chave: Cobertura de solo. Matéria orgânica. Plantio alternativo

Resumo

O objetivo desse trabalho foi avaliar a influência de diferentes tipos de coberturas de solo e doses de composto orgânico na cultura da rúcula. O delineamento experimental foi em blocos casualizados com parcelas subdivididas e quatro repetições. As parcelas corresponderam aos tipos de coberturas do solo (Cobertura viva de amendoim forrageiro (Arachis pintoi), cobertura viva com plantas espontâneas, palhada de plantas espontâneas (Cobertura morta) e solo sem cobertura (Sistema convencional). As subparcelas foram representadas pelas doses de composto orgânico (10, 20 e 30 t ha-1 em base seca). As variáveis analisadas foram: produtividade, massa fresca comercial e massa seca da parte aérea. A dose de 30 t ha-1 proporcionou os maiores valores de produtividade e massa fresca comercial para o sistema convencional e cobertura morta. A dose 20,49 t ha-1 elevou a produtividade e massa fresca comercial para cobertura A. pintoi. A dose 20,85 t ha-1 apresentou maior incremento na produtividade e massa fresca comercial para a cobertura viva de plantas espontâneas. O sistema convencional e cobertura morta apresentaram valores superiores de produtividade para todas as doses estudadas. A dose de 23,1 t ha-1 promoveu o maior valor de massa seca da parte aérea. O sistema convencional e cobertura morta contribuiram com o maior valor de matéria seca da parte aérea.
Publicado
2010-08-01
Seção
Agronomia