SAL E EXTRATOS VEGETAIS BRUTOS COMO CONSERVANTES EM MODELO CÁRNEO (PALETA SUÍNA MOÍDA)

Palavras-chave: Condimentos conservantes. Especiarias conservantes. Preservantes de alimentos. Preservantes vegetais.

Resumo

Os riscos à saúde atribuídos aos conservantes convencionais e a tendência de saudabilidade dos alimentos promoveram um crescente interesse por alternativas para a preservação dos alimentos. Entre elas a utilização de conservantes de origem vegetal, os condimentos e os extratos deles obtidos. Usando como indicadores a contagem de mesófilos aeróbios e o pH, este trabalho teve como objetivo comparar a influência do teor de sal nas proporções uma, duas e três partes com o da adição de extratos vegetais brutos no tempo de conservação de modelo cárneo (600 g de carne de paleta suína moída). Considerou-se apto para consumo o tratamento cuja contagem de mesófilos, observados por 15 dias, não ultrapassasse 105 UFC/g. Os componentes (sal e extratos) foram misturados ao modelo cárneo usando aparelho Stomacher. O tratamento com a maior proporção de sal (três partes) permaneceu 10 dias viável para o consumo, enquanto os tratamentos com uma parte por quatro dias e duas partes por 9 dias. Os tratamentos com extratos de “macela” e de “louro” não diferiram estatisticamente do tratamento com uma parte de sal. Os extratos de “hibisco”, de “cravo”, de “canela” e de “noz-moscada”, na proporção planta : volume (10 g :100 mL) testados, mantiveram o modelo cárneo apto para o consumo até o décimo quinto dia. O pH dos tratamentos não interferiu no tempo de preservação do modelo cárneo. As evidências indicam o potencial uso desses extratos como conservantes em produtos cárneos processados.

 

Referências

BANON, S. et al. Ascorbate, green tea and grape seed extracts increase the shelf-life of low sulphite beef patties. Meat Science, 77: 626-633, 2007.

BISSACOTTI, A. P.; ANGST, C. A.; SACCOL, A. L. F. Implicações dos aditivos químicos. Disciplinarum Scientia, 16: 43-59, 2015.

BANNWART, G. C. M. C.; SILVA, M. E. M. P.; VIDAL, G. Redução de sódio em alimentos: panorama atual e impactos tecnológicos, sensoriais e de saúde pública. Nutrire, 39: 348-365, 2014.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n° Nº 4, de 31 de março de 2000. Regulamentos Técnicos de Identidade e Qualidade de Carne Mecanicamente Separada, de Mortadela, de Lingüiça e de Salsicha. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 05 abril 2000.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n° 62 de 26 de Agosto de 2003. Oficializa os Métodos Analíticos Oficiais para Análises Microbiológicas para Controle de Produtos de Origem Animal e Água. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF,18 set. 2003.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Instrução Normativa nº 20 de 21 de julho de 1999. Oficializa os Métodos Analíticos Físico-Químicos, para Controle de Produtos Cárneos e seus Ingredientes - Sal e Salmoura. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 21 julho 1999, republicada Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF,9 set 1999.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução (RDC) n° 12, de 02 de janeiro de 2001. Aprova o Regulamento Técnico sobre Padrões Microbiológico para Alimentos. Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br/documents/33880/2568070/RDC_12_2001.pdf/15ffddf6-3767-4527-bfac-740a0400829b >. Acesso em: 06 maio 2017.

FORSYTHE, S. J. Microbiologia da segurança dos alimentos. 2. ed. Porto Alegre, RS: 37 Artmed, 2013. 607 p.

GYAWALI, R.; IBRAHIM, S. A. Natural products as antimicrobial agents. Food Control, 46: 412-429, 2014.

HAFSA, J. et al. Physical, antioxidant and antimicrobial properties of chitosan films containing Eucalyptus globulus essential oil. Food Science and Technology, 68: 356-364, 2016.

HUSAIN, I. et al. Phytochemical characterization and biological activity evaluation of ethanolic extract of Cinnamomum zeylanicum. Journal of Ethnopharmacology, 219: 110-116, 2018.

HYGREEVA, D.; PANDEY, M. C.; RADHAKRISHNA, K. Potential applications of plant based derivatives as fat replacers, antioxidants and antimicrobials in fresh and processed meat products. Meat Science, 98: 47-57, 2014.

INETIANBOR, J.; YAKUBU, J.; EZEONU, S. Effects of food additives and preservatives on man-a review. Asian Journal of Science and Technology, 6: 1118–1135, 2016.

JAVANMARDI, F. et al. The association between the preservative agents in foods and the risk of breast cancer. Nutrition and Cancer, 71: 1229-1240, 2019.

JAY, J. M. Microbiologia de Alimentos. 6 ed. Porto Alegre, RS: Artmed, 2005. 711 p

KAPOOR, I. P. S. et al. Chemical Composition and Antioxidant Activity of Essential Oil and Oleoresins of Nutmeg (Myristica fragrans Houtt.) Fruits. International Journal of Food Properties, 16: 1059-1070, 2013.

KHOSRAVI, A. R. et al. Chemical composition, antioxidant activity and antifungal effects of five Iranian essential oils against Candida strains isolated from urine samples. Journal de Mycologie Médicale, 28: 355-360, 2018.

KIM, S. J.; CHO, A. R.; HAN, J. Antioxidant and antimicrobial activities of leafy green vegetable extracts and their application to meat product preservation. Food Control, 29: 112-120, 2013.

LUZZI, J. C. Atividade antimicrobiana do extrato etanólico de folhas de louro – Laurus nobilis – frente às bactérias Escherichia coli e Salmonella enteritidis. 2010. 71 f. Monografia (Curso Química Industrial). Universidade do Vale do Taquarí (UNIVATES), Lajeado/RS, 2014.

MACIEL, M. J. et al. Avaliação do extrato alcoólico de hibisco (Hibiscus sabdariffa L.) como fator de proteção antibacteriana e antioxidante. Revista do Instituto Adolfo Lutz (Impr.), 71: 462-470, 2012.

NILSON, E. A. F.; JAIME, P. C.; RESENDE, D. O. Iniciativas desenvolvidas no Brasil para a redução do teor de sódio em alimentos processados. Revista Parnamericana de Salud Publica, 34: 287- 92, 2012.

PANGGABEAN, K. A.; RUSMARILIN, H.; SURYANTO, D. The utilization of nutmeg seed (Myristica fragrans Houtt) extract as an antimicrobial on tempeh sausage. IOP Conference Series: Earth and Environmental Science, 260, 2019. Article number 012087. Disponível em: < https://iopscience.iop.org/article/10.1088/1755-94 1315/260/1/012087/pdf>. Acesso em: 15 jul 2019.

PAIM, M. P. et al. Anti-Escherichia coli effect of Hibiscus sabdariffa L. in a meat model. Food Science and Technology, 37: 647-650, 2017.

PARDI, M. C. et al. Ciência, higiene e tecnologia da carne: tecnologia da sua obtenção e transformação. Goiania, GO : Editora da UFG, 2001. 623 p.

PISOSCHI, A. M. et al. An overview of natural antimicrobials role in food. European Journal of Medicinal Chemistry, 143: 922-935, 2018.

PIOVESAN, N. Extratos naturais de sementes de mamão papaya (Carica papaya L.) e marcela (Achyrocline satureioides) e avaliação da capacidade antioxidante e antimicrobiana em linguiça de frango. 2012. 65 f. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2012.

RAO, P. V.; GAN, S. H. Cinnamon: A Multifaceted Medicinal Plant. Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, 2014: 642942, 2014.

SANTOS, C. B. et al. Preparo e caracterização de tinturas das folhas de chá verde [Camellia sinensis (L.) O. Kuntze] Theaceae. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 16: 826-831, 2014.

SCAPIN, T.; FERNANDES, A. C.; PROENÇA, R. P. C. Açúcares de adição: definições,classificações, metabolismo e implicações à saúde. Revista de Nutrição, 30: 663-677, 2017.

SHARIF, Z. I. M. et al. Review on methods for preservation and natural preservatives for extending the food longevity. Engineering Research Bulletin, 19: 145-153, 2017.

SILVA, F.; DOMINGUES, F. C. Antimicrobial activity of coriander oil and its effectiveness as food preservative. Critical Reviews in Food Science and Nutrition, 57: 35-47, 2017.

SILVEIRA, S. M. et al. Chemical composition and antibacterial activity of Laurus nobilis essential oil towards foodborne pathogens and its application in fresh Tuscan sausage stored at 7° C. Food Science and Technology, 59: 86-93, 2014.

SIMÕES, C. M. O. et al. Farmacognosia: da planta ao medicamento. 5. ed. Porto Alegre, RS/Florianópolis, SC: Editoras da UFRGS/UFSC, 2003. 315 p.

SINGH, A.; SHARMA, P. K.; GARG, G. Natural products as preservatives. International Journal of Pharma and Bio Science, 1: 601-612, 2010.

SKRÖKKI, A. Hygienic quality of commercial minced meat as indicated by aerobic micro-organisms and Coliform bacteria. Zeitschrift Für Lebensmittel-Untersuchung Und Florschung A, 204: 391-394, 1997.

SULTANA, T. et al. Microbiological analysis of common preservatives used in food items and demonstration of their in vitro anti-bacterial activity. Asian Pacific Journal of Tropical Disease, 4: 452-456, 2014.

VALDUGA, A. T. et al. Chemistry, pharmacology and new trends in traditional functional and medicinal beverages. Food Research International, 120: 478–503, 2019.

VASCONSELOS, M. A. S.; MELO FILHO, A. B. Conservação de alimentos. Recife, PE: EDURPE, 2010. 130 p.

VOSS-RECH, D. et al. Antibacterial activity of vegetal extracts against serovars of Salmonella. Ciência Rural, 41: 314-320, 2011.

ZAKNUN, D. et al. Potential role of antioxidant food supplements, preservatives and colorants in the pathogenesis of allergy and asthma. International Archives of Allergy and Immunology, 157: 113-124, 2012.

Publicado
2020-05-22
Seção
Nota Técnica