ESPACIALIZAÇÃO DA CONDUTIVIDADE ELÉTRICA E PARÂMETROS FÍSICO-HÍDRICOS SOB DIFERENTES USOS EM REGIÃO ALUVIAL

Palavras-chave: EM38. Serviços ecossistêmicos. Uso de solo. Beerkan. Geoestatística.

Resumo

A caracterização da estrutura de variabilidade espacial de propriedades hidráulicas e da salinidade do solo é de grande importância para um adequado manejo agrícola de vales aluviais e para proteção da vegetação ciliar. Dessa forma, o objetivo deste trabalho foi a verificação da precisão de medições indiretas da condutividade elétrica aparente (CEa) utilizando o EM38®, bem como de parâmetros físico-hídricos do solo, e suas inter-relações espaciais. O estudo foi desenvolvido na Unidade Avançada de Pesquisa da UFRPE, localizada na Bacia do Rio Brígida, município de Panamirim-PE, no período do segundo semestre de 2016, possuindo uma faixa de mata ciliar de 100 m de largura, transversalmente a cada margem do rio. Adotou-se uma área com malha regular 20 x 10 m, totalizando 80 pontos, onde foram feitas avaliações da condutividade hidráulica e a calibração da CEa. A utilização da geoestatística permitiu identificar a dependência espacial e a dependência de todos atributos estudados, possibilitando sua espacialização e a utilização das leituras indiretas no mapeamento de precisão. Verificou-se que 86% da variabilidade da condutividade elétrica do solo pode ser explicada pelas leituras indiretas com o equipamento de indução eletromagnética (EM38®). Os valores de alcance foram de 80 m, 380 m e 134 m foram obtidas para a umidade do solo, CEa e condutividade hidráulica, respectivamente, as quais apresentaram forte dependência espacial. Verificou-se a relevância da mata ciliar na manutenção de umidade e porosidade do solo e, principalmente, contribuição para uma maior capacidade de infiltração do solo, mesmo para condições severas de escassez, e para as camadas sub-superficiais do mesmo.

Referências

ALARCÓN-JIMÉNEZ, M. F.; CAMACHO, J. H.; BERNAL, J. H. Management zones based on corn yield and soil physical attributes. Agronomía Colombiana, v. 3, n. 33, p. 373-382, 2015.

BORRELLI, P. et al. Wind erosion susceptibility of European soils. Geoderma, v. 23, n. 4, p. 471–478, 2014.

BOTTEGA, E. L. et al. Estimativa de valores granulométricos do solo em locais não amostrados utilizando-se cokrigagem. Agrária, v. 9, n. 2, p. 244-250, 2014.

CAMBARDELLA, C. A. et al. Field scale variability of soil properties in central Iowa soil. Soil Science Society of America Journal, v. 47, n. 5, p. 1501-1511, 1994.

CAMPOS, M. C. C. et al. Variabilidade espacial dos atributos físicos em um argissolo vermelho sob floresta. Comunicata Scientiae, v. 4, n. 2, p. 168-178, 2013.

CORWIN, D. L.; LESCH, S. M. Applications of soil electrical conductivity to precision agriculture: Theory, principles, and guidelines. Agronomy Journal, v. 95, n. 3, p. 455-471, 2003.

CORWIN, D. L. Applications of apparent soil electrical conductivity in precision agriculture. Computers and Electronics in Agriculture, v. 46, n. 1, p. 1-10, 2005.

COSTA, M. M. et al. Moisture content effect in the relationship between apparent electrical conductivity and soil attributes. Acta Scientiarum. Agronomy, v. 36, n. 4, p. 395-401, 2014.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA - EMBRAPA. Manual de métodos de análises de solos. 3. ed. Rio de Janeiro, RJ: Embrapa Solos, 2011. 230 p.

GEONICS, EM 38. Ground conductivity meter operating manual. 1. ed. Ontário: GEONICS Ltd. 1999. 69 p.

GOLDEN SOFTWARE. Surfer: User´s Guide (Version 7.0). 1. ed. EEUU: Golden Software, 1999. 679 p.

GUO, Y. et al. Mapping spatial variability of soil salinity in a coastal paddy field based on electromagnetic sensors. PloS one, v. 10, n. 1, e0127996, 2015.

HAVERKAMP, R. et al. Soil properties and moisture movement in the unsaturated zone. 1. ed. Abingdon: Taylor & Francis Group, 1998. 130 p.

LABORCZI, A. et al. Mapping of topsoil texture in Hungary using classification trees. Journal of Maps, v. 12, n. 5, p. 999–1009, 2015.

LASSABATÈRE, L. et al. Beerkan estimation of soil transfer parameters through infiltration experiments – BEST. Soil Science Society of American Journal, v. 70, n. 2, p. 521-532, 2006.

LESCH, S. M. et al. Mapping soil salinity unsing calibrated electromagnetic measurements. Soil Science Society of America Journal, v. 56, n. 2, p. 540-548, 1992.

LIMA, J. W. et al. Comparative hydrology: relationships among physical characteristics, hydrological behavior, and results of the SWAT model in different regions of Brazil. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 7, n. 6, p. 1187-1195, 2015.

LOPES, I. et al. Análise multivariada no estudo da variação do Índice de Aridez da Bahia e Pernambuco. Agrometeoros, v. 26, n. 1, p. 93-102, 2018.

LOPES, I. et al. Balanço hídrico em função de regimes pluviométricos na região de Petrolina-PE. Irriga, v. 22, n. 3, p. 443-457, 2017.

MOLIN, J. P.; FAULIN, G. D. C. Spatial and temporal variability of soil electrical conductivity related to soil moisture. Scientia Agricola, v. 70, n. 1, p. 1–5, 2013.

MONTE-MOR, R. C. A. et al. Estabilidade temporal da distribuição espacial da umidade do solo em uma bacia intermitente no semiárido de Minas Gerais. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v. 17, n. 3, p. 101-113, 2012.

MONTENEGRO, A. A. A. et al. Avaliação da salinidade de Neossolo usando-se dispositivo de indução eletromagnética. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 14, n. 6, p. 608-617, 2010.

MONTENEGRO, A. A. A. et al. Impact of Mulching on Soil and Water Dynamics under Intermittent Simulated Rainfall. Catena, v. 109, n. 1, p. 139-149, 2013.

MONTENEGRO, A. A. A.; MONTENEGRO, S. M. G. L. Variabilidade espacial de classes de textura, salinidade e condutividade hidráulica de solos em planície aluvial. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 10, n. 1, p. 30-37, 2006.

OLIVEIRA JUNIOR, J. A. S. et al. Variabilidade espacial de propriedades hidrodinâmicas de um Neossolo Regolítico sob pastagem e caatinga. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 18, n. 6, p. 631-639, 2014.

PARENTE, H. N.; et al. Impacto do pisoteio caprino sobre atributos do solo em área de caatinga. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, v. 11, n. 2, p. 331-341, 2010.

RHOADES, J. D.; CHANDUVI, F.; LESCH, S. Soil salinity assessment methods and interpretation of electrical conductivity measurements. 57. ed. Rome: FAO, 1999. 155 p.

RHOADES, J. D.; CORWIN, D. L. Determining soil electrical conductivity – depth relations using inductive electromagnetic soil conductivity meter. Soil Science Society America Journal, v. 45, n. 2, p. 54-60, 1981.

RHOADES, J. D. et al. New calibrations for determining soil electrical conductivity-depth relations from electromagnetic measurements. Soil Science Society America Journal, v. 53, n. 1, p. 74-79, 1989.

RICHARDS, L. A. Diagnosis and improvement of saline and alkali soils. 1. ed. Washington, DC: AGRICULTURE HANDBOOK, 1954. 160 p.

SANTOS, K. S. et al. Variabilidade espacial de atributos físicos em solos de vale aluvial no semiárido de Pernambuco. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 16, n. 8, p. 828–835, 2012.

SCHLOSSER, K. et al. A geophysical field investigation of infiltration during rain events in the riparian zone. Geological Society of America, v. 45, n. 7, p. 263, 2013.

SILVA, J. J. M. et al. Avaliação da salinidade de Neossolo usando-se dispositivo de indução eletromagnética. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 14, n. 6, p. 608-617, 2010.

SOUZA, E. R. et al. Variabilidade espacial das frações granulométricas e de salinidade em um Neossolo Flúvico no semiárido. Ciência Rural, v. 38, n. 2, p. 698-704, 2008.

THIESSON, J. et al. Calibration of frequency-domain electromagnetic devices used in near-surface surveying. Near Surface Geophysics, v. 12, n. 4, p. 481-491, 2014.

TRIANTAFILLIS, J.; AHMED, M. F.; ODEH, I. O. A. Application of a mobile electromagnetic sensing system (MESS) to assess cause and management of soil salinitization in an irrigated cotton-growing field. Soil Use and Management, v. 18, n. 4, p. 330-339, 2002.

VAUCLIN, M. et al. The use of cokringing with limited field soil observation. Soil Science Society of America Journal, v. 47, n. 1, p. 175-184, 1983.

VIDON, P. Towards a better understanding of riparian zone water table response to precipitation events: surface water infiltration, hillslope contribution, or pressure wave processes? Hydrological Processes, v. 26, n. 21, p. 3207-3215, 2012.

YAO, R. J.; YANG, J. S.; LIU, G. M. Calibration for soil electromagnetic conductivity in invertd salinity profiles with an integration method. Pedosphere, v. 17, n. 2, p. 246-256, 2007.

Publicado
01-04-2019
Seção
Engenharia Agrícola