ATIVIDADE ALELOPÁTICA DO EXTRATO AQUOSO DE SEMENTES DE Amburana cearensis NA EMERGÊNCIA DE MELÃO

Palavras-chave: Aleloquímicos. Cumarina. Fracionamento de extratos. Prospecção fitoquímica.

Resumo

Amburana cearensis é uma espécie rica em cumarina, composto fenólico inibidor natural do processo de germinação. A espécie ocorre na Caatinga em áreas em que o melão é cultivado, e mesmo após o desmatamento, pode estar presente no banco de sementes. O objetivo desse estudo foi averiguar a atividade alelopática de frações de extrato aquoso de sementes de A. cearensis sobre a emergência de melão e realizar a prospecção fotoquímica nos extratos. Foram conduzidos quatro experimentos com o fracionamento do extrato de sementes: E1 - fração hexânica, E2 - fração diclorometano, E3 - fração acetato de etila e E4 - fração aquosa. O delineamento estatístico foi inteiramente casualizado com quatro repetições com vinte sementes. Os tratamentos foram compostos das concentrações 1; 0,5; 0,25; 0,125 e 0%, correspondentes de cada extrato. Foi realizada a prospecção fitoquímica dos extratos obtidos no fracionamento. As características avaliadas foram emergência e índice de velocidade de emergência, porcentagem de plântulas normais e anormais, comprimento de parte aérea e raiz e matéria seca. Os extratos obtidos a partir da fração hexânica afetam os processos de emergência e desenvolvimento inicial das plântulas de melão. Os extratos diclorometano, acetato de etila e aquoso agem na formação de matéria seca, parte aérea e raiz de melão, com efeitos negativos na maior concentração do extrato. A cumarina predomina em todos os extratos. O extrato hexânico apresenta maior concentração de cumarina e é altamente fitotóxico.

 

Referências

ALMEIDA, J. R. G. S. et al. Amburana cearensis – uma revisão química e farmacológica. Scientia Plena, 6: 1-8, 2010.

AYERS, R. S.; WESTCOT, D. W. Water Quality for Agriculture, Irrigation and Drainage Paper, 29 Rev. 1 (Reprinted 1989, 1994). 1994.

BRASIL. Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. DNPV. Divisão de Sementes e Mudas. Regras para Análise de Sementes. Brasília: Mapa, 2009, 399 p.

CANUTO, K. M.; LIMA, M. A. S.; SILVEIRA, E. R. Amburosides C-H and 6-O-protocatechuoyl coumarin from Amburana cearensis. Journal of the Brazilian Chemical Society, 21: 1746-1753, 2010.

COELHO, M. F. B. et al. Atividade alelopática de extrato de sementes de juazeiro. Horticultura Brasileira, 29: 108-111, 2011.

FELIX, R. A. Z. et al. Efeitos Alelopáticos da Amburana cearensis L. (Fr.All.) AC Smith na Germinação de Sementes de Alface (Lactuca sativa L.) e de Rabanete (Raphanus sativus L.). Revista Brasileira de Biociências, 5: 138-140, 2007.

FORMAGIO, A. S. N. et al. Potencial alelopático de cinco espécies da família Annonaceae. Revista Brasileira de Biociências, 8: 349-354, 2010.

INOUE, M. H. et al. Avaliação do potencial alelopático de substâncias isoladas em sementes de araticum (Annona crassiflora). Planta Daninha, 28: 735-741, 2010.

JABRAN, K. Manipulation of allelopathic crops for weed control. Dordrecht: Springer, 1 ed. 2017, 87 p.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. 6. ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2014. 384 p.

MAGUIRE, J. D. Speeds of germination-aid selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, 2: 176-177, 1962.

MALHEIROS, R. S. P. et al. Atividade alelopática de extratos de Lafoensia pacari A. ST.-HIL. sobre Lactuca sativa L. e Zea mays L. em condições de laboratório. Revista Brasileira de Agroecologia, 9: 185-194, 2014.

MATOS, J. F. A. Introdução a fitoquímica experimental. 3. ed. Fortaleza, CE: Edições UFC, 2009. 150 p.

OLIVEIRA, A. K. et al. Alelopatia de extratos de espécies da caatinga sobre sementes de meloeiro. Semina: Ciências Agrárias, 37: 557-566, 2016.

PEREIRA, K. C. L. et al. Potencial alelopático do extrato etanólico de Anacardium humile A.St.-Hil. (cajuzinho-do-cerrado) na germinação e formação de plântulas de Lactuca sativa L. (alface), Lycopersicon esculentum Mill. (tomate) e Senna obtusifolia (L.) Irwin & Barneby (fedegoso). Gaia Scientia, 12: 144-160, 2018.

RICE, E. L. Allelopathy. London: Academic Press, 1984. 413 p.

RODRIGUES, I. M. C. et al. Prospecção química de compostos produzidos por Senna alata com atividade alelopática. Planta Daninha, 28: 1-12, 2010.

SILVEIRA, P. F.; MAIA, S. S. S.; COELHO, M. F. B. Potencial alelopático do extrato aquoso de folhas de Mimosa tenuiflora (Willd.) Poir. na germinação de Lactuca sativa l. Bioscience Journal, 28: 472-477, 2012.

SOUZA FILHO, A. P. S.; FONSECA, M. L.; ARRUDA, M. S. P. Substâncias químicas com atividades alelopáticas presentes nas folhas de Parkia pendula (Leguminosae). Planta Daninha, 23: 565-573, 2005.

SOUZA FILHO, A. P. S. et al. Atividade alelopática de extratos brutos de três espécies de Copaifera (Leguminosae-Caesalpinioideae). Planta Daninha, 28: 743-751, 2010.

TAIZ, L. et al. Fisiologia e Desenvolvimento Vegetal. 6. ed. São Paulo, SP: Artmed, 2017. 888 p.

YAMAGUSHI, M. Q.; GUSMAN, G. S.; VESTENA, S. Allelopathic effect of aqueous extracts of Eucalyptus globulus Labill. and of Casearia sylvestris Sw. on crops. Semina: Ciências Agrárias, 32: 1361-1374, 2011.

Publicado
2020-02-14
Seção
Nota Técnica