GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE Moringa oleifera Lam. EM DIFERENTES SUSTRATOS E TEMPERATURAS

  • Kleane Targino Oliveira Pereira Universidade Federal Rural do Semi-Árido
  • Brenna Rafaella Veríssimo dos Santos Universidade Federal Rural do Semi-Árido
  • Clarisse Pereira Benedito Universidade Federal Rural do Semi-Árido
  • Érica Gomes Lopes Universidade Federal Rural do Semi-Árido
  • Gutierres Silva Medeiros Aquino Universidade Federal Rural do Semi-Árido
Palavras-chave: Sementes florestais. Processo germinativo. Plântulas.

Resumo

A moringa (Moringa oleifera Lam.) é uma espécie exótica originária do Nordeste indiano, da família Moringaceae e possui importância econômica significativa, com diversas aplicações na indústria e na medicina. A espécie se propaga principalmente por sementes. Todavia, a obtenção de informações sobre o comportamento de diversas temperaturas e substratos na germinação torna-se imprescindível, uma vez que ainda não há metodologia padronizada para instalação do teste de germinação. Logo, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a influência de diferentes temperaturas e substratos na germinação e vigor de sementes de Moringa oleifera Lam. O experimento foi desenvolvido no Laboratório de Análise de Sementes da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). O delineamento estatístico utilizado foi o inteiramente casualizado, em esquema fatorial 5x2 (temperaturas x substratos), totalizando 10 tratamentos com quatro repetições de 25 sementes. Os substratos testados foram rolo de papel e entre vermiculita. Em seguida, as sementes foram incubadas em câmara do tipo Biochemical Oxigen Demand (B.O.D.), reguladas nas temperaturas constantes de 20, 25, 30 e 35 °C e alternada 20-30 °C com fotoperíodo de 8 horas. Foram avaliados a porcentagem, tempo médio e o índice de velocidade de germinação, além do comprimento da parte aérea e das raízes e massa seca total das plântulas. O substrato rolo de papel nas temperaturas de 25 ou 30 °C, assim como o substrato vermiculita na temperatura de 30 °C, foram as combinações mais indicadas para avaliar a germinação e o vigor das sementes de Moringa oleifera Lam.

Biografia do Autor

Kleane Targino Oliveira Pereira, Universidade Federal Rural do Semi-Árido
Graduanda em Engenharia Florestal, Bolsista de Iniciação Científica (PICI), Departamento de Ciências Vegetais.
Brenna Rafaella Veríssimo dos Santos, Universidade Federal Rural do Semi-Árido
Graduanda em Agronomia, Bolsista de Iniciação Científica, Departamento de Ciências Vegetais.
Clarisse Pereira Benedito, Universidade Federal Rural do Semi-Árido
Professora da disciplina de Sementes Florestais, Departamento de Ciências Vegetais.
Érica Gomes Lopes, Universidade Federal Rural do Semi-Árido
Graduanda em Engenharia Florestal, Monitora da disciplina Sementes Florestais, Departamento de Ciências Vegetais.
Gutierres Silva Medeiros Aquino, Universidade Federal Rural do Semi-Árido
Graduando em Engenharia Florestal, Bolsista de Iniciação Científica (PICI), Departamento de Ciências Vegetais.

Referências

ANDRADE, A. C. S. et al. Reavaliação do efeito do substrato e temperatura na germinação de sementes de palmiteiro (Euterpe edulis Mart.). Revista Árvore, Viçosa, v. 23, n. 3, p.279-283, 1999.

ALVES, E. U. et al. Effect of temperature and substrate on germination of Peltophorum dubium (Sprengel) Taubert seeds. Acta Scientiarum: Biological Sciences. Maringá, v. 33, n. 1, p. 113 – 118, 2011.

ALVES, E. U. et al. Germinação de sementes e Mimosacaesalpiniaefolia Benth. em diferentes substratos e temperaturas. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 24, n. 1, p. 169-178, 2002.

AZERÊDO, G. A.; PAULA, R.; VALERI, S. V. Temperatura e substrato para a germinação de sementes de Piptadenia moniliformis Benth. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 39, n. 92, p. 479-488, 2011.

BASSACO, M. V. M.; NOGUEIRA, A. C.; COSMO, N. L. Avaliação da germinação em diferentes temperaturas e substratos e morfologia do fruto, semente e plântula de Sebastiania brasiliensis. Revista Floresta, Curitiba, v. 44, n. 3, p. 381-392, 2014.

BEZERRA, A. M. E.; MOMENTÉ, V. G.; MEDEIROS FILHO, S. Germinação de sementes e desenvolvimento de plântulas de moringa em função do peso da semente e do tipo de substrato. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 22, n. 2, p. 295-299, 2004.

BEWLEY, J. D.; BLACK, M. Seeds: physiology of development and germination. New York: Prenum Press, 1994. 445 p.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília: MAPA/ACS, 2009. 395 p.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instruções para análise de sementes de espécies florestais. Brasília: MAPA/ACS, 2013. 97 p.

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 5. ed. Jaboticabal: FUNEP, 2012. 590 p.

FERREIRA, D. F. Sisvar: A computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 35, n. 6, p. 1039-1042, 2011.

FIGLIOLIA, M. B.; OLIVEIRA, E. C.; PIÑA-RODRIGUES, F. C. M. Análise de sementes. In: AGUIAR, I. B.; PIÑA-RODRIGUES, F. C. M.; FIGLIOLA, M. B. (Coord.). Sementes florestais tropicais. Brasília: ABRATES, 1993. p. 137-174.

GALLÃO, M. I.; DAMASCENO, L. F.; BRITO, E. S. Avaliação química e estrutural da semente de moringa. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 37, n. 1, p. 106-109, 2006.

GUEDES, R. S. et al. Substratos e temperaturas para teste de germinação e vigor de sementes de Amburana cearensis (Allemão) A. C. Smith. Revista Árvore, Viçosa, v. 34, n. 1, p. 57-64, 2010.

KAFUKU, G.; MBARAWA, M. Alkaline catalyzed biodiesel production from Moringa oleifera oil with optimized production parameters. Applied Energy, Amsterdam, v. 87, n. 8, p. 2561-2565, 2010.

KOPPER, A. C.; MALAVASI, M. M.; MALAVASI, U. C. Influência da temperatura e do substrato na germinação de sementes de Cariniana estrellensis (Raddi) Kuntze. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 32, n. 2, p. 160-165, 2010.

LABOURIAU, L. G. A germinação das sementes. Washington: Secretaria Geral da Organização dos Estados Americanos, 1983. 174 p.

LIMA, J. D. et al. Efeito da temperatura e do substrato na germinação de sementes de Caesalpinia ferrea Mart. ex Tul. (LEGUMINOSAE, CAESALPINOIDEAE). Revista Árvore, Viçosa, v. 30, n. 4, p. 513-518, 2006.

LIMA, C. R. et al. Temperaturas e substratos na germinação de sementes de Caesalpinia pyramidalis TUL. Revista Brasileira de Sementes, Londrina v. 33, n. 2, p. 216-222, 2011.

LO MONACO, P. A. V. et al. Efeito da adição de diferentes substâncias químicas no extrato de sementes de moringa utilizado como coagulante no tratamento de esgoto sanitário. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 34, n. 5, p. 1038-1048, 2013.

MARTINS, C. C.; MACHADO, C. G.; NAKAGAWA, J. Temperatura e substrato para o teste de germinação de sementes de barbatimão (Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville (Leguminosae). Revista Árvore, Viçosa, v. 32, n. 4, p. 633-639, 2008.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination aid in selection and evoluation for seedling and vigour. Crop Science, Madison, v. 2, n. 2, p. 176-177, 1962.

MONDO, V. H. V. et al. Teste de germinação de sementes de Parapiptadenia rigida (BENTH.) BRENAN (FABACEAE). Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 30, n. 2, p. 177-183, 2008.

NAKAGAWA, J. Testes de vigor baseados no desempenho das plântulas. In: KRZYZANOWSKI, F. C.; VIEIRA, R. D.; FRANÇA NETO, J. B. (Eds.) Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. p. 2.1-2.24.

KISSMANN, C. et al. Tratamentos para quebra de dormência, temperaturas e substratos na germinação de Adenanthera pavonina L. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 32, n. 2, p. 668-674, 2007.

NOGUEIRA et al. Diferentes temperaturas e substratos para germinação de sementes de Mimosa caesalpiniifolia Benth. Revista de Ciências Agrárias, Amazônia, v. 56, n. 2, p. 95-98, 2013.

PACHECO, M. V. et al. Efeito de temperaturas e substratos na germinação de sementes de Myracrodruon urundeuva Fr. All. (Anacardiaceae). Revista Árvore, Viçosa, v. 30, n. 3, p. 359-367, 2006.

PACHECO, M. V. et al. Germinação de sementes de Combretum leprosum MART. Revista Caatinga, Mossoró, v. 27, n. 1, p. 154-162, 2014.

PRITCHARD, M. et al.A comparison between Moringa oleifera and chemical coagulants in the purification of drinking water–An alternative sustainable solution for developing countries. Physics and Chemistry of the Earth, Amsterdam, v. 35, n. 13-14, p. 798-805, 2010.

RASHID, U. et al. Application of response surface methodology for optimizing trans esterification of Moringa oleifera oil: Biodiesel production. Energy Conversion and Management, Amsterdam, v. 52, n. 8-9, p. 3034-3042, 2011.

RANGEL, M. S. Moringa oleifera: um purificador natural de água e complemento alimentar para o nordeste do Brasil. 2003. Disponível em: . Acesso em: 09 dez. 2014.

ROSA, S. G. T. FERREIRA, A. G. Germinação de sementes de plantas medicinais lenhosas. Acta Botanica Brasilica, São Paulo, v. 15, n. 2, p. 147-154, 2001.

SÁNCHEZ-MARTÍN, J.; GHEBREMICHAEL, K.; BELTRÁN-HEREDIA, J. Comparison of single-step and two-step purified coagulants from Moringa oleifera seed for turbidity and DOC removal. Bioresource Technology, Amsterdam, v. 101, n. 15, p. 6259-6261, 2010.

SOUZA, E. B. et al. Germinação de sementes de Adenanthera pavonina L. em função de diferentes temperaturas e substratos. Revista Árvore, Viçosa, v. 31, n. 3, p. 437-443, 2007.

VALADARES, J.; PAULA, R. C. Temperaturas para germinação de sementes de Poecilantheparviflora Benthan (Fabaceae – Faboideae). Revista Brasileira Sementes, Londrina, v. 30 n. 2, p. 164-170, 2008.
Publicado
2015-05-19
Seção
Ciências Florestais