ESTRESSE SALINO E AMBIÊNCIA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE MELANCIA

Palavras-chave: Citrullus lanatus (Thunb.) Matsum & Nakai. Ambiente protegido. Salinidade.

Resumo

Objetivou-se com este trabalho avaliar a produção de mudas de melancia irrigadas com águas salinas e cultivadas em diferentes tipos de ambientes e substratos. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado com parcelas subsubdivididas, sendo a parcela os dois ambientes de cultivo (AM1 = pleno sol e AM2 = telado preto com 50% de sombreamento), a subparcela as duas águas de irrigação (AI1 = 0,8 e AI2 = 2,5 dS m-1) e a subsubparcela os quatro tipos de substratos (SB1 = vermiculita + fibra de coco, SB2 = esterco + solo, SB3 = casca de arroz carbonizado + solo, SB4 = biocarvão + solo), com quatro repetições de vinte e cinco sementes. As variáveis analisadas foram: porcentagem de emergência (PE), índice de velocidade de emergência (IVE), tempo médio de emergência (TME), número de folhas (NF), diâmetro do caule (DC), altura de plântula (AP) e comprimento da raiz (CR), massa seca da parte aérea (MSPA), massa seca da raiz (MSR) e massa seca total (MST). O tratamento AM2 propiciou melhores condições de emergência e crescimento inicial, já o tratamento AM1 também se mostrou favorável à emergência e crescimento inicial de mudas de melancia, quando utilizados os substratos SB1 e SB2.

 

Referências

ALBUQUERQUE, J. R. T. et al. Crescimento inicial e tolerância de cultivares de pepino sob estresse salino. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada-RBAI, 10: 486-495, 2016.

BORGES, R. C. F. et al. Caracterização da curva de embebição de sementes de pinhão-manso. Revista Científica Eletrônica de Engenharia Florestal, 8: 1-8, 2009.

CARVALHO, D. B.; CARVALHO, R. I. N. Qualidade fisiológica de sementes de guanxuma em influência do envelhecimento acelerado e da luz. Acta Scientiarum. Agronomy, 31: 489-494, 2009.

CAVALCANTE, Í. H. L. et al. Biochar no substrato para produção de mudas de maracujazeiro amarelo. Revista de la Facultad de Agronomía, 111: 41-47, 2012.

COSTA, A. R. F. C. et al. Emergência de plântulas de melão em diferentes níveis de salinidade da água de irrigação. Revista Caatinga, 21: 89-93, 2008.

COSTA, E. et al. Telas de Sombreamento e Substratos na Produção de Mudas de Dipteryx alata Vog. Floresta e Ambiente, 22: 416-425, 2015.

COSTA, E. et al. Efeitos da ambiência, recipientes e substratos no desenvolvimento de mudas de maracujazeiro-amarelo em Aquidauana-MS. Revista Brasileira de Fruticultura, 31: 236-244, 2009.

COSTA, F. M. et al. Produção de mudas de maracujazeiro amarelo em diferentes composições de substrato e ambiente. Revista de Ciências Agrárias, 41: 141-150, 2018.

DEMONTIÊZO, F. L. L. et al. Emergência e crescimento inicial de tomate ‘Santa Clara’em função da salinidade e condições de preparo das sementes. Irriga, 1: 81-92, 2016.

DIAS, N. S. et al. Efeitos dos sais na planta e tolerância das culturas à salinidade. In: GHEYI, H. R. et al. (Eds.). Manejo da salinidade na agricultura: Estudos básicos e aplicados. Fortaleza, CE: Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Salinidade, 2016, v. 2, cap.11, p. 151-162.

DUTRA, T. R. et al. Efeito da salinidade na germinação e crescimento inicial de plântulas de três espécies arbóreas florestais. Pesquisa Florestal Brasileira, 37: 323-330, 2017.

EMBRAPA. Sistema brasileiro de classificação de solos. 3. ed. Brasília, DF, 2018. 353 p.

KÖPPEN, W. P. Die klimate der erde: Grundriss der klimakunde. Berlin: Walter de Gruyter & So., 1923. 369 p.

LABOURIAU, L. G. A germinação das sementes. Washington, D. C.: Secretaria Geral da OEA, 1983. 147 p.

LACERDA, C. F. et al. Estratégias de manejo para uso de água salina na agricultura. In: GHEYI, H. R. et al. (Eds.). Manejo da salinidade na agricultura: Estudos básicos e aplicados. Fortaleza, CE: Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Salinidade, 2016, v. 2, cap. 21, p. 319-336.

LIMA, I. M. O. et al. Diferentes substratos e ambientes protegidos para o crescimento de mudas de maracujazeiro amarelo doce. Revista de Agricultura Neotropical, 3: 39-47, 2016.

LIMA, S. L. et al. Desenvolvimento de mudas de beterraba em substratos comerciais tratados com biochar. Agrotrópica, 25: 181-186, 2013.

MAGRO, F. O.; SALATA, A. C.; CARDOSO, A. I. I. Produção de repolho em função da idade das mudas. AgroAmbiente, 5: 119-123, 2011.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, 1: 176-177, 1962.

MAROUELLI, W. A.; BRAGA, M. B. Irrigação na produção de mudas de hortaliças. Uberlândia, MG: Campo & Negócios Hortifruti, 2016. 04 p.

MARTINS, D. C. et al. Desenvolvimento inicial de cultivares de melancia sob estresse salino. Agropecuária Científica no Semiárido, 9: 62-68, 2013.

MEZZALIRA, E. J. et al. Desenvolvimento inicial de plântulas de maracujazeiro azedo (Passiflora sp) em resposta ao ambiente e ao tempo de armazenamento das sementes. Cultivando o Saber, 5: 113-123, 2012.

NATALE, W. et al. Evolução da nutrição mineral na formação de porta-enxertos e mudas de frutíferas. Revista Brasileira de Fruticultura, 40: 1-15, 2018.

OLIVEIRA, A. M. D. et al. Produção de mudas de melancia em diferentes ambientes e de frutos a campo. Ceres, 62: 87-92, 2015a.

OLIVEIRA, F. A. et al. Emergência e crescimento inicial de plântulas de 276 repolho cv. Chato de Quintal sob estresse salino. Revista Agropecuária Técnica, 36: 273-279, 2015b.

PEREIRA, F. H. F. et al. Crescimento de planta, partição de assimilados e produção de frutos de melão amarelo sombreado por diferentes malhas. Ciência Rural, 45: 1774-1781, 2015.

RHOADES, J. D.; KANDIAH, A.; MASHALI, A. M. Uso de águas salinas para produção agrícola. Campina Grande, PB: UFPB, 2000. 117 p. (Estudos FAO - Irrigação e Drenagem, 48).

RIBEIRO, A. A. et al. Emergência e crescimento inicial da melancia sob estresse salino. Revista Brasileira de Engenharia de Biossistemas, 6: 30-38, 2012.

SOARES, F. C. et al. Consumo de água pela cultura do lírio, cultivado em substratos alternativos em condições de ambiente protegido. Ciência Rural, 42: 1001-1006, 2012.

SOUZA, N. H. et al. Produção de mudas de manjericão (Ocimum basilicum L.) em diferentes substratos e luminosidades. Revista Brasileira de Planta Medicinais, 13: 276-281, 2011.

Publicado
2020-05-22
Seção
Engenharia Agrícola