TESTE DE TETRAZÓLIO PARA ESTIMAR A VIABILIDADE EM SEMENTES DE QUIABO (Abelmoschus esculentus (L.) MOENCH)

Palavras-chave: Malvaceae. Teste bioquímico. Testes rápidos.

Resumo

Objetivou-se estabelecer o procedimento adequado do teste de tetrazólio para estimar a viabilidade em sementes de quiabo. Inicialmente, as sementes de quatro lotes de quiabo foram imersas em álcool (98%) por 60 minutos e seguida de 18 horas de embebição em água destilada a 25 ºC. Após este período, as sementes foram seccionadas longitudinalmente, imersas em soluções de tetrazólio de 0,025; 0,050 e 0,075% por 60, 90 e 120 minutos e mantidas em estufa a 35 e 40 °C. Posteriormente, as sementes foram avaliadas quanto à viabilidade, tendo como indicação a coloração dos tecidos (vermelho brilhante rosa ou vermelho carmim forte). Paralelamente, foi instalado o teste de germinação, cujos resultados serviram como referência para o teste de tetrazólio. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualisado, em esquema fatorial 3 x 3 + 1, (três concentrações do sal de tetrazólio x três períodos de imersão e a testemunha) em quatro repetições de 50 sementes para cada tratamento. O teste de tetrazólio para estimar a viabilidade em sementes de quiabo deve ser realizado em solução de tetrazólio de 0,075%, por 90 minutos, a 35 °C.

Referências

BARROS, D. I. et al. Uso do teste de tetrazólio para avaliação da qualidade fisiológica de sementes de abobrinha. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 27, n. 2, p. 165-171. 2005.

BHERING, M. C.; DIAS, D. C. F. S.; BARROS, D. I. Adequação da metodologia do teste de tetrazólio para avaliação da qualidade fisiológica de sementes de melancia. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 27, n. 1, p. 176-182, 2005.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Coordenação Geral de Apoio Laboratorial. Regras para análise de sementes. Brasília, DF: MAPA/ACS, 2009. 395 p.

CARVALHO, T. C. et al. Tetrazolium test adjustment for wheat seeds. Journal of Seed Science, Londrina, v. 35, n. 3, p. 361-367, 2013.

CERVI, F.; MENDONÇA, E. A. F. Adequação do teste de tetrazólio para sementes de algodoeiro. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 31, n. 1, p. 177-186, 2009.

CHAMMA, H. M. C. P.; NOVEMBRE, A. D. L. C. Teste de tetrazólio para as sementes de milho: períodos de hidratação e de coloração das sementes. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 29, n. 2, p. 125-129, 2007.

COSTA, C. J.; SANTOS, C. P. Teste de tetrazólio em sementes de leucena. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 32, n. 2, p. 66-72, 2010.

EICHELBERGER, L.; MORAES, D. M. Preparo de sementes de quiabo [Abelmoschus esculentus (L.) Moench] para o teste de tetrazólio. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 23, n. 1, p. 154-158, 2001.

FILGUEIRA, F. A. R. Novo manual de olericultura: Agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. 3. ed. Viçosa, MG: Ed UFV, 2008. p. 421.

FRANÇA-NETO, J. B.; KRYZANOWSKI, F. C.; COSTA, N. P. O teste de tetrazólio em sementes de soja. Londrina: EMBRAPA/ CNPSo, 1998. 72 p. (EMBRAPA-CNPSo. Documentos, 116).

LIMA, L. B.; PINTO, T. L. F.; NOVEMBRE, A. D. L. C. Avaliação da viabilidade e do vigor de sementes de pepino pelo teste de tetrazólio. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 32, n. 1, p. 60-68, 2010.

LOPES, M. M. et al. Teste de envelhecimento acelerado em sementes de quiabo. Bioscience Journal, Uberlândia, v. 26, n. 4, p. 491-501, 2010.

MARCOS FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. 2. ed. Londrina, PR: ABRATES, 2015. 660 p.

NERY, M. C.; CARVALHO, M. L. M.; OLIVEIRA, L. M. Teste de tetrazólio para avaliação da qualidade fisiológica de sementes de melancia. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 28, n. 3, p. 365-372, 2007.

NOVEMBRE, A. D. L. C.; CHAMMA, H. M. C. P.; GOMES, R. B. R. Viabilidade das sementes de braquiária pelo teste de tetrazólio. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 28, n. 2, p. 147-151, 2006.

PAIVA, E. P. et al. Teste de tetrazólio para avaliação da viabilidade de sementes de maxixe. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 48, n. 1, p. 118-124, 2017.

SANTOS, M. A. O.; NOVEMBRE, A. D. L. C.; MARCOS FILHO, J. Tetrazolium test to assess viability and vigour of tomato seeds. Seed Science and Technology, Zurich, v. 35, n. 1, p. 213-223, 2007.

SILVA, F. A. S. E.; AZEVEDO, C. A. V. Versão do programa computacional Assistat para o sistema operacional Windows. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v. 4, n. 1, p. 71-78, 2002.

SILVA, R. C. et al. Adaptação do teste de tetrazólio para avaliação da viabilidade e do vigor de sementes de girassol. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 48, n. 1, p. 105-113, 2013.

TORRES, S. T. et al. Diferenciação de lotes de sementes de quiabo pelo teste de envelhecimento acelerado. Ciência Rural, Santa Maria, v. 44, n. 12, p. 2103-2110, 2014.

Publicado
16-10-2018
Seção
Agronomia