DINÂMICA DA VEGETAÇÃO HERBÁCEA EM CAATINGA MANIPULADA COM EXCLUSÃO DE PASTEJO SOB ADUBAÇÃO FOSFATADA

Palavras-chave: Composição florística. Massa de forragem. Semiárido.

Resumo

O semiárido representa cerca de 70% da superfície do Nordeste brasileiro e o recurso forrageiro de maior expressão é a Caatinga, cobrindo aproximadamente 54% desta região. Porém, cerca de 40% dessa vegetação encontra-se em sucessão secundária e as áreas em processo de degradação de intensidade baixa a severa, já somam mais de 20 milhões de hectares, reflexo do uso intenso da terra, dentre elas o superpastejo. Objetivou-se avaliar a influência de diferentes doses de fósforo (0, 50 e 100 kg de P2O5 ha-1 ano), em área de Caatinga manipulada, sem pastejo por quatro anos, sobre a dinâmica da vegetação herbácea em diferentes épocas do ano.  O experimento foi conduzido na Unidade Acadêmica de Serra Talhada-UFRPE, durante os anos de 2015 a 2016. Foi utilizado delineamento em blocos casualizados, com três blocos e quatro repetições por bloco. A adubação fosfatada em áreas de exclusão ao pastejo promoveu aumento da massa de forragem do estrato herbáceo da Caatinga enriquecida, em todas as épocas de avaliação, com destaque para a época seca de 2016, que obeteve valores acima da média de 7950 kg de MS ha-1. Promoveu aumento da participação do capim-buffel na composição florística, elevando sua participação na área em torno de 74% para a dose máxima de fósforo utilizada. Neste sentido, a adubação fosfatada até 100 kg de P2O5 ha-1 ano, juntamente com a exclusão ao pastejo, pode ajudar na recuperação da Caatinga enriquecida com capim-buffel e otimizar a sua utilização diminuindo a formação de novas áreas de pastejo na Caatinga.

Referências

ALLEN, R. G. et al. Crop evapotranspiration: Guidelines for computing crop water requirements. Rome: FAO, 1998. 300 p. (FAO – Irrigation and Drainage Paper, 56).

ALLEN, R. G. REF-ET: Reference evapotranspiration calculator - Version 2.1. Kimberly: Idaho University, 2000. 82 p.

ALVES, L. S. et al. Regeneração natural em uma área de caatinga situada no município de Pombal-PB, Brasil. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, Mossoró, v. 5, n. 2, p. 152-168, 2010.

ANDRADE, L. A. et al. Análise da vegetação sucessional em campos abandonados no agreste paraibano. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife, v. 2, n. 2, p. 135-142, 2007.

ARAÚJO, M. M. et al. Uso do fósforo em gramíneas e leguminosas cultivadas em Neossolo do semiárido. Agropecuária Científica no Semiárido, Campina Grande, v. 6, n. 1, p. 40-46, 2010.

BALEMI, T.; NEGISHO, K. Management of soil phosphorus and plant adaptation mechanisms to phosphorus stress for sustainable crop production: a review. Journal of Soil Science and Plant Nutrition, Temuco, v. 12, n. 3, p. 547-561, 2012.

BERTOL, I.; MAFRA, A. L.; COGO, N. P. Conservação do solo em pastagens. In: SIMPÓSIO SOBRE MANEJO DA PASTAGEM, 23., 2006, Piracicaba. Anais... Piracicaba: FEALQ, 2006. p. 139-163.

COSTA, N. L. Resposta de pastagens degradadas de Brachiaria brizantha cv. Marandu a doses de nitrogênio e fósforo. In: REUNIAO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 37., 2000, Viçosa. Anais... Viçosa: Sociedade Brasileira de Zootecnia, 2000. p. 131.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA - EMBRAPA. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 3. ed. Rio de Janeiro, RJ: EMBRAPA Solos, 2013. 353 p.

GONÇALVES et al. Relações planta-animal em ambiente pastoril heterogêneo: processo de ingestão de forragem. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v. 38, n. 9, p. 1655-1662, 2009.

HODGSON, J. Grazing management: science into practice. Longman Handbooks in Agriculture. New York: John Wiley & Sons, 1990. 203 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Mapa de Biomas e de Vegetação. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/geociencias/default_prod.shtm_MAPAS>. Acesso em: 20 de dez. 2013.

INSTITUTO AGRONÔMICO DE PERNAMBUCO - IPA. Recomendações de adubação para o estado de Pernambuco: 2ª aproximação. 3. ed. Recife, PE: IPA, 2008. 212 p.

JONES, R. M.; HARGREAVES, J. N. G. Improvements to the dry-weight-rank method for measuring botanical composition. Grass and Forage Science, Oxford, v. 34, n. 34, p. 181-189, 1979.

LAZARIDES, M, COWLEY, K.; HOHNEN, P. CSIRO Handbook of Australian Weeds. 1. ed. Collingwood, Victoria: CSIRO Publishing, 1997. 264 p.

LIMA, R. P. et al. Aporte e decomposição da serapilheira na Caatinga no Sul do Piauí. Revista Floresta e Ambiente, Rio de Janeiro, v. 22, n. 1, p. 42-49, 2015.

LITTELL, R. C.; HENRY, P. R.; AMMERMAN, C. B. Statistical analysis of repeated measures data using SAS procedures. Journal of Animal Science, v. 76, n. 4, p. 1216-1231, 1998.

LOPES, J. F. B. et al. Deposição e decomposição de serapilheira em área da Caatinga. Revista Agroambiente, Boa Vista, v. 3, n. 2, p. 72-79, 2009.

LU, X. et al. Short-term grazing exclusion has no impact on soil properties and nutrients of degraded alpine grassland in Tibet, China. Solid Earth, Hoboken, v. 6, n. 4, p. 1195, 2015.

MARINHO, F. P. et al. Effects of past and present land use on vegetation cover and regeneration in a tropical dryland forest. Journal of Arid Environments, Londres, v. 132, n. 9, p. 26-33, 2016.

MCSHERRY, M. E., RITCHIE, M. E. Effects of grazing on grassland soil carbon: a global review. Global Change Biology, Oxford, v. 19, n. 5, p. 1347–1357, 2013.

MELO, R. O. et al. Susceptibilidade àcompactação e correlação entre as propriedades físicas de um Neossolo sob vegetação de Caatinga. Revista Caatinga, Mossoró, v. 21, n. 5, p. 12-17, 2008.

MILES, L.et al. A global overview of the conservation status of tropical dry forests. Journal of Biogeography, Oxford, v. 33, n. 3, p. 491–505, 2006.

MOREIRA, J. N. et al. Caracterização da vegetação e da dieta de ovinos em área de caatinga no sertão de Pernambuco. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 41, n. 11, p. 1643-1651, 2006.

MOURA, J. G. Caatinga manejada com diferentes ofertas de forragem e adubação fosfatada em diferentes épocas do ano, em Serra Talhada-PE. 2017. 108 f. Tese (Doutorado em Zootecnia: Área de concentração em Forragicultura) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2017.

OLIVEIRA, O. F. et al. Características quantitativas e qualitativas de Caatinga raleada sob pastejo de ovinos, Serra Talhada (PE). Revista Caatinga, Mossoró, v. 28, n. 3, p. 223-229, 2015a.

OLIVEIRA, L. B. et al. Long-Term Effects of Phosphorus on Dynamics of an Overseeded Natural Grassland in Brazil. Rangeland Ecology & Management, Lawrence, v. 68, n. 6, p. 445-452, 2015b.

PEREIRA, I. M. et al. Regeneração natural em um remanescente de caatinga sob diferentes doses de perturbação, no agreste paraibano. Acta Botânica Brasílica, São Paulo, v. 15, n. 3, p. 431-426, 2001.

PEREIRA FILHO, J. M.; VIEIRA, E. L. Terminação de ovinos em pastagem: Uma Abordagem para o Semiárido. Semiárido em Foco, Campina Grande, v. 2, n. 1, p. 33-55, 2006.

PREVEDELLO, C. L. Física do solo: com problemas resolvidos. 1. ed. Curitiba, PR: Salesward-Discovery, 1996. 446 p.

RIBEIRO, E. et al. Chronic anthropogenic disturbance drives the biological impoverishment of the Brazilian Caatinga vegetation. Journal of Applied Ecology, Oxford, v. 52, n. 3, p. 611-620, 2015.

SANTOS, M. V. F. et al. Potential of Caatinga forage plants in ruminant feeding. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v. 39, suppl. spe. p. 204-215, 2010.

SILVA, M. C. et al. Avaliação de métodos para recuperação de pastagens de braquiária no agreste de Pernambuco. 1. Aspectos quantitativos. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v. 33, n. 6, p. 1999-2006, 2004.

SILVA, M. G. S. et al. Dinâmica da associação de capim-milhã e capim-de-raiz em pasto diferido. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v. 40, n. 11, p. 2340-2346, 2011.

SILVA, T. G. F. et al. Soil water dynamics and evapotranspiration of forage cactus clones under rainfed conditions. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Rio de Janeiro, v. 50, n. 7, p. 515-525, 2015.

SOARES, B. K. L. Influência do relevo nas características morfológicas e físicas de cambissolos no Semiárido pernambucano. 2015. 52 f. Monografia (Curso de Agronomia) - Universidade Federal Rural de Pernambuco, Serra Talhada, 2015.

MANNETJE, L. T.; HAYDOCK, K. P. The dry-weight-rank method for the botanical analysis of pasture. Grass and Forage Science, Oxford, v. 18, n. 4, p. 268-75, 1963.

TAWARAYA, K.; HIROSE, R.; WAGATSUMA, T. Inoculation of arbuscular mycorrhizal fungi can substantially reduce phosphate fertilizer application to Allium fistulosum L. and achieve marketable yield under field condition. Biology and Fertility of Soils, Berlim, v. 18, n. 7, p. 839-843, 2012.

VANCE, C. P.; UHDE-STONE, C.; ALLAN, D. Phosphorus acquisition and use: critical adaptation by plants for securing non-renewable resources. New Phytologist, Cambridge, v. 157, n. 3, p. 423-447, 2003.

VELLOSO, A. L.; SAMPAIO, E. V. S. B.; PAREYN, F. G. C. Ecorregiões propostas para o bioma caatinga, 1. ed. Recife, PE: Associação Plantas do Nordeste, Instituto de Conservação Ambiental, The Nature Conservancy do Brasil, 2002. 76 p.

WANG, D. et al. Grazing exclusion effects on above- and below-ground C and N pools of typical grassland on the Loess Plateau (China). Catena, Amsterdam, v. 123, n. 12, p. 113–120, 2014.

YDOYAGA-SANTANA, D. F. et al. Caracterização da caatinga e da dieta de novilhos fistulados, na época chuvosa, no semiárido de Pernambuco. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v. 40, n. 1, p. 69-78, 2011.

YE, J. B. et al. Past climate change and recent anthropogenic activities affect genetic structure and population demography of the greater long-tailed hamster in Northern China. Integrative Zoology, Pequim, v. 10, n. 5, p. 482–496, 2015.

Publicado
17-10-2018
Seção
Zootecnia