CONDICIONAMENTO FISIOLÓGICO COM DIFERENTES FONTES E CONCENTRAÇÕES DE GLICÍDIOS EM SEMENTES DE BRAQUIÁRIA

Palavras-chave: Urochloa brizantha. Glicose. Sacarose. Maltose. Imersão direta.

Resumo

O condicionamento em sementes é uma prática capaz de possibilitar maior expressão do potencial fisiológico das sementes. Esta técnica permite a sincronização e redução do tempo de germinação das sementes através da hidratação controlada. O objetivo foi avaliar o efeito do condicionamento fisiológico em sementes de Urochloa brizantha com diferentes fontes e concentrações de glicídios na qualidade fisiológica de sementes e desempenho inicial das plântulas. Anterior a aplicação do priming as sementes foram submetidas a escarificação química com ácido sulfúrico concentrado (H2SO4) por 5 minutos para remoção da dormência primária. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, em esquema fatorial 3 x 6, constituído por condicionamento fisiológico utilizando três fontes de glicídios (glicose, sacarose e maltose) e seis concentrações (zero [controle em água], 2%, 5%, 10%, 15% e 20%), com quatro repetições. O condicionamento fisiológico utilizado foi via imersão direta por 2 horas a 25 ºC e, posteriormente a hidratação das sementes, foi realizada a secagem para a retomada da umidade de equilíbrio. Foi realizado teste de germinação, vigor, viabilidade das sementes e crescimento inicial de plântulas. A glicose como fonte de glicídio promoveu efeitos benéficos na germinação de sementes de U. brizantha cv. MG-5. O fornecimento de glicose nas concentrações de 2 e 5% pelo condicionamento fisiológico propiciaram incremento na fitomassa seca de plântulas.

Referências

ARENAS-HUERTERO, F. et al. Analysis of Arabidopsis glucose insensitive mutants, gin5 and gin6, reveals a central role of the plant hormone ABA in the regulation of plant vegetative development by sugar. Genes and Development, New York, v. 14, n. 16, p. 2085–2096, 2000.

BATISTA, T. B. et al. Priming and stress under high humidity and temperature on physiological quality of Brachiaria brizantha cv. MG-5 seeds. Acta Scientiarum. Agronomy, Maringá, v. 38, n. 1, p. 123-127, 2016a.

BATISTA, T. B. et al. Appropriate hydration period and chemical agent improve priming in brachiaria seeds. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 46, n. 3, p. 350-356, 2016b.

BINOTTI, F. F. S. et al. Tratamentos pré-germinativos em sementes de Brachiaria. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife, v. 9, n. 4, p. 614-618, 2014.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília, DF: Mapa/ACS, 2009. 395 p.

CARDOSO, E. D. et al. Desempenho fisiológico e superação de dormência em sementes de Brachiaria brizantha submetidas a tratamento químico e envelhecimento artificial. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 35, n. 1, p. 21-38, 2014.

EVELAND, A. L.; JACKSON, D. P. Sugars, signalling, and plant development. Journal of Experimental Botany, Lancaster, v. 63, n. 9, p. 3367-3377, 2011.

GIBSON, S. I. Control of plant development and gene expression by sugar signaling. Plant Biology, Saint Louis, v. 8, n. 1, p. 93-102, 2005.

GIBSON, S. I.; LABY, R. J.; KIM, D. The sugar-insensitive1 (sis1) mutant of Arabidopsis is allelic to ctr1. Biochemical and Biophysical Research Communications, Martinsried, v. 280, n. 1, p. 196-203, 2001.

LARA, T. S. et al. Potassium nitrate priming affects the activity of nitrate reductase and antioxidant enzymes in tomato germination. Journal of Agricultural Science, Toronto, v. 6, n. 2, p. 72-80, 2014.

LEE, S. A. et al. Analysis of Arabidopsis glucose insensitive growth mutants reveals the involvement of the plastidial copper transporter PAA1 in glucose-induced intracellular signaling. Plant Physiology, Urbana, v. 159, n. 3, p. 1001–1012, 2012.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination aid in selection and evaluation for seedling and vigour. Crop Science, v. 2, n. 2, p. 176-177, 1962.

MARCOS-FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. 2. ed. Londrina, PR: ABRATES, 2015. 660 p.

OLIVEIRA JÚNIOR, L. F. G. et al. Insulina e glicose como moduladores do desenvolvimento de plântulas de milho doce (Su1). Acta Botanica Brasilica, São Paulo, v. 23, n. 3, p. 751-755, 2009.

PRICE, J. et al. Mechanisms of glucose signaling during germination of Arabidopsis. Plant Physiology, Urbana, v. 132, n. 3, p. 1424-1438, 2003.

SILVA, T. A. et al. Condicionamento fisiológico em sementes de soja, componentes de produção e produtividade. Ciência Rural, Santa Maria, v. 46, n. 2, p. 227-232, 2016.

VIEIRA, R. D.; KRYZANOWSKI, F. C. Teste de condutividade elétrica. In: KRYZANOWSKI, F. C.; VIEIRA, R. D.; FRANÇA NETO, J. B. (Eds.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. cap. 4, p. 1-26.

Publicado
16-10-2018
Seção
Agronomia