AMBIENTES DE CULTIVO E VOLUME DO VASO INFLUENCIAM A PRODUÇÃO DE BIOMASSA E ÓLEO ESSENCIAL DE MANJERICÃO

Palavras-chave: Planta aromática. Sombreamento. Telas coloridas.

Resumo

Objetivamos avaliar a influência de volumes de vasos sob diferentes ambientes de cultivo no crescimento vegetativo e a produção de óleo essencial de manjericão (Ocimum basilicum L.). O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, disposto em esquema fatorial 6x2, com cinco repetições. O primeiro fator foi os ambientes de cultivo (pleno sol, tela de sombreamento preta 50%, tela de sombreamento prata 50%, tela de sombreamento vermelha 50%, tela de sombreamento verde 35% e filme polietileno de baixa densidade 150 µm - PEBD) e o segundo fator foi o volume de vaso (3,5 e 5,0 L). Foi realizado o corte das plantas e a avaliação das variáveis de crescimento, de sistema radicular e extração de óleo essencial. O ambiente de cultivo e o tamanho do vaso influenciam na produção de biomassa e de óleo essencial de manjericão. As plantas cultivadas sob as telas vermelha e prata tiveram incrementos de 36,03% e 31,31%, respectivamente, na altura das plantas em relação ao cultivo em pleno sol. Plantas de manjericão cultivadas em vasos de 5,0 L sob tela preta produziram maior teor de óleo essencial. O crescimento vegetativo de plantas de manjericão cultivadas em vasos de 5,0L foi influenciado pelas telas vermelha, verde e filme PEBD. Considerando a produção de manjericão para extração de óleo essencial recomenda-se o cultivo em vasos de 5,0 L sob tela preta, e se a exploração for destinada a produção de biomassa fresca, orienta-se pelo cultivo com o mesmo vaso sob telas vermelha, verde ou filme PEBD.

 

Referências

ALMEIDA, M. O. et al. Influência do tamanho do vaso e época de avaliação sobre o crescimento do picão preto em competição com milho e soja. Original Article Uberlandia, 30: 1428-1437, 2014.

BLANK, A. F. et al. Maria Bonita: cultivar de manjericão tipo linalol. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 42: 1811-1813, 2007.

BRANT, R. S. et al. Crescimento, teor e composição do óleo essencial de melissa cultivada sob malhas fotoconversoras. Ciência Rural, 39: 1401-1407, 2009.

BRUM, B. et al. Crescimento, duração do ciclo e produção de inflorescências de crisântemo multiflora sob diferentes números de despontes e tamanhos de vasos. Ciência Rural, 37: 682-689. 2007.

CAMPOS, G. E. C.; MENDONÇA, G. L. Influência do tamanho do vaso no desenvolvimento do manjericão doce em condição de estufa. 2013. Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Universidade de Brasília. Monografia de graduação. Brasília-DF. 2013.

CHAGAS, J. H. et al. Produção, teor e composição química do óleo essencial de hortelã-japonesa cultivada sob malhas fotoconversoras. Horticultura Brasileira, 31: 297-303, 2013.

CORRÊA, R. M. et al. Crescimento de plantas, teor e qualidade de óleo essencial de folhas de orégano sob malhas coloridas. Global Science Technology, 5: 11-22, 2012.

ERENO, D. Perfume de manjericão. Revista Fapesp, 12: 25-28, 2006.

FERREIRA, D. F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, 35: 1039-1042, 2011.

GENUNCIO, G. C. et al. Manjericão roxo tem demanda garantida. Campo e negócios hortifrúti, 54: 42-47, 2018.

GOMES, P. A. et al. Influência do sombreamento na produção de biomassa, óleo essencial e quantidade de tricomas glandulares em cidrão (Lippia citriodora Lam.). Biotemas, 22: 9-14, 2009.

HOAGLAND, D. R.; ARNON, D. I. The water culture method for growing plants without soils. California Agricultural Experimental Station. Circular 347. Berkeley. 1950. 32 p.

JONES, R. H.; MCLEOD, K. W. Responses to a range of light environments in Chinese Tallowtree and Carolina Ash seedlings. Forest Science, 36: 851-862, 1990.

LARCHER, W. Ecofisiologia vegetal. 1 ed. São Carlos, SP: RiMA Artes e Textos, 2004. 531 p.

LIMA, J. D. et al. Efeitos da luminosidade no crescimento de mudas de Caesalpinia ferrea Mart. Ex Tul. (Leguminosae, Caesalpinoideae). Acta Amazônica, 38: 5-10, 2008.

LUZ, J. M. Q. et al. Produção de óleo essencial de Ocimum basilicum L. em diferentes épocas, sistemas de cultivo e adubações. Boletín Latinoamericano y del Caribe de Plantas Medicinales y Aromáticas, 13: 69-80, 2014.

MARTINS, J. R. et al. Avaliação do crescimento e teor de óleo essencial em plantas de Ocimum grantissimum L. cultivadas sob malhas coloridas. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 10: 102-107, 2008.

OLIVEIRA, M. I. et al. Características biométricas, anatômicas e fisiológicas de Artemisia vulgaris L. cultivada sob telas coloridas. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 11: 56-62, 2009.

POORTER, H. et al. Pot size matters: a meta-analysis of the effects of rooting volume on plant growth. Functional Plant Biology, 39: 839-850, 2012.

SOUZA, G. S. et al. Crescimento, produção de biomassa e aspectos fisiológicos de plantas de Mentha piperita L. Cultivadas sob diferentes doses de fósforo e malhas coloridas. Global Science Technology, 6: 35-44, 2013.

SOUZA, G. S. et al. Crescimento, teor de óleo essencial conteúdo de cumarina de plantas jovens de guaco (Mikania glomerata Sprengel) cultivadas sob malhas coloridas. Revista Biotemas, 24: 1-11, 2011.

SOUZA, G. S. et al. Crescimento vegetativo e produção de óleo essencial de plantas de alecrim cultivadas sob telas coloridas. Bioscience Journal, 30: 232-239, 2014.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia e desenvolvimento vegetal. 6. ed. Porto Alegre, RS: Artmed, 2015. 888 p.

Publicado
2020-02-14
Seção
Agronomia