SISTEMAS DE SEMEADURA E ADUBAÇÃO EM SOJA E SUA RELAÇÃO COM AS PLANTAS DANINHAS

  • Eliakin Frederico Rafain Nucleus for Studies of Soils and Agricultural Machinery, Instituto Federal do Rio Grande do Sul, Sertão, RS
  • João Edson Gubiani Ecophysiology and Weed Management Group, Instituto Federal do Rio Grande do Sul, Sertão, RS https://orcid.org/0000-0002-3807-0894
  • David Peres da Rosa Nucleus for Studies of Soils and Agricultural Machinery, Instituto Federal do Rio Grande do Sul, Sertão, RS
  • Anderson Luis Nunes Ecophysiology and Weed Management Group, Instituto Federal do Rio Grande do Sul, Sertão, RS https://orcid.org/0000-0002-4789-0253
Palavras-chave: Espaçamento entre linhas. Fertilidade do solo. Componentes de rendimento. Incidência de plantas daninhas.

Resumo

Este estudo teve por objetivo avaliar os efeitos de sistemas de semeadura e de aplicação de fertilizantes sobre a incidência de plantas daninhas e componentes de rendimento na cultura da soja. Dois experimentos foram realizados em áreas com níveis distintos de fertilidade. O delineamento experimental utilizado foi blocos ao acaso em parcelas subdivididas, o tratamento principal foi quatro sistemas de semeadura, sendo: sistema de semeadura cruzada (0,45x0,45 m); sistema de espaçamento entre linha reduzido de 0,35 m, 0,175 m e 0,45 m. Como subparcelas foram três sistemas de aplicação de fertilizantes, sendo: aplicado na linha de semeadura, lanço no momento da semeadura e sem aplicação de fertilizante. As variáveis analisadas foram: produtividade, massa de mil grãos e incidência de plantas daninhas aos 30 e 50 dias após a semeadura (DAS). Nos 30 DAS, a incidência foi menor no espaçamento entre linhas 0,45 m, fato correlacionado com o menor revolvimento da camada superficial do solo. O arranjo de planta no espaçamento entre linha de 0,175 m proporcionou menor competição entre plantas daninhas aos 50 DAS e maior sombreamento, resultando em maior rendimento de grãos. A aplicação do fertilizante na linha causou maior rendimento e massa de mil grãos. O sistema de semeadura afeta a dinâmica populacional de plantas daninhas que teve influencia direta no rendimento da cultura da soja.

Referências

BALBINOT JUNIOR, A. A.; FLECK, N. G. Competitividade de dois genótipos de milho (Zea mays) com plantas daninhas sob diferentes spacings entre fileiras. Planta Daninha, 23: 415-421, 2005.

BATISTELLA FILHO, F. et al. Adubação com fósforo e potássio para produção e qualidade de sementes de soja. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 48: 783-790, 2013.

BIANCHI, M. A. et al. Papéis do arranjo de plantas e do cultivar de soja no resultado da interferência com plantas competidoras. Planta Daninha, 28: 979-991, 2010.

BRAGA, R. R. et al . Ocorrência de plantas daninhas no sistema lavoura-pecuária em função de sistemas de cultivo e corretivo de acidez. Revista Ceres, 59: 646-653, 2012.

CHAUHAN, B. S. et al. Implications of narrow crop row spacing in managing weeds in mungbean (Vigna radiata). Crop Protection, 95: 116-119, 2017.

FALKOSKI FILHO, J. et al. Rendimento de grãos de soja em diferentes arranjos espaciais. Agrarian, 6: 107-109, 2013.

HATCHER, P.; FROUD-WILLIAMS, R. J. Weed Research: expanding horizons. 1. ed. New York, NY: Willey, 2017, 456 p.

HECKMANN, J. R.; KAMPRATH, E. J. Potassium accumulation and corn yield related to potassium fertilizer rate and placement. Soil Science Society of American Journal, 56: 141-148, 1992.

HOCK, S. M. et al. Soybean row spacing and weed emergence time influence weed competitiveness and competitive indices. Weed Science, 54: 38-46, 2006.

JUGULAM, M. Biology, Physiology and Molecular Biology of Weeds. 1 ed. Boca Raton: CRC Press LLC, 2017, 230 p.

KOMATSU, R. A. et al. Efeito do espaçamento de plantas sobre o comportamento de cultivares de soja de crescimento determinado. Campo Digital, 5: 50-55, 2010.

NKEBIWE, P. M. et al. Fertilizer placement to improve crop nutrient acquisition and yield: A review and meta-analysis. Field Crops Research, 196: 389-401, 2016.

MAEHLER, A. R. et al. Qualidade de grãos de duas cultivares de soja em função da disponibilidade de água no solo e arranjo de plantas. Ciência Rural, 33: 213-218, 2003.

MOORE, S. H. Uniformity of planting spacing effect on soybean population parameters. Crop Science, 31: 1049-1051, 1991.

RAMBO, L. et al. Estimativa do potencial de rendimento por estrato do dossel da soja, em diferentes arranjos de plantas. Ciência Rural, 34: 33-40, 2004.

RASOOL, G et al. Row spacing is more important than seeding rate for increasing Rhodes grass (Chloris gayana) control and grain yield in soybean (Glycine max). Crop and Pasture Science, 68: 620-624, 2017.

SANGOI, L. et al. Efeito de doses de cloreto de potássio sobre a germinação e o crescimento inicial do milho, em solos com texturas contrastantes. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, 8: 187-197, 2010.

SMITH, J. Weed Biology. 1 ed. New York: Syrawood Publishing House, 2016. 217 p.

THEISEN, G.; BIANCHI, M. Semeadura com pouco revolvimento de solo como auxílio no manejo de plantas daninhas em milho. Planta Daninha, 28: 93-102, 2010.

VENTIMIGLIA, L. A. et al. Potencial de rendimento da soja em razão da disponibilidade fósforo no solo e dos spacings. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 34: 195-199, 1999.

Publicado
2020-05-22
Seção
Agronomia