DESEMPENHO HIDRÁULICO DE GOTEJADORES APLICANDO PERCOLADO DE ATERRO SANITÁRIO DILUÍDO EM ÁGUA

Palavras-chave: Resíduo sólido urbano. Lixiviado. Emissores. Obstrução.

Resumo

A aplicação localizada de percolado diluído permite o desenvolvimento de gramíneas na superfície das células dos aterros sanitários, entretanto a obstrução dos emissores dos sistemas de irrigação consiste no maior obstáculo desta atividade. Objetivou-se com a realização do presente trabalho selecionar modelos empíricos do coeficiente de uniformidade de Christiansen, coeficiente de uniformidade de distribuição e coeficiente de uniformidade estatístico de unidades gotejadoras aplicando percolado diluído em função do tempo de operação e da qualidade do efluente. Para isso, montou-se um experimento em parcelas subsubdivididas. Nas parcelas tem-se as pressões de serviço (70, 140, 210 e 280 kPa), nas subparcelas os tipos de gotejadores (G1 - 1,65 L h-1; G2 - 2,0 L h-1; e 4,0 L h-1) e nas subsubparcelas os tempos de operação das unidades gotejadoras (0, 20, 40, 60, 80, 100, 120, 140 e 160 h). O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado com três repetições. Os dados dos indicadores de desempenho hidráulico e da qualidade do efluente foram obtidos a cada 20 h, até completar 160 h de funcionamento, sendo posteriormente submetidos às análises de regressão simples e múltipla. Os resultados indicaram que o gotejador G3 operando nas pressões de serviço 70 e 140 kPa foram as combinações que melhor atenuaram o entupimento com biofilme. Os modelos de regressão linear e raiz quadrada foram os que melhor representaram a redução da uniformidade de aplicação do efluente em função do tempo de operação nas unidades gotejadoras. As relações lineares revelaram que os teores de cálcio e os níveis populacionais de coliformes totais foram as características do percolado de aterro diluído que mais interferiram no processo de obstrução dos gotejadores.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. NBR ISO 9261. Equipamentos de irrigação agrícola: emissores e tubos emissores: especificações e métodos de ensaio. São Paulo, SP: ABNT, 2006. 17 p.

BATISTA, R. O. et al. Modelos empíricos da irrigação localizada com esgoto sanitário tratado. Engenharia na Agricultura, Viçosa, v. 16, n. 3, p .369-377, 2008.

BATISTA, R. O. et al. Taponamiento de goteros y del filtro de discos con agua residual sanitaria de uma laguna de maduración. Revista Facultad Nacional de Agronomía, Medellín, v. 62, n. 1, p. 4957-4966, 2009.

BATISTA, R. O. et al. Efeito das características do esgoto doméstico na uniformidade de aplicação de sistemas de irrigação por gotejamento. Revista Caatinga, Mossoró, v. 24, n. 4, p. 137-144, 2011a.

BATISTA, R. O. et al. Influência de diferentes qualidades de esgoto doméstico na vazão de gotejadores. Revista Caatinga, Mossoró, v. 24, n. 3, p. 128-134, 2011b.

BATISTA, R. O. et al. Obstrução e uniformidade de aplicação em sistemas de irrigação por gotejamento aplicando-se efluente da suinocultura. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 17, n. 7, p. 698-705, 2013.

BATISTA, R. O. et al. Modelos empíricos da aplicação de água residuária de suinocultura por gotejadores sob pressões de serviço. Irriga, Botucatu, v. 21, n. 4, p. 648-661, 2016.

BATISTA, R. O.; OLIVEIRA, A. F. M.; MESQUITA, F. O. Desempenho hidráulico de sistemas de irrigação por gotejamento operando com água residuária da suinocultura. Magistra, Cruz das Almas, v. 26, n. 1, p. 75-88, 2014.

BHATT, A. H. et al. Estimating landfill leachate BOD and COD based on rainfall, ambient temperature, and waste composition: Exploration of a MARS statistical approach. Environmental Technology & Innovation, Lancaster, v. 8, n. 1, p. 1-16, 2017.

CAPRA, A.; SCICOLONE, B. Water quality and distribution uniformity in drip/trickle irrigation systems. Journal of Agricultural Engineering Research, London, v. 70, n. 4, p. 355-365, 1998.

CEARÁ. Resolução COEMA nº 2 de 2 de fevereiro de 2017. Dispõe sobre padrões e condições para lançamento de efluentes líquidos gerados por fontes poluidoras, revoga as Portarias SEMACE nº 154, de 22 de julho de 2002 e nº 111, de 05 de abril de 2011, e altera a Portaria SEMACE nº 151, de 21 de fevereiro de 2017. Diário Oficial do Estado do Ceará, Fortaleza, 2002. Disponível em: <https://www.legisweb.com.br/legislacao/?id=337973>. Acesso em: 28 dez. 2017.

COELHO, D. C. L. et al. Produção de capim elefante utilizando percolado de aterro sanitário. Bioscience Journal, Uberlândia, v. 31, n. 3, p. 830-840, 2015.

DAZHUANG, Y. et al. Biofilm structure and its influence on clogging in drip irrigation emitters distributing reclaimed wastewater. Journal of Environmental Sciences, Beijing, v. 21, n. 6, p. 834-841, 2009.

DURAN-ROS, M. et al. Effect of filter, emitter and location on clogging when using effluents. Agricultural Water Management, Amsterdam, v. 96, n. 1, p. 67-79, 2009.

EROGLU, S. et al. Bacterial application increased the flow rate of CaCO3-clogged emitters of drip irrigation system. Journal of Environmental Management, London, v. 98, n. 1, p. 37-42, 2012.

GUTIERREZ, K. G.; MATOS, A. T.; ROSSMANN, M. Influência da presença de camada de resíduos de construção civil na remoção de metais pesados em percolado recirculado de aterro sanitário. Ambi-Água, Taubaté, v. 5, n. 2, p. 87-98, 2010.

LI, G. et al. Effects of average velocity on the growth and surface topography of biofilms attached to the reclaimed wastewater drip irrigation system laterals. Irrigation Science, New York, v.30, n. 2, p. 103-113, 2011.

LIU, H.; HUANG, G. Laboratory experiment on drip emitter clogging with fresh water and treated sewage effluent. Agricultural Water Management, Amsterdam, v. 96, n. 5, p. 745-756, 2009.

MARQUES, B. C. D. et al. Desempenho de gotejadores operando com água residuária de laticínios em escala laboratorial. Irriga, Botucatu, v. 21, n. 1, 140-155, 2016.

MATOS, A. T.; CARVALHO, A. L.; AZEVEDO, I. C. D. Viabilidade do aproveitamento agrícola de percolados de resíduos sólidos urbanos. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 12, n. 4, p. 435-440, 2008.

MESQUITA, F. O. et al. Desempenho de gotejadores aplicando percolado de aterro sanitário diluído. Irriga, Botucatu, v. 21, n. 1, 156-171, 2016a.

MESQUITA, F. O. et al. Drip units operating with dilute landfill leachate. Revista Caatinga, Mossoró, v. 29, n. 1, 163-172, 2016b.

OLIVER, M. M. H.; HEWA, G. A.; PEZZANITI, D. Bio-fouling of subsurface type drip emitters applying reclaimed waterunder medium soil thermal variation. Agricultural Water Management, Amsterdam, v. 133, n. 1, p. 12-23, 2014.

PIMENTEL GOMES, F. Curso de estatística experimental. 15. ed. Piracicaba, SP: FEALQ, 2009. 451 p.

RICE, E. W.; BAIRD, R. B.; CLESCERI, A. D. Standard methods for the examination of water and wastewater. 22. ed. Washington: APHA, AWWA, WPCR, 2012. 1496 p.

SILVA, D. F. et al. Alteração química de solo cultivado com capim Tifton 85 (Cynodon spp.) e fertirrigado com percolado de resíduo sólido urbano. Acta Scientiarum. Technology, Maringá, v. 33, n. 3, p. 243-251, 2011.

SILVA, K. B. et al. Desempenho de gotejadores operando com efluente da castanha de caju sob distintas pressões de serviço. Revista Ceres, Viçosa, v. 60, n. 3, p. 339-346, 2013.

SILVA, K. B. et al. Empirical models for performance of drippers applying cashew nut processing wastewater. Revista Caatinga, Mossoró, v. 29, n. 2, p. 405-414, 2016.

SILVA, L. P. et al. Desempenho de gotejadores autocompensantes com diferentes efluentes de esgoto doméstico. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 16, n. 5, p. 480-486, 2012.

TRIPATHI, V. K.; RAJPUT, T. B. S.; PATEL, N. Biometric properties and selected chemical concentration of cauliflower influenced by wastewater applied through surface and subsurface drip irrigation system. Journal of Cleaner Production, Amsterdam, v. 139, n. 1, p. 396-406, 2016.

YAN, D. et al. Biofilm structure and its influence on clogging in drip irrigation emitters distributing reclaimed wastewater. Journal of Environmental Sciences, Beijing, v. 21, n. 6, p. 834-841, 2009.

Publicado
17-10-2018
Seção
Engenharia Agrícola