CÁLCIO COMO MITIGADOR DA SALINIDADE NOS COMPONENTES PRODUTIVOS DE MARACUJAZEIRO-AMARELO CULTIVADO EM COVAS PROTEGIDAS

Palavras-chave: Passiflora edulis. Estresse salino. Nitrato de cálcio.

Resumo

A elevada taxa de evaporação e a limitação de água, em quantidade e qualidade, requerem a busca de estratégias que viabilizem a sustentabilidade da atividade agrícola no mundo. O experimento foi desenvolvido para avaliar os efeitos da salinidade da água, da proteção lateral das covas e doses de cálcio nos componentes de produção do maracujazeiro-amarelo cv. BRS GA1. Os tratamentos foram arranjados em parcela subdividida no esquema 2 x (2 x 5) correspondente a salinidade da água (0,3 e 4,0 dS m-1), parcela principal, e as subparcelas às combinações entre proteção lateral das covas (sem e com) e doses de cálcio (0, 30, 60, 90 e 120 kg ha-1). Foram avaliados o número de ramos produtivos, índices de amadurecimento precoce e de cultivo concentrado, número de frutos por planta, massa média de frutos e produtividade. O aumento da condutividade elétrica da água de irrigação retarda a colheita e reduz o número de frutos por planta, a massa dos frutos e a produtividade do maracujazeiro. A proteção lateral das covas não exerceu efeitos positivos no cultivo de maracujazeiro irrigado com água salina. A dose de 60 kg ha-1 de cálcio em Neossolo Regolítico com baixo teor deste macronutriente atenua os efeitos da irrigação com água salina, aumentando a produtividade do maracujazeiro-amarelo.

 

 

Referências

ALDON, D. et al. Calcium Signalling in Plant Biotic Interactions. International Journal of Molecular Sciences, 19: 665-684, 2018.

ALVARES, C. A. et al. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, 22: 711-728, 2013.

BEZERRA, M. A. F. et al. Nitrogen as a mitigator of salt stress in yellow passion fruit seedlings. Semina: Ciências Agrárias, 40: 611-622, 2019.

BORGES, A. L.; SOUZA, L. S. Recomendação de calagem e adubação para maracujazeiro. 1. ed. Cruz das Almas, BA: Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical, 2010. 4 p. (Comunicado Técnico, 141).

CAVALCANTE, L. F. et al. Produção do maracujazeiro-amarelo irrigado com água salina em covas protegidas contra perdas hídricas. Irriga, 10: 229-240, 2005b.

CAVALCANTE, L. F. et al. Produção e composição mineral do maracujazeiro amarelo com adubação foliar de cálcio - segunda safra. Revista Agropecuária Técnica, 36: 35-49, 2015.

CAVALCANTE, L. F. et al. Produção e composição mineral do maracujazeiro amarelo com adubação foliar de cálcio - primeira safra. Revista Agropecuária Técnica, 35: 69-80, 2014.

CAVALCANTE, L. F. et al. Resposta do maracujazeiro amarelo à salinidade da água sob diferentes formas de plantio. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 9: 314-317, 2005a.

CAVALCANTE, N. R. et al. Productivity, fruit physicochemical quality and distinctiveness of passion fruit populations. Revista Brasileira de Fruticultura, 38: e-142, 2016.

CRUZ, J. L. et al. Salinity reduces carbon assimilation and the harvest index of cassava plants (Manihot esculenta Crantz). Acta Scientiarum, 39: 545-555, 2017.

DIAS, T. J. et al. Qualidade física e produção do maracujá amarelo em solo com biofertilizante irrigado com águas salinas. Semina: Ciências Agrárias, 33: 2905-2918, 2012.

DIAS, T. J. et al. Irrigação com água salina em solo com biofertilizante bovino no crescimento do maracujazeiro amarelo. Semina: Ciências Agrárias, 34: 1639-1652, 2013.

FALEIRO, F. G.; JUNQUEIRA, N. T. V. (Ed.). Maracujá: o produtor pergunta, a Embrapa responde. 1. ed. Brasília, DF: Embrapa, 2016. 341 p.

FERNANDES, O. B. et al. Efeito do nitrato de cálcio na redução do estresse salino no meloeiro. Revista Caatinga, 23: 93-103, 2010.

FONTENELE, A. J. P. B. et al. Growth of cowpea plants inoculated with Rhizobium in a saline-sodic soil after application of gypsum. Revista Ciência Agronômica, 45: 499-507, 2014.

FREIRE, J. L. O. et al. Crescimento do maracujazeiro amarelo sob estresse salino e biofertilização em ambiente protegido contra perdas hídricas. Holos, 28: 55-68, 2012.

FREIRE, J. L. O. et al. Necessidade hídrica do maracujazeiro amarelo cultivado sob estresse salino, biofertilização e cobertura do solo. Revista Caatinga, 24: 82-91, 2011.

HAFLE, O. M. et al. Produtividade e qualidade de frutos do maracujazeiro-amarelo submetido à poda de ramos produtivos. Revista Brasileira de Fruticultura, 31: 763-770, 2009.

HOLANDA, J. S. et al. S. Qualidade da água para irrigação. In: GHEYI, H. R. et al. (Eds.). Manejo da Salinidade na Agricultura: estudos básicos e aplicados. 2ª ed. Fortaleza: INCTSal, 2016. cap. 4, p. 35-50.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Produção Agrícola Municipal. Lavouras Permanentes 2018. Disponível em: < https://sidra.ibge.gov.br/Tabela/1613 >. Acesso em: 25 out. 2019.

KADER, Md. A.; LINDBERG, S. Cytosolic calcium and pH signaling in plants under salinity stress. Plant Signaling & Behavior, 5: 233-238; 2010.

KHANIZADEH, S.; FANOUS, M. A. Mathematical indices for comparing small fruit crops for harvest time and trait similarity. HortScience, 27: 346-348, 1992.

LÚCIO, A. D. C. et al. Relações entre os caracteres de maracujazeiro-azedo. Ciência Rural, 43: 225-232, 2013.

NUNES, J. C. et al. Gas exchange and productivity of yellow passion fruit irrigated with saline water and fertilized with potassium and biofertilizer. Ciencia e Investigación Agraria, 44: 168-183, 2017.

PEREIRA, A. M. et al. Characteristics of muskmelon fruits in relation to temporary row cover and the number of fruits. Horticultura Brasileira, 35: 591-598, 2017.

SOUZA, J. T. A. et al. Effects of water salinity and organomineral fertilization on leaf composition and production in Passiflora edulis. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 22: 535-540, 2018.

STEDUTO, P. et al. Crop yield response to water. 1. ed. Rome, Itália: FAO, 2012. 500 p. (Estudio FAO: Riego y Drenaje, 66).

TAIZ, L. et al. Fisiologia e desenvolvimento vegetal. 6. ed. Porto Alegre, RS: Artmed, 2017. 858 p.

TIAN, X. et al. Application of nitric oxide and calcium nitrate enhances tolerance of seedlings to salt stress. Plant Growth Regulation, 77: 343-356, 2015.

Publicado
2020-05-22
Seção
Engenharia Agrícola