CONTROLE DE MILHO VOLUNTÁRIO RESISTENTE AO GLYPHOSATE COM HERBICIDAS INIBIDORES DA ACCase

Palavras-chave: Glycine max. Graminicidas. Manejo. Tolerância. Zea mays.

Resumo

O controle das plantas voluntárias foi dificultado com o advento das culturas geneticamente modificadas para tolerância ao herbicida glyphosate, exigindo novas recomendações técnicas para manejo. Este trabalho foi desenvolvido com o objetivo de avaliar alternativas para controle químico de plantas voluntárias de milho resistentes ao glyphosate, infestantes na cultura da soja, por meio de herbicidas graminicidas inibidores da ACCase. Dois experimentos foram desenvolvidos em campo, sendo um em Santa Cruz das Palmeiras (SP) e outro em Não-Me-Toque (RS). Para representar as plantas voluntárias de milho, sementes do híbrido DKB 390 YGRR2 foram distribuídos nas entrelinhas da soja, na densidade de 6 plantas m-2. Adotaram-se 14 tratamentos, resultantes da combinação dos herbicidas clethodim (65 e 84 g ha-1), sethoxydim (138 e 165 g ha-1) e haloxyfop (36 e 45 g ha-1), com dois estádios fenológicos da cultura de soja (três (3T) e seis (6T) trifólios); estando as plantas de milho voluntário nos estádios V4/V5 e V7/V8, respectivamente. Foi adicionado um tratamento sem aplicação de herbicidas e uma testemunha capinada manualmente. A pulverização dos graminicidas sobre plantas de milho em V4/V5 promoveu melhor consistência dos resultados e eficácia geral. A produtividade da soja foi reduzida em ambas as localidades com as pulverizações realizadas somente em V7/V8. Assim sendo, medidas de controle do milho voluntário resistente ao glyphosate devem ser adotadas precocemente, sobretudo quando o milho for resultante de grãos perdidos no processo de colheita. Neste sentido, destaca-se a adoção dos herbicidas clethodim e haloxyfop por sua eficácia consistente.

Referências

ARTUZI, J. P.; CONTIERO, R. L. Herbicidas aplicados na soja e produtividade do milho em sucessão. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 41, n. 7, p. 1119-1123, 2006.

BECKETT, T. H.; STOLLER, E. W. Volunteer maize (Zea mays) interference in soybeans (Glycine max). Weed Science, v. 35, n. 2, p. 159-166, 1988.

CARVALHO, S. J. P. et al. Herbicide selectivity by differential metabolism: consideration for reducing crop damages. Scientia Agricola, v. 66, n. 1, p. 136-142, 2009.

CHAHAL, P. S. et al. Efficacy of pre-emergence and post emergence soybean herbicides for control of glufosinate-, glyphosate-, and imidazolinone-resistant volunteer maize. Journal of Agricultural Science, v. 6, n. 8, p. 431-443, 2014.

CLEWIS, S. B. et al. Glufosinate resistant maize interference in glufosinate resistant cotton. Weed Technology, v. 22, n. 2, p. 211-216, 2008.

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO - CONAB. Acompanhamento da safra brasileira: grãos, safra 2017/2018. Brasília: CONAB, 2018. 125 p.

COSTA, N. V. et al. Glyphosate tolerant volunteer maize control at two development stages. Planta Daninha, v. 32, n. 4, p. 675-682, 2014.

DEEN, W. et al. Control of volunteer glyphosate-resistant maize (Zea mays) in glyphosate-resistant soybean (Glycine max). Weed Technology, v. 20, n. 1, p. 261-266, 2006.

DIAS, A. C. R.; CARVALHO, S. J. P.; CHRISTOFFOLETI, P. J. Fenologia da trapoeraba como indicador para tolerância ao herbicida glyphosate. Planta Daninha, v. 31, n. 1, p. 185-191, 2013.

FRANS, R. et al. Experimental design and techniques for measuring and analyzing plant responses to weed control practices. In: CAMPER, N.D. (Eds.). Research methods in weed science. Champaign: Southern Weed Science Society, 1986. 3. ed. cap. 2, p.29-46.

LÓPEZ-OVEJERO, R. F. et al. Interferência e controle de milho voluntário tolerante ao glifosato na cultura da soja. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 51, n. 4, p. 340-347, 2016a.

LÓPEZ-OVEJERO, R.F. et al. Resistência de plantas daninhas aos herbicidas inibidores da ACCase (Grupo A). In: CHRISTOFFOLETI, P.J.; NICOLAI, M. (Coord.). Aspectos de resistência de plantas daninhas a herbicidas. Piracicaba: ESALQ, 2016b. 4. ed., cap.5, p. 77-97.

MACIEL, C. D. G. et al. Eficácia do herbicida haloxyfop R (GR‑142) isolado e associado ao 2,4D no controle de híbridos de milho RR® voluntário. Revista Brasileira de Herbicidas, v. 12, n. 2, p. 112-123, 2013.

MARCA, V. et al. Chemical control of glyphosate-resistant volunteer maize. Revista Brasileira de Herbicidas, v. 14, n. 2, p. 103-110, 2015.

MARQUARDT, P.; KRUPKE, C.; JOHNSON, W. G. Competition of transgenic volunteer maize with soybean and the effect on western maize rootworm emergence. Weed Science, v. 60, n. 2, p. 193-198, 2012.

MARQUARDT, P.; JOHNSON, W. G. Influence of clethodim application timing on control of volunteer maize in soybean. Weed Technology, v. 27, n. 4, p. 645-648, 2013.

PETTER, F. A. et al. Volunteer RR® maize management in roundup ready® soybean-maize succession system. Planta Daninha, v. 33, n. 1, p. 119-128, 2015.

PUZZI, D. Abastecimento e armazenagem de grãos. 1. ed. Campinas, SP: Instituto Campineiro de Ensino Agrícola, 1985. 603p.

SASAKI, Y.; NAGANO, Y. Plant acetyl-CoA carboxylase: structure, biosynthesis, regulation, and gene manipulation for plant breeding. Bioscience, Biotechnology and Biochemistry, v. 68, n. 6, p. 1175-1184, 2004.

SCOTT, A. J.; KNOTT, M. A. Cluster analysis method for grouping means in the analysis of variance. Biometrics, v. 30, n. 2, p. 507-512, 1974.

SOCIEDADE BRASILEIRA DA CIÊNCIA DAS PLANTAS DANINHAS - SBCPD. Procedimentos para instalação, avaliação e análise de experimentos com herbicidas. 1. ed. Londrina, PR: SBCPD, 1995. 42p.

SOLTANI, N.; SHORPSHIRE, C.; SIKKEMA, P. H. Control of volunteer glyphosate-tolerant maize (Zea mays) in glyphosate-tolerant soybean (Glycine max). Crop Protection, v. 25, n. 2, p. 178-181, 2006.

SOUZA, C. M. A. et al. Perdas na colheita mecanizada de milho em agricultura familiar da Zona da Mata mineira. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, v. 5, n. 2, p. 280-290, 2006.

STECKEL, L. E.; THOMPSON, M. A.; HAYES, R. M. Herbicide options for controlling glyphosate-tolerant maize in a maize replant situation. Weed Technology, v. 23, n. 2, p. 243-246, 2009.

THOMAS, W. E. et al. Glyphosate resistant maize interference in glyphosate‑resistant cotton. Weed Technology, v. 21, n. 2, p. 372-377, 2007.

Publicado
2019-08-22
Seção
Agronomia